dcsimg

Verminoses: 1. Quadro-resumo

Página 3 Pedagogia & Comunicação | Equipe PASSEIWEB
As verminoses são doenças causadas por vermes parasitas pertencentes aos grupos dos platelmintos e nematelmintos. A maioria pode ser evitada através da adoção de medidas de saneamento básico e de higiene pessoal.

Parasitas são seres vivos que retiram de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência. Eles são considerados agressores, pois prejudicam o organismo hospedeiro através do parasitismo (Confira a aula sobre Relação dos seres vivos).
O parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais. Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita sucumbirá junto com seu hospedeiro, uma vez que, era através dele, que ele se beneficiava unilateralmente.

VERMINOSE CONTÁGIO e CICLO SINTOMAS e PREVENÇÃO
ESQUISTOSSOMOSE ou XISTOSE
(Barriga d'água)


Agente etiológico

Schistosoma mansoni, Schistosoma haemotobium ou Schistosoma japonicum (platelmintos pertencentes à classe Trematoda)
Penetração da larva cercária através da pele.

CICLO: O esquistossoma tem o homem como hospedeiro definitivo e caramujos (Biomphalaria sp.) de água doce como hospedeiro intermediário. Quando as fezes humanas contaminadas com ovos atingem a água, um estágio larval, chamado miracídio, se desenvolve. O miracídio penetra no caramujo, onde ocorre a reprodução assexuada e a formação de esporocistos. Os esporocistos dão origem a outro tipo de larva, a cercária, que abandona o caramujo atingindo a água. O homem se contamina com a cercária ao andar descalço na beira de lagos ou áreas de solo úmido contaminado. As larvas perfuram a pele e penetram na corrente sanguínea, atingindo o intestino e o fígado, no interior dos quais se desenvolvem e se reproduzem sexuadamente, originando novos ovos e fechando o ciclo.
Na fase aguda pode ocorrer febre, dores de cabeça e abdominais, diarréia, vômitos, entre outros. Na fase crônica, diversos órgãos podem ser atingidos, tendo seu funcionamento prejudicado. O rompimento de células e tecidos provoca a liberação de fluídos na cavidade abdominal, provocando o inchaço dessa região, vindo daí o nome barriga d'água.

PREVENÇÃO: Medidas de saneamento básico, medidas de higiene pessoal e controle da população de caramujos.
ANCILOSTOMOSE
(Amarelão)


Agente etiológico

Ancylostoma duodenale e Necator americanus (vermes do grupo nematelmintos)
Penetração da larva através da pele e mucosas ou através da ingestão de água ou alimentos contaminados.

CICLO: Após penetrar no corpo humano, as larvas caem na corrente sanguínea e sofrem diversas transformações até chegar ao sistema digestivo. No interior do intestino, atingem o estágio adulto e se reproduzem, liberando ovos que serão eliminados através das fezes. Os vermes adultos se fixam na parede do intestino, provocando pequenas lesões e se alimentando do sangue do hospedeiro.
A penetração da larva pode provocar coceira, ardência e edemas. A instalação do verme no intestino pode causar dor abdominal, náuseas, vômitos, diarréias e anemia.

PREVENÇÃO: Medidas de saneamento básico e higiene pessoal, evitar contato com solos úmidos apropriados ao desenvolvimento da larva, através, por exemplo, do uso de calçados.
ASCARIDÍASE
(Lombriga)


Agente etiológico

Ascaris lumbricóides (lombriga)
Ingestão dos ovos do verme através das mãos, água ou alimentos contaminados.

CICLO: Os ovos ingeridos atingem o intestino, originando larvas que migram para a corrente sanguínea. Através da circulação, as larvas atingem diversos órgãos, nos quais podem provocar lesões. Ao chegar aos pulmões, as larvas migram pelo sistema respiratório até atingir a faringe. Da faringe elas podem ser expelidas para a boca e, em seguida deglutidas. Desta forma, atingem novamente o sistema digestivo. No interior do intestino, as larvas se desenvolvem em adultos e se reproduzem. Seus ovos são liberados com as fezes, fechando o ciclo.
Lesões nos órgãos afetados. Ao atingir os pulmões, as larvas podem causar bronquite, febre e pneumonia. A presença dos vermes no aparelho digestivo pode causar dores abdominais, diarréias, vômitos e náuseas. No caso de um grande número de vermes, pode ocorrer a obstrução ou perfuração intestinal.

PREVENÇÃO: Medidas de saneamento básico e de higiene pessoal, consumo, de água tratada e alimentos bem lavados.
TENÍASE e CISTICERCOSE

Agente etiológico

Taenia saginata e Taenia solium (vermes do grupo nematelmintos)
Ingestão de carne de boi (Taenia saginata) e de porco (Taenia solium) contendo larvas de tênia.

CICLO: No interior do intestino humano as tênias se reproduzem produzindo uma grande quantidade de ovos. As proglótides fecundadas ou os próprios ovos são eliminados com as fezes. Os ovos liberados no ambiente podem contaminar o capim dos pastos, alimentos e fontes de água. Por fim, podem ser ingeridos pelos hospedeiros intermediários. Dentro do intestino do hospedeiro intermediário os ovos eclodem, liberando uma larva chamada de oncosfera. A oncosfera possui ganchos em sua região apical e com eles perfura a parede intestinal, atingindo a corrente sanguínea. Uma vez na corrente sanguínea, a oncosfera migra para os músculos estriados, onde se instala e se transforma numa segunda forma, chamada cisticerco. O cisticerco é um pequeno verme que possui o escólex recoberto por uma vesícula.
Quando o homem se alimenta de carne bovina ou suína mal cozida, ele pode ingerir o cisticerco. Uma vez no intestino humano, a vesícula que recobre o escólex do cisticerco é digerida e este se fixa na parede intestinal. O cisticerco se desenvolve originando a tênia adulta, fechando o ciclo.
Os sintomas da teníase incluem diarréia, dores abdominais, vômitos, cansaço, perda de peso, fome excessiva ou falta de apetite. Porém, em muitos casos, a pessoa infectada não apresenta sintomas. O diagnóstico é feito através da observação dos sintomas e de exames de fezes para detectar a presença de proglótides ou ovos do parasita. O tratamento é realizado através de medicamentos que provocam paralisia muscular e a morte dos parasitas. Uma doença mais grave é a cisticercose. Ela ocorre quando o homem ingere os ovos da tênia suína e passa a ter o papel de hospedeiro intermediário. O cisticerco pode se desenvolver em tecidos de órgãos como olhos, coração, cérebro e pulmões. Os sintomas dependem do local onde o cisticerco se instala, e incluem desde dores de cabeça, dificuldade de locomoção, até convulsões e cegueira. Se não diagnosticada e devidamente tratada, a cisticercose pode comprometer órgãos vitais e levar à morte. O diagnóstico da cisticercose é realizado através de exames de imagem, tais como raio X, tomografia e ressonância magnética, ou através de testes imunológicos. O tratamento é realizado através de medicamentos que matam o cisticerco.

PREVENÇÃO: Saneamento básico e educação sanitária.
Ingestão de carnes de boi e porco bem cozidas.


>> AINDA SOBRE Verminoses

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: