dcsimg

Protozooses: 2. Amebíase

Equipe Passeiweb

Entamoeba histolytica
A amebíase (ou disenteria amebiana) é uma infecção causada pela Entamoeba histolytica, parasita celular, uma das formas mais primitivas de protozoário, sendo a segunda principal causa de morte por parasita em todo o mundo.

Esse parasita pertence a um grupo maior de amebas, da família Entamoebidae, que são parasitas comuns da nossa espécie. Integra o grupo das Entamoebas,
ou amebas interiores, porque geralmente são encontradas no interior de animais vertebrados. São protozoários que se locomovem por meio de expansões citoplasmáticas resultantes de modificações na membrana celular, os pseudópodes (do grego pseudo = falso, e podos = pé).

Pode atuar como comensal ou provocar invasão de tecidos, originando, assim, as formas intestinal e extra-intestinal da doença. O quadro clínico varia de uma diarréia aguda e fulminante, de caráter sanguinolento ou mucóide, acompanhada de febre e calafrios, até uma forma branda, caracterizada por desconforto abdominal leve ou moderado, com sangue ou muco nas dejeções. Pode ou não ocorrer períodos de remissão. Em casos graves, as formas trofozoíticas se disseminam através da corrente sanguínea, provocando abcesso no fígado (com maior frequência), nos pulmões ou no cérebro. Quando não diagnosticadas a tempo, podem levar o paciente ao óbito.

A pessoa pode contrair amebíase ao colocar qualquer coisa na boca que tocou em fezes de alguém infectado pela E. histolytica. Pode ainda engolir algo, como água ou comida, que esteja contaminado com E. histolytica. Ou também levar à boca cistos (ovos) de E. histolytica obtidos de superfícies contaminadas.

O estágio ativo (o trofozoíta) existe somente no hospedeiro e em fezes frescas; os cistos sobrevivem fora do hospedeiro na água, nos solos e em alimentos, nestes últimos, especialmente em condições de umidade. Quando engolidos causam infecções por encistamento (no estágio trofozoíta) no trato digestivo.

Os cistos, com 15 micrómetros, são formas resistentes expelidas com as fezes de pessoas infectadas. Após ingestão de água ou alimentos contaminados, a passagem pelo ambiente ácido do estômago induz a sua transformação já no intestino numa forma amébica que rapidamente se divide em oitos trofozoitos, também amébicos. Os trofozoitos aderem fortemente ao meio, multiplicando-se e causando doenças, e em alguns casos transformam-se em formas císticas, que não aderem à mucosa e são espelidas pelas fezes.

CICLO




>> AINDA SOBRE Protozooses

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: