dcsimg

Leonardo da Vinci


Nascido em 15 de abril de 1452, na cidade de Vinci, próxima a Florença, e falecido em 2 de maio de 1519, em Cloux, na França, o nome Leonardo da Vinci carrega o mito de este ter sido uma das personalidades que mais encarnaram o espírito renascentista de sua época. Ao lado de suas atividades artísticas na pintura, escultura e arquitetura,  Leonardo da Vinci foi um rigoroso investigador científico, sendo engenheiro e ainda inventor, chegando até, de certa forma, a criar os princípios de uma máquina voadora muito semelhante ao moderno helicóptero, ao passo que já previa a invenção do planador. Foi, sem dúvida, um dos grandes criadores de seu tempo.

Dentre suas obras na pintura, merece especial destaque, por tratar-se de duas das pinturas mais conhecidas da história da pintura mundial, a Mona Lisa (conhecida também como Gioconda, por tratar-se de um retrato da esposa de Zanobi del Giocondo) e a Última Ceia, retrato da última ceia de Jesus entre os doze apóstolos (a cena representada reporta-se ao momento em que a traição de Judas é revelada). Mas merecem destaque maior, do ponto de vista estético, as pinturas A Virgem, o Menino e Santana e A Virgem das Rochas.

As pinturas de da Vinci, danificadas pela ação do tempo, hoje possuem valor mais acentuadamente histórico que artístico. As contribuições de Leonardo da Vinci foram redescobertas e divulgadas mais largamente apenas a partir do século XX, através de suas anotações que sobreviveram ao tempo. Aliás, havia uma particularidade interessante em suas anotações: eram escritos da direita para a esquerda, de modo que podemos ler tais escritos com a utilização de um espelho. A maior parte das anotações de Leonardo encontram-se reunidos no chamado Códice Atlântico. Tal conjunto de textos demonstram que a pesquisa de Leonardo se dirigia a todos os campos da ciência, chegando ao ponto visionário da previsão de possibilidades futuras, como as máquinas voadoras e os processos automatizados. A somatória de todas estas características apontadas revelam o gênio de Leonardo da Vinci em sua época, na qual figurou como um dos elementos centrais.

Leonardo da Vinci e a óptica

Leonardo da Vinci viveu em uma época em que ainda não existiam instrumentos ópticos (telescópio, microscópio, etc.). Utilizavam-se lentes de aumento e óculos, mas nem o funcionamento de lentes simples era compreendido. Já existia apenas uma teoria de espelhos planos e curvos (Euclides e Arquimedes escreveram sobre o assunto). Leonardo se interessou por lentes, pelo funcionamento do olho, etc. mas sua principal contribuição foi ao estudo da perspectiva, que, atualmente, não classificamos como pertencente à óptica.

Conheça as obras do artista

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: