dcsimg

Os becos do homem, de Jorge de Souza Araújo


Com Os Becos do Homem, Jorge de Souza Araújo estreou na poesia. Esse livro foi escrito desde o início dos anos 1970, durante o período de ditadura no Brasil, e publicado em 1982. Nele o poeta oferece uma poesia densa, reflexiva, engajada, “pois se funda em duas direções políticas, a da inutilidade de certa ordem e a da incapacidade dos homens dessa ordem”, como afirma Antônio Houaiss no prefácio do livro.

Nesta obra, Jorge Araújo transita pelas redondilhas, pelo haicai, pelo verso livre e pela metapoesia.

O autor lapidou seu estilo lendo Ferreira Gullar, Drummond, Bandeira, Jorge de Lima, Baudelaire, Rimbaud, Verlaine e por isso possui um dos instrumentos essenciais para o poeta na modernidade: dizer densamente aquilo que pretende trafegando pelo indizível, mas sabendo sempre o que dizer, como no poema "Acalanto":

(...)
Os sentimentos do homem
os seres do homem
os pesares do homem
lançaram-se no abismo
do consumo das coisas
fora de sua alma

O que o homem hoje diz
não corresponde ao eco
de sua destinação

(...)
Só uma eiva salva o homem hoje
da condenação de si a si mesmo
porque Herodes de seu menino
avatar de sua história

Ao homem só resta reencontrar-se
nas retinas do mundo.

Fulgurante, seu verso é valioso, quase inesgotável, e convida o leitor a voltar inúmeras vezes, pois é feita de inquietação a sua poesia; poesia que consegue estabelecer uma ligação orgânica de suas vivências e crenças pessoais com os anseios coletivos de grande complexidade. Por isso não se pode pensá-la como destinada a ser lida apenas em silêncio.

Os poemas de Os Becos do Homem foram feitos para serem ditos em voz alta, nas praças, a plenos pulmões, para que todos possam conhecer uma obra que vai fundo no sentimento humano, pois segundo José Maurício Gomes de Almeida, a poesia de Jorge Araújo “assume integralmente esta marca suja da vida”.

Acompanhe o poema "Presságio":

Tempo haverá em que o medo
será artigo de quinta categoria
nas prateleiras do esquecimento

Então nos despediremos
da exatamência deste vil
relógio do tempo
a que nos vendemos hoje

e cruzaremos fartos de coragens
a fronteira doida do imenso vale
de nossa solidão
no exercício enfim da liberdade.

O poema retrata a ânsia do autor à espera de um tempo em que os grilhões da ditadura seriam quebrados, pois o Jorge Araújo socialista e humanista não tinha, naquele tempo, grandes motivos para se animar com os rumos da abertura política no país, pois quase todos os fatos corroboravam para a crença de que muita água ainda passaria sob aquela ponte antes da tão almejada democracia. Essa veio a acontecer em Janeiro de 1985 com a eleição de Tancredo Neves, quase três anos depois de a obra vir a público.

Era um tempo de ânsia e de expectativa retratado no poema "Leitura de Jorna"l:

Inquieto-me hoje
assim como ontem
e amanhã de igual forma
por essa multidão de sombras nos assuntos
dos jornais
essa procissão de sonhos nos assuntos
dos jornais
sem pouso nem porto certo

E se me arruíno e me intimido
e se me dou violenta surra moral
devo estourar os miolos
jogar-me da ponte sobre o mar
antes de virar a folha
dos assuntos dos jornais?

De mal a mal
na última página do primeiro caderno
dos assuntos dos jornais
desta terça-feira dia tal do ano tal
encontro algumas alternativas (enfim!)
o flamengo tem tudo para sagrar-se
campeão das nossas sempiternas esperanças.

O poeta pensa a própria poesia a partir dos instrumentos que possui e assim questiona a sua condição ontológica em um espaço que privilegia cada vez mais o valor utilitário das coisas. Por isso leia o metapoema "Querido Lavoisier":

Já em poesia
nada se transforma
tudo se cria

o nada transforma
o tudo em cria

na forma do poema
tudo há e nada havia

(no sobre
tudo se lia
no sabre nada se via)

mas transformar a poesia
- é tudo e nada, sabia?

Poesia de nada servia?
Poesia em tudo, seria?

Formas de tudo sorvia
Transe do nada sumia

- Lavoisier, sem folia
a poesia, noite e dia
seduz a melancolia.

Fonte: Gustavo Felicíssimo, para o Jornal Agora

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: