dcsimg

Germinal, de Émile Zola


Germinal é tida como a principal obra de Émile Zola, e foi publicada em 1881. No romance, o autor descreveu o quanto a destreza feminina na execução de certas atividades era surpreendente e, por vezes, constrangedora para os "camaradas" do sexo oposto. Ao mesmo tempo, relatou a dupla jornada das mulheres, que eram as primeiras a levantar e preparar o café para toda a família, cumprindo duras jornadas de trabalho. Retratando a vida dos mineiros de carvão no interior da França, ele narra, de forma romanceada, toda a luta dos trabalhadores por melhores condições de vida e de trabalho, em uma época marcada pelo liberalismo econômico, em que não existiam normas protetivas dos direitos dos trabalhadores.

A descrição da rotina extenuante, do tratamento desumano dado aos operários e da degradante condição de vida deles, evidencia a relevância da questão social dentro de qualquer concepção político-econômica da sociedade, não importando o local ou a época que se observa.

Não por acaso, muitas das situações apontadas na obra ainda são vistas no Brasil e em outros países, mesmo naqueles tido como desenvolvidos, evidenciando seu caráter atemporal. O livro deu origem, ainda, ao filme "Germinal", de Claude Berri, estrelado por Gèrard Depardieu, e que traduz de forma primorosa o brilhante texto do autor.

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: