dcsimg

Cecília Meireles


Cecília Benevides de Carvalho Meireles nasceu em 1901, no Rio de Janeiro. Perdeu os pais aos três anos de idade, sendo então criada pela avó materna. Em 1917, após formar-se professora pela Escola Normal do Rio, dedicou-se ao magistério primário. No início da carreira literária fez parte do grupo neo-simbolista da revista Festa, dirigido por Tasso da Silveira, do qual, alguns anos mais tarde, se desligou, trilhando seu próprio caminho, de cunho mais moderno. Ainda bem jovem, teve seu primeiro livro, Espectros, publicado em 1919. A partir dos anos 30, passou a lecionar Literatura brasileira na Universidade do Distrito Federal. Em 1934, visitou Portugal e os Estados Unidos, onde deu cursos sobre Literatura e Cultura Brasileira. Viagem (1939) recebeu o prêmio da Academia Brasileira de Letras pela primeira obra em versos modernos. Cecília morreu no Rio de Janeiro, em 1964.

Em versos regulares ou livres, longos ou curtos, a autora, sempre empenhada em atingir a perfeição, revela habilidade no comando da riqueza lexical e dos ritmos da língua portuguesa. Foi talvez, segundo Bosi, "o poeta moderno que modulou com mais felicidade os metros breves", apregoados pelo Modernismo. Na poesia inicial, Espectros e Baladas para El-Rey, há ecos dos poetas simbolistas. Fase esta que foi renegada pela autora, ao não as incluir em sua Obra Poética.

Aspecto de sua poesia é a linguagem sensorial, intuitiva e feminina, empregada em versos plenos num jogo hábil de sons e musicalidade. Recordação transfigura a realidade pelos elementos sensoriais. Um dos traços mais importantes de sua poesia é a consciência da transitoriedade das coisas, revelada na delicadeza com que tematiza a fugacidade do tempo, dos objetos e da vida, sempre espreitada pela sombra da morte.

Em Romanceiro da Inconfidência, episódios narrativos rimados - romance medieval de tradição ibérica - Cecília revela sua preocupação social. A partir de fatos históricos, lendas e tradições, narra a época dourada de Minas Gerais e a fatalidade que caiu sobre os poetas conjurados e familiares. Em um conjunto de 85 romances, é um dos mais belos poemas longos da língua portuguesa.

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: