Início do Cinema

  • Data de publicação

Cinema (do grego Kinema = movimento) a arte de produzir imagens em movimento.

Ao sintetizar um pouco da histria do cinema no presente texto, importante lembrar que, a arte cinematogrfica ainda muito nova, e por isso suas permutaes ainda esto longe de acabar. importante que a espessura acumulada de histria do cinema no nos faa acreditar que o cinema chegou ao esgotamento enquanto forma de arte. Apesar de o cinema atualmente parecer tender a definir sua identidade em relao ao seu gmeo perverso, o espectro da televiso, temos que levar em considerao que as duas formas de representao da imagem ainda vo permanecer distintas. Mesmo com a inevitvel chegada da tecnologia digital na produo de filmes, o que ir provocar o barateamento dos mesmos.

Por ser uma arte complexa (relaciona fotografia, teatro, pintura, msica) e nova (100 anos) o cinema ainda tem um longo caminho a ser traado, h com certeza um futuro para esta iluso secular.

ORIGEM

Indcios histricos e arqueolgicos comprovam que antiga a preocupao do homem com o registro do movimento. O desenho e a pintura foram as primeiras formas de representar os aspectos dinmicos da vida humana e da natureza, produzindo narrativas atravs de figuras. O jogo de sombras do teatro de marionetes oriental considerado um dos mais remotos precursores do cinema. Experincias posteriores como a cmara escura e a lanterna mgica constituem os fundamentos da cincia ptica, que torna possvel a realidade cinematogrfica.

Jogos de sombras Surge na China, por volta de 5.000 a.C. a projeo, sobre paredes ou telas de linho, de figuras humanas, animais ou objetos recortados e manipulados. O operador narra a ao, quase sempre envolvendo prncipes, guerreiros e drages.

Cmara escura Seu princpio enunciado por Leonardo da  Vinci, no sculo XV. O invento desenvolvido pelo fsico napolitano Giambattista Della Porta, no sculo XVI, que projeta uma caixa fechada, com um pequeno orifcio coberto por uma lente. Atravs dele penetram e se cruzam os raios refletidos pelos objetos exteriores. A imagem, invertida, inscreve-se na face do fundo, no interior da caixa.

Lanterna mgica Criada pelo alemo Athanasius Kirchner, na metade do sculo XVII, baseia-se no processo inverso da cmara escura. composta por uma caixa cilndrica iluminada a vela, que projeta as imagens desenhadas em uma lmina de vidro.

PRIMEIROS APARELHOS

Para captar e reproduzir a imagem do movimento, so construdos vrios aparelhos baseados no fenmeno da persistncia retiniana (frao de segundo em que a imagem permanece na retina), descoberto pelo ingls Peter Mark Roger, em 1826. A fotografia, desenvolvida simultaneamente por Louis-Jacques Daguerre e Joseph Nicphore Niepce, e as pesquisas de captao e anlise do movimento representam um avano decisivo na direo do cinematgrafo.

Fenacistoscpio - O fsico belga Joseph-Antoine Plateau o primeiro a medir o tempo da persistncia retiniana. Para que uma srie de imagens fixas dem a iluso de movimento, necessrio que se sucedam razo de dez por segundo. Em 1832, Plateau inventa um aparelho formado por um disco com vrias figuras desenhadas em posies diferentes. Ao girar o disco, elas adquirem movimento. A idia era apresentar uma rpida sucesso de desenhos de diferentes estgios de uma ao, criando a iluso de que um nico desenho se movimentava.

Praxinoscpio Aparelho que projeta na tela imagens desenhadas sobre fitas transparentes, inventado pelo francs mile Reynaud (1877). A princpio uma mquina primitiva, composta por uma caixa de biscoitos e um nico espelho, o praxinoscpio aperfeioado com um sistema complexo de espelhos que permite efeitos de relevo. A multiplicao das figuras desenhadas e a adaptao de uma lanterna de projeo possibilitam a realizao de truques que do a iluso de movimento.

Fuzil fotogrfico Em 1878 o fisiologista francs tienne-Jules Marey desenvolve o fuzil fotogrfico: um tambor forrado por dentro com uma chapa fotogrfica circular. Seus estudos se baseiam na experincia desenvolvida, em 1872, pelo ingls Edward Muybridge, que decompe o movimento do galope de um cavalo. Muybridge instala 24 mquinas fotogrficas em intervalos regulares ao longo de uma pista de corrida e liga a cada mquina fios que atravessam a pista. Com a passagem do cavalo, os fios so rompidos, desencadeando o disparo sucessivo dos obturadores, que produzem 24 poses consecutivas.

Cronofotografia Pesquisas posteriores sobre o andar do homem ou o vo dos pssaros levam tienne-Jules Marey, em 1887, ao desenvolvimento da cronofotografia a fixao fotogrfica de vrias fases de um corpo em movimento, que a prpria base do cinema.

Cinetoscpio O norte-americano Thomas Alva Edison inventa o filme perfurado. E, em 1890, roda uma srie de pequenos filmes em seu estdio, o Black Maria, primeiro da histria do cinema. Esses filmes no so projetados em uma tela, mas no interior de uma mquina, o cinetoscpio tambm inventado por Edison um ano depois. Mas as imagens s podem ser vistas por um espectador de cada vez.

Cinematgrafo A partir do aperfeioamento do cinetoscpio, os irmos Auguste e Louis Lumire idealizam o cinematgrafo em 1895. O aparelho uma espcie de ancestral da filmadora movido a manivela e utiliza negativos perfurados, substituindo a ao de vrias mquinas fotogrficas para registrar o movimento. O cinematgrafo torna possvel, tambm, a projeo das imagens para o pblico. O nome do aparelho passou a identificar, em todas as lnguas, a nova arte (cin, cinema, kino etc.).

Auguste Lumire (1862-1954) e Louis Lumire (1864-1948) nascem em Besanon, na Frana. Filhos de um fotgrafo e proprietrio de indstria de filmes e papis fotogrficos, eram praticamente desconhecidos no campo das pesquisas fotogrficas at 1890. Aps freqentarem a escola tcnica, realizam uma srie de estudos sobre os processos fotogrficos, na fbrica do pai, at chegarem ao cinematgrafo. Louis Lumire o primeiro cineasta realizador de documentrios curtos. Seu irmo Auguste participa das primeiras descobertas, dedicando-se posteriormente medicina.

CINEMA MUDO

A apresentao pblica do cinematgrafo marca oficialmente o incio da histria do cinema. O som vem trs dcadas depois, no final dos anos 20.

A primeira exibio pblica das produes dos irmos Lumire ocorre em 28 de dezembro de 1895, no Grand Caf, em Paris. A sada dos operrios das usinas Lumire, A chegada do trem na estao, O almoo do beb e O mar so alguns dos filmes apresentados. As produes so rudimentares, em geral documentrios curtos sobre a vida cotidiana, com cerca de dois minutos de projeo, filmados ao ar livre.

PRIMEIROS FILMES

Pequenos documentrios e fices so os primeiros gneros do cinema. A linguagem cinematogrfica se desenvolve, criando estruturas narrativas. Na Frana, na primeira dcada do sculo XX, so filmadas peas de teatro, com grandes nomes do palco, como Sarah Bernhardt. Em 1913 surgem, com Max Linder que mais tarde inspiraria Chaplin , o primeiro tipo cmico e, com o Fantmas, de Louis Feuillade, o primeiro seriado policial. A produo de comdias se intensifica nos Estados Unidos e chega Inglaterra e Rssia. Na Itlia, Giovanni Pastrone realiza superprodues picas e histricas, como Cabria, de 1914.

DOCUMENTRIO - Em 1896 os Lumire equipam alguns fotgrafos com aparelhos cinematogrficos e os enviam para vrios pases, com a incumbncia de trazer novas imagens e tambm exibir as que levam de Paris. Os caadores de imagens, como so chamados, colocam suas cmeras fixas num determinado lugar e registram o que est na frente. A Inglaterra, O Mxico, Veneza, A cidade dos Doges passam a integrar o repertrio dos Lumire. Coroao do Czar Nicolau II, filmado em Moscou, considerado a primeira reportagem cinematogrfica.

FICO - Os rudimentos da narrao e da montagem artstica so desenvolvidos pelo americano Edwin Porter, em 1902, em Vida de um bombeiro americano, e consolidados, um ano mais tarde, com O grande roubo do trem, o primeiro grande clssico do cinema americano. O filme inaugura o western e marca o comeo da indstria cinematogrfica. Despontam, ento, dois grandes nomes dos primrdios do cinema: Georges Mlis e David Griffith.

Georges Mlis (1861-1938), diretor, ator, produtor, fotgrafo e figurinista, considerado o pai da arte do cinema. Nasce na Frana e passa parte da juventude desenvolvendo nmeros de mgica e truques de ilusionismo. Depois de assistir primeira apresentao dos Lumire, decide-se pelo cinema. Pioneiro na utilizao de figurinos, atores, cenrios e maquiagens, ope-se ao estilo documentarista. Realiza os primeiros filmes de fico Viagem Lua (Voyage dans la lune, Le / Voyage to the Moon - 1902) e A Conquista do Plo (Conqute du ple, La / Conquest of the Pole - 1912) e desenvolve diversas tcnicas: fuso, exposio mltipla, uso de maquetes e truques pticos, precursores dos efeitos especiais.

David W. Griffith (1875-1948), nascido nos Estados Unidos, considerado o criador da linguagem cinematogrfica. Antes de chegar ao cinema, trabalha como jornalista e balconista em lojas e livrarias. Admirador de Edgar Allan Poe, tambm escreve poesias. No cinema, o primeiro a utilizar dramaticamente o close, a montagem paralela, o suspense e os movimentos de cmera. Em 1915, com Nascimento de Uma Nao (The Birth of a Nation), realiza o primeiro longa-metragem americano, tido como a base da criao da indstria cinematogrfica de Hollywood. Com Intolerncia (Intolerance), de 1916, faz uma ousada experincia, com montagens e histrias paralelas.

ASCENSO DE HOLLYWOOD

Com o recesso do cinema europeu durante a 1 Guerra Mundial, a produo de filmes concentra-se em Hollywood, na Califrnia, onde surgem os primeiros grandes estdios. Em 1912, Mack Sennett, o maior produtor de comdias do cinema mudo, que descobriu Charles Chaplin e Buster Keaton, instala a sua Keystone Company. No mesmo ano, surge a Famous Players (futura Paramount) e, em 1915, a Fox Films Corporation. Para enfrentar os altos salrios e custos de produo, exibidores e distribuidores renem-se em conglomerados autnomos, como a United Artists, fundada em 1919. A dcada de 20 consolida a indstria cinematogrfica americana e os grandes gneros western, policial, musical e, principalmente, a comdia , todos ligados diretamente ao estrelismo.

Star system O desenvolvimento dos grandes estdios proporciona o surgimento do star system, o sistema de "fabricao" de estrelas que encantam as platias. Mary Pickford, a "noivinha da Amrica", Theda Bara, Tom Mix, Douglas Fairbanks e Rodolfo Valentino so alguns dos nomes mais expressivos. Com o xito alcanado, os filmes passam dos 20 minutos iniciais a, pelo menos, 90 minutos de projeo. O dolo chamado a encarnar papis fixos e repetir atuaes que o tenham consagrado, como Rosita, de 1923, com Mary Pickford.

COMDIA - Baseada na stira de pequenas cenas do cotidiano, a comdia americana dos anos 20 privilegia lugares, situaes e objetos que retratam a vida urbana e a "civilizao das mquinas". Recorre com freqncia ao "pastelo" e ganha impulso com o produtor e diretor americano Mack Sennett. Destacam-se os tipos desenvolvidos por Ben Turpin, Buster Keaton, Harold Lloyd e Charles Chaplin.

Charles Chaplin (1889-1977), diretor, produtor e ator, passa uma infncia miservel em orfanatos, na Inglaterra. Emprega-se nos music halls em 1908 e adquire algum sucesso como mmico. Contratado por um empresrio norte-americano, vai para os Estados Unidos em 1913 e, um ano depois, realiza seu primeiro filme - Carlitos Reprter (Making a Living - 1914). Seu personagem, Carlitos, o vagabundo com bengala, chapu-coco e calas largas, torna-se o tipo mais famoso do cinema. Entre seus principais filmes esto O Garoto (Kid, The - 1921), Em Busca do Ouro (The Gold Rush - 1925), Luzes da Cidade (City Lights - 1931), Tempos Modernos (Modern Times - 1936) e O Grande Ditador (The Great Dictator - 1940).

Buster Keaton (1895-1966), Joseph Francis Keaton nasce nos Estados Unidos e estria no palco aos 3 anos, acompanhado de seus pais, num nmero de acrobacia. Recebe o apelido de Buster (demolidor) por sua resistncia aos tombos. Em 1917 comea no cinema, fazendo pontas. Trs anos depois, passa direo. Torna-se famoso com a criao de um tipo inesquecvel - o cmico que nunca ri - consagrado em A General (The General - 1927) e Marinheiro de Encomenda (Steamboat Bill, Jr. - 1928), entre outros. considerado um dos maiores nomes do cinema humorstico, comparvel a Chaplin.

CINEMA FALADO

O advento do som, nos Estados Unidos, revoluciona a produo cinematogrfica mundial. Os anos 30 consolidam os grandes estdios e consagram astros e estrelas em Hollywood. Os gneros se multiplicam e o musical ganha destaque. A partir de 1945, com o fim da 2 Guerra, h um renascimento das produes nacionais os chamados cinemas novos.

PRIMEIRAS EXPERINCIAS - As primeiras experincias de sonorizao, feitas por Thomas Edison, em 1889, so seguidas pelo grafonoscpio de Auguste Baron (1896) e pelo crongrafo de Henri Joly (1900), sistemas ainda falhos de sincronizao imagem-som. O aparelho do americano Lee de Forest, de gravao magntica em pelcula (1907), que permite a reproduo simultnea de imagens e sons, comprado em 1926 pela Warner Brothers. A companhia produz o primeiro filme com msica e efeitos sonoros sincronizados - Don Juan (Don Juan - 1926), de Alan Crosland, o primeiro com passagens faladas e cantadas - O Cantor de Jazz (The Jazz Singer - 1927), tambm de Crosland, com Al Jolson, grande nome da Broadway, e o primeiro inteiramente falado - Luzes de Nova York, de Brian Foy (Lights of New York - 1928).

CONSOLIDAO - Em 1929 o cinema falado representa 51% da produo norte-americana. Outros centros industriais, como Frana, Alemanha, Sucia e Inglaterra, comeam a explorar o som. A partir de 1930, Rssia, Japo, ndia e pases da Amrica Latina recorrem nova descoberta.

A adeso de quase todas as produtoras ao novo sistema abala convices, causa a inadaptao de atores, roteiristas e diretores e reformula os fundamentos da linguagem cinematogrfica. Diretores como Charles Chaplin e Ren Clair esto entre os que resistem novidade, mas acabam aderindo. Alvorada do Amor (The Love Parade - 1929), de Ernst Lubitsch, O Anjo Azul (Der Blaue Engel / The Blue Angel - 1930), de Joseph von Sternberg, e M, o Vampiro de Dusseldorf (M - 1931), de Fritz Lang, so alguns dos primeiros grandes ttulos.

Dos anos 30 at a 2 Guerra, apesar de Hollywood concentrar a maior parte da produo cinematogrfica mundial, alguns centros europeus como Frana, Alemanha e Rssia produzem obras que merecem destaque.

Frana O realismo potico, com melodramas policiais de fundo trgico, de Jean Renoir de A Grande Iluso (La Grande illusion / The Grand Illusion - 1937) e A Besta Humana (La Bte Humaine / The Human Beast - 1938), Marcel Carn de Cais das Sombras (Quai des Brumes / Port of Shadows - 1938), Julien Duvivier de Um Carn de Baile (Un Carnet de Bal - 1937) e Jean Vigo de Atalante (L' Atalante -1934) fornecem uma perspectiva lrica dos problemas sociais. Com a invaso nazista, eles so exilados.

Rssia A Nova Babilnia (Novyj Vavilon / The New Babylon - 1929), de Grigori Kozintsev; Volga-Volga (Volga-Volga - 1938), de Grigori Aleksandrov; Ivan, o Terrvel (Ivan Groznyj / Ivan the Terrible), de Sergei M. Eisenstein; e a Trilogia de Mximo Gorki (Detstvo Gorkogo / Childhood of Maxim Gorky - 1938), de Mark Donskoi, merecem destaque em um perodo dominado por filmes de propaganda sobre os planos qinqenais, impostos por Stalin.

Alemanha A Alemanha nazista tambm descobre, com O Triunfo da Vontade (Triumph des Willens / Dokument vom Reichsparteitag - 1934), de Leni Riefenstahl, e O Judeu Suss (Jud S / Jew Sss - 1940), de Veidt Harlan, o cinema como instrumento de propaganda do regime.

Fonte: Almanaque Abril

>> Confira também em

Comentários

Siga-nos:

Confira no Passeiweb

  • O primeiro voo do Homem no espaço

    Em 12 de abril de 1961 o homem decolava, pela primeira vez, rumo ao espaço. Em 2011, no aniversário de 50 anos deste fato, ocorreram comemorações no mundo inteiro e, principalmente, na Rússia.
  • Tsunami

    Tsunami significa "onda gigante", em japonês. Os tsunamis são um tipo especial de onda oceânica, gerada por distúrbios sísmicos.
 

Instituições em Destaque

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo:
 
 
 
-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: