dcsimg

8. Maddox e a emulsão de gelatina



Richard Lear Maddox
Em setembro de 1871, um m?dico e microscopista Ingl?s, Richard Lear Maddox, publicou no British Journal of Photography suas experi?ncias com uma emuls?o de gelatina e brometo de prata como substituto para o col?dio. O resultado era uma chapa 180 vezes mais lenta que o processo ?mido, mas com o novo processo aperfei?oado e acelerado por John Burgess, Richard Kennett e Charles Benett, a placa seca de gelatina estabelecia a era moderna do material fotogr?fico fabricado comercialmente, liberando o fot?grafo da necessidade de preparar as suas placas. Rapidamente v?rias firmas passaram a fabricar placas de gelatina seca em quantidades industriais.

Burgess comercializou a emuls?o de brometo de prata e gelatina engarrafada, mas os resultados n?o foram satisfat?rios devido ? presen?a de sub-produtos tais como nitrato de pot?ssio. Em 1873, Kennett vendia emuls?es secas e placas preparadas com bastante sensibilidade ? luz. Em 1878, Bennett publicou que conservando a emuls?o a 32ºC de quatro a sete dias, se produzia uma "matura??o" que aumentava a sensibilidade.

Fabricantes brit?nicos como a Wratten & Wainwrigth e The Liverpool Dry Plate Co., em 1880, monopolizaram a fabrica??o de placas secas. Logo f?bricas em todos os pa?ses passaram a imit?-los, at? que em 1883 quase nenhum fot?grafo usava o material col?dio.

Fonte: Kodak

< Anterior


>> Confira também em

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: