dcsimg

Protozooses: 1. Quadro-resumo

Página 3 Pedagogia & Comunicação | Equipe Passeiweb

São doenças causadas por organismos unicelulares pertencentes ao grupo dos protistas.

Os protistas são heterótrofos e podem ser encontrados praticamente em todos os ambientes. Existem tanto espécies de vida livre, quanto parasitas. Estas últimas são responsáveis pelas protozooses que veremos a seguir.

Parasitas são seres vivos que retiram de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência. Eles são considerados agressores, pois prejudicam o organismo hospedeiro através do parasitismo (Confira a aula sobre Relação dos seres vivos).
O parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais. Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita sucumbirá junto com seu hospedeiro, uma vez que, era através dele, que ele se beneficiava unilateralmente.

PROTOZOOSE CONTÁGIO e CICLO SINTOMAS e PREVENÇÃO
AMEBÍASE

Agente etiológico
Entamoeba histolytica
(ameba)

Água ou alimentos contaminados com fezes, contendo os cistos da ameba.

CICLO: Os cistos ingeridos através da água ou alimentos contaminados chegam ao intestino humano, onde se desenvolvem em amebas adultas. A partir do intestino, as amebas podem migrar para o sistema sanguíneo e linfático, atingindo outros órgãos. As fezes do indivíduo doente contêm os cistos que podem novamente contaminar o ambiente.

Diarréia, dores abdominais, náuseas e vômitos. Se a ameba atingir outros órgãos podem ocorrer complicações, tais como abscessos hepáticos e hemorragia. O indivíduo contaminado pode não manifestar sintomas (assintomático).

PREVENÇÃO: Melhoria das condições de saneamento básico, adoção de medidas de higiene pessoal, higienização de alimentos e evitar beber água de fontes duvidosas e não tratadas.

DOENÇA DE CHAGAS

Agente etiológico
Trypanosoma cruzi

A forma mais comum de contaminação ocorre quando o tripanossomo penetra no organismo humano através da ferida provocada pela picada de percevejos (barbeiros) contaminados com o protozoário.

CICLO: Os barbeiros se contaminam com o tripanossoma quando se alimentam do sangue de mamíferos infestados. Os humanos se contaminam com o protista quando são picados por barbeiros infectados. Os tripanossomas são liberados junto às fezes do inseto, penetrando na circulação sanguínea através da ferida provocada pela picada. Os tripanossomas podem atingir outros tecidos ou órgãos. Ao atingir o coração, o parasita danifica as fibras musculares, prejudicando o funcionamento do órgão.

A fase aguda costuma ser assintomática, no entanto, febre, mal-estar e edemas podem ocorrer. Os sintomas da fase crônica dependem do órgão atingido e do grau da infestação. No caso do coração, podem ocorrer arritmias e aumento do volume do órgão.

PREVENÇÃO: Controle das populações de barbeiros, evitando o seu contato com humanos, e tratamento dos doentes.

MALÁRIA

Agente etiológico
Plasmodium sp. Mais de uma espécie de plasmódio pode provocar a malária, sendo que a gravidade de cada infestação é variável.

Através da picada de mosquitos do gênero Anopheles (mosquito-prego) contaminados pelo plasmódio.

CICLO: Os mosquitos do gênero Anopheles são os hospedeiros definitivos. Os plasmódios se reproduzem sexuadamente no interior de seu trato digestivo, originando um zigoto. O zigoto produz esporos que infestam o organismo do mosquito. Através da picada da fêmea, os esporos atingem a corrente sanguínea humana e migram até o fígado, onde se reproduzem. Os novos esporos penetram nas hemácias, que acabam por se romper, liberando-os na corrente sanguínea. Ao picar uma pessoa contaminada, o mosquito se contamina, fechando o ciclo.

A liberação dos esporos na corrente sanguínea ativa o sistema imunitário, provocando febre. Cada espécie de plasmódio tem um ciclo de vida com duração diferente, o que provoca diferenças nos períodos de febre. Também podem ocorrer dores de cabeça e no corpo, cansaço e pele amarelada.

PREVENÇÃO: Evitar o contato com o mosquito vetor através de medidas como o uso de repelentes e roupas protetoras em regiões endêmicas; e tratamento dos doentes.

LEISHMANIOSE
(Úlcera de Bauru)

Agente etiológico
Leishmania brasiliensis

Picada do mosquito-palha (ou birigui) contaminado com o protozoário.

CICLO: Mamíferos silvestres são os hospedeiros naturais do protozoário. Ao se alimentar do sangue contaminado, o mosquito-palha se infesta. Os humanos se contaminam através da picada do mosquito. Os protistas podem atingir as células cutâneas ou de outros tecidos e órgãos.

A infestação de células cutâneas provoca a chamada leishmaniose cutânea, caracterizada por feridas na pele. A infestação de outros tecidos ou órgãos provoca a leishmaniose visceral, que pode provocar dores e inchaço abdominal, anemia e febre.

PREVENÇÃO: Evitar o contato com o mosquito vetor através de medidas como o uso de repelentes e roupas protetoras em regiões endêmicas; e tratamento dos doentes.



>> AINDA SOBRE Protozooses

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: