dcsimg

O bom ladrão, de Fernando Sabino


O Bom Ladrão, de Fernando Sabino é uma obra contemporânea. Trata-se de uma revisitação dos personagens Bentinho e Capitu, do livro Dom Casmurro, sendo respectivamente identificáveis nos personagens Dimas e Isabel. Esta é segura de si, e furtadora exímia de objetos; já aquele amedrontado pela forte figura da mulher perde-se em um labirinto de devaneios para esclarecer a desconfianças que tem da esposa. Incluso é o adultério presumido do narrador.

Este acaba até tentando furtar objetos para provar a si mesmo certa superioridade, contudo nada consegue provar a si mesmo, à amada, nem mesmo aos leitores.

A insegurança de Dimas aumenta quando Isabel fica a encontrar-se demasia com seu primo, a suspeita aumenta quando descobrimos o furto do livro O primo Basílio, eis aí nova similaridade literária, brincadeira que Fernado Sabino utiliza de modo constante.

Temos uma metalinguagem acontecendo durante todo o conto; em verdade é uma apologia acerca das grandes referências literárias.

Dimas acaba por ser preso e afasta-se gradativamente da esposa, vindo a envelhecer só, tal como o memorialista advogado Bento na obra de Dom Casmurro.

Em seu prefácio, escrito por Carlos Faraco, já temos uma sinopse do livro. Comenta a relação de intertextualidade que há entre essa obra de Sabino e a de Machado de Assis, além de relacionar outras obras de renome, como O Primo Basílio, de Eça de Queiroz, e a Causa Secreta, conto machadiano.

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: