dcsimg

Mauro Fuke


Mauro conta uma história suavemente sobressaltada. Mistura a boa formação escolar de filho admirador das habilidades artesanais do pai e da mãe, carpintaria e macramê, com histórias de jovem rebelde, que foge de casa (rito de iniciação?), para experiência alternativa hippie, em cidades, praças e praias brasileiras, sustentando-se com a produção de esmeradas caixinhas porta-jóias. Da formação técnico-científica do colégio, ele traz para o Instituto de Artes / UFRGS, onde ingressou em 1981, uma ingênua determinação realista, de hiper-realismo tão minucioso que, na verdade, quase muda modernidades em fantasias futurizantes.

Assim, a escultura de Mauro Fuke escapa às malhas das classificações tradicionais, pois sendo arte dos anos 80, se dobra sobre a história, sobre os soçobros do tempo, e reflexiona noutro sentido.

Mais... fascina a construtividade, a invenção científica, planejada, das suas esculturas, máquinas inesperadamente lúdicas, a mecânica de brinquedo das peças vegetais e animais, reunidas por doida tecnologia. Elas se acoplam e engrenam... sexualmente, atraindo o olhar e a ação táctil do espectador para toques, carícias e leves trações, que põem em movimento sua intransigente lógica do inesperado.

Conheça as obras do artista

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: