dcsimg

Viroses: 01. Quadro-resumo

Página 3 Pedagogia & Comunicação | Equipe Passeiweb


O que diferencia os vírus de todos os outros seres vivos é que eles são acelulares, ou seja, não possuem estrutura celular. Assim, não têm a complexa maquinaria bioquímica necessária para fazer funcionar seu programa genético e precisam de células que os hospedem.

Todos os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios. Atuando como um "pirata" celular, um vírus invade uma célula e assume o comando, fazendo com que ela trabalhe quase que exclusivamente para produzir novos vírus.

Parasitas são seres vivos que retiram de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência. Eles são considerados agressores, pois prejudicam o organismo hospedeiro através do parasitismo (Confira a aula sobre Relação dos seres vivos).
O parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais. Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita sucumbirá junto com seu hospedeiro, uma vez que, era através dele, que ele se beneficiava unilateralmente.


A infecção viral geralmente causa profundas alterações no metabolismo celular, podendo levar à morte das células infectadas. Vírus causam doenças em plantas e em animais, incluindo o homem. Fora da célula hospedeira, os vírus não manifestam nenhuma atividade vital: não crescem, não degradam nem fabricam substâncias e não reagem a estímulos. No entanto, se houver células hospedeiras compatíveis à sua disposição, um único vírus é capaz de originar em cerca de 20 minutos, centenas de novos vírus.

Principais viroses humanas:

VIROSE TRANSMISSÃO SINTOMAS
DENGUE
Leia mais...

Agente etiológico

Variedades de vírus pertencentes ao gênero Flaviridae

Através da picada do Aedes aegypiti contaminado pelo vírus.

PREVENÇÃO: Eliminar os focos do mosquito. A fêmea coloca seus ovos em locais contendo água limpa e parada. Então, evitar acúmulo de água em vasos, restos de lixo, entre outros, auxilia no controle da propagação do vetor.

Podem ser diferentes, dependendo da variedade do vírus e se a pessoa já contraiu a doença anteriormente - ou pode também ser assintomática. Os sintomas mais comuns são: dor de cabeça, dor no corpo, dor na região atrás dos olhos, manchas vermelhas na pele, cansaço e mal-estar. No caso de uma variedade mais grave, a dengue hemorrágica, a coagulação sanguínea é prejudicada, ocasionando hematomas e hemorragias.
VARÍOLA
Leia mais...

Agente etiológico

Orthopoxvirus variolae

Através de gotículas de saliva, contato direto, objetos contaminados (copos, garfos etc).

PREVENÇÃO: Aplicação de vacina antivariólica a partir dos 8 meses de idade. Apesar de ainda constar como compulsória, a vacinação antivariólica já não é realizada com regularidade, pois a doença é considerada erradicada. Na eventualidade de surgir algum caso ou suspeita de contágio, há tempo para se fazer a vacina protetora.

As primeiras manifestações da varíola são febre, dor de cabeça, moleza, dores lombares, dor nas pernas e vômitos. Passada essa fase, começa a erupção cutânea, à primeira vista semelhante à da catapora. As erupções surgem na cabeça e vão descendo pelo resto do corpo; inicialmente, são manchas, em seguida transformam-se em vesículas de tamanho irregular e cheias de pus. Depois de secas, as vesículas ficam se cobertas por ima crosta que cai dentro de 10 dias, deixando cicatrizes profundas.
FEBRE AMARELA
Leia mais...

Agente etiológico

Gênero Flavivirus

Através da picada do mosquito Aedes aegypti, que se contamina ao picar um homem ou outro mamífero contaminado. o vírus é introduzido juntamente com a saliva do mosquito; dissemina-se pelo corpo através do sangue e instala-se no fígado, baço, rins, medula óssea e gânglios linfáticos.

PREVENÇÃO: Vacinação com linhagem de vírus atenuada (vírus vivos). Eliminação do mosquito Aedes, vetor da doença.

Os principais sintomas da febre amarela - febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarréia aparecem, em geral, de três a seis dias após a picada (período de incubação). Aproximadamente metade dos casos da doença evolui bem. Os outros 15% podem apresentar, além dos já citados, sintomas graves como icterícia, hemorragias, comprometimento dos rins (anúria), fígado (hepatite e coma hepático), pulmão e problemas cardíacos que podem levar à morte. Uma vez recuperado, o paciente não apresenta seqüelas.
SARAMPO
Leia mais...

Agente etiológico
Gênero Morbillivirus

Através de gotículas de saliva. O vírus é transmitido por contato com o doente ou por objetos contaminados. O vírus penetra pela mucosa das vias respiratórias, cai na corrente sangüínea e se dissemina por diversas partes do corpo.

PREVENÇÃO: Vacinação com vírus vivo de linhagem atenuada.

Os primeiros sintomas do sarampo são semelhantes aos de uma gripe: durante 4 ou 5 dias, a criança tem febre alta, tosse, mal-estar e fica com os olhos vermelhos. O diagnóstico só é possível ao se encontrar na boca, na altura do segundo molar, uma série de manchinhas brancas (manchas de Koplik) e manchas vermelhas irregulares na abóboda palatina e na garganta (exantema). Depois desses sintomas, as manchas vermelhas (exantemas) surgem atrás da orelha, espalhando-se em seguida pelo rosto, pescoço, tronco e membros. Com o aparecimento da erupção costumam se atenuar os sintomas anteriores, embora persistam a tose e a irritação dos olhos, que ficam muito sensível à luz. Durante toda a doença, há acentuada queda do apetite e mal-estar geral. As manchas começam a sumir 5 dias depois da primeira erupção, na ordem em que aparecem.
POLIOMIELITE
Leia mais...

Agente etiológico

Gênero Poliovírus (sorotipos 1, 2 e 3)

Forma de transmissão "incerta". Acredita-se que o vírus penetre pela boca e se multiplique primeiro na garganta e nos intestinos. Daí dissemina-se pelo corpo, através do sangue.

PREVENÇÃO: Vacina Sabin, aplicada a partir dos 2 meses de idade.

Os primeiros sinais da poliomielite são os comuns a todas as infecções: prostração, febre e dor de cabeça. podem aparecer também vômitos, prisão de ventre ou diarréia leve, dores nas pernas e vermelhidão na garganta. O sintoma característico da doença, contudo, é a dificuldade da criança de colocar a testa no joelho ou de dobrar a cabeça a ponto de colocar o queixo no peito. Se o vírus atingir as células nervosas ele as destrói, o que causa paralisia e atrofia da musculatura esquelética, geralmente das pernas.
PAROTIDITE (Caxumba)
Leia mais...

Agente etiológico

Gênero Paramyxoviridae

Gotículas de saliva, contato direto, objetos contaminados (copos, garfos etc).

PREVENÇÃO: Vacina ‘tríplice viral’, que deve ser administrada aos 15 meses de idade.

O que permite diagnosticar a enfermidade, é a inchação e a dor que se produzem em uma e depois nas duas glândulas parótidas, situadas abaixo e também um pouco adiante e atrás das orelhas, o que da o aspecto característico. Ao examinar na face interna da bochecha o ponto em que desemboca o canal de Stenon, que é o que leva a saliva, da parótida à boca, observa-se que essa saliência é avermelhada. A quantidade de saliva , da parótida pode estar diminuída ou aumentada. Às vezes a inflamação pode atingir outras glândulas salivares tais como submaxilares e sublinguais. O vírus ataca normalmente as glândulas salivares parótidas, podendo, entretanto, localizar-se nos testículos, ovários, pâncreas e cérebro.
RAIVA
Leia mais...

Agente etiológico

Gênero Lyssavirus

Pela mordedura de animal infectado, geralmente o cão ou morcego.

PREVENÇÃO: Vacinação dos cães, eliminação dos cães de rua, vacinação de pessoas mordidas por cães desconhecidos ou com suspeita de portar a doença.

O vírus penetra pelo ferimento da mordedura juntamente com a saliva do cão. Atinge o sistema nervoso central, onde se multiplica, causando danos irreparáveis ao sistema nervoso.
ENCEFALITES VIRAIS

Agente etiológico
Podem ser causadas por uma variedade de conflitos: raiva, vírus HIV.

Picada de mosquitos e de carrapatos. O vírus é introduzido na corrente sangüínea pela picada do artrópodo portador. Atinge as células do cérebro,onde se reproduz.

PREVENÇÃO: Combate aos artrópodos vetores. Não existem vacinas.

Os sintomas da encefalite são parecidos com os sintomas da gripe, são: dor de cabeça, febre, dor muscular, mal-estar, sonolência e tremores em algumas regiões do corpo. Essa doença pode causar alguns estragos a nível cerebral que podem ser vistos com estes sintomas: mudança na personalidade, falta de clareza nos pensamentos e movimentos violêntos e involuntários do corpo.
RUBÉOLA
Leia mais...

Agente etiológico

Gênero Rubivirus

O contágio é feito pela respiração do ar contaminado por vírus, e se dá de 7 dias antes a 5 dias depois do aparecimento de manchas vermelhas na pele. O período de incubação da doença é de 16 a 18 dias.

PREVENÇÃO: A vacina oferece bom grau de proteção. As meninas devem recebê-la obrigatoriamente antes da adolescência, para evitar riscos numa futura gravidez.

Inicia-se com fracas dores de cabeça, febre baixa, aumento das glândulas do pescoço, ocorrendo, em seguida, o exantema com manchas vermelhas por todo o corpo. Em geral é doença benigna da infância. Pode ser muito grave em gestantes nos primeiros meses. A forma mais leve de rubéola provoca erupções avermelhadas na pele, que desaparecem depois de 2 ou 3 dias, sem qualquer outro sintoma. Em outros casos, a erupção é mais intensa e precedida por febre, mal-estar, aumento dos gânglios localizados atrás das orelhas e na nuca e eventualmente tosse, sendo fácil confundir a doença com sarampo.
GRIPE SUÍNA
Leia mais...

gente etiológico

Influenza A (variante do víruas H1N1)

A gripe de origem suína não é contraída pela ingestão de carne de porco, mas por via aérea, de pessoa para pessoa. Isso porque, de acordo com os Centros de Controle de Enfermidades dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), a temperatura de cozimento (71º Celsius) destrói os vírus e as bactérias presentes na carne de gado suíno.

PREVENÇÃO: Cobrir o nariz e boca com tecido ao espirrar ou tossir. Deve-se jogar o tecido no lixo após o uso. Lavar freqüentemente as mãos com sabão líquido e água, principalmente depois de tossir ou espirrar. Evitar tocar a boca, olhos e nariz, pois são as vias de entrada do vírus da gripe. Evitar contato próximo com alguém com gripe suína. Caso esteja doente, fique em casa, a não ser para atendimento médico, até pelo menos 1 dia depois da febre desaparecer sem ajuda de medicamentos. Evite contato com outras pessoas.

Os sintomas da gripe suína são similares aos da gripe comum, porém mais agudos. Segundo o Ministério da Saúde, é comum o paciente apresentar febre acima de 39 graus, acompanhada de problemas como tosse e dores de cabeça, nos músculos e nas articulações.
HEPATITE INFECCIOSA A, B ou C
Leia mais...

Agente etiológico

VHA, VHB e VHC

Contaminação de água e objetos por fezes de indivíduos contaminados. "Supõe-se" que moscas transportem o vírus de fezes contaminadas para alimentos, água e objetos. O vírus se multiplica no fígado, causando destruição de células hepáticas.

PREVENÇÃO: Medidas de saneamento; fiscalização dos manipuladores de alimentos. A injeção de gamaglobulina, extraída de soro sangüíneo humano, pode conferir proteção temporária.

O diagnósticos nas formas sub-clínicas é difícil por causa dos sintomas pouco marcados, como mal estar, pequeno aumento da temperatura, nas formas mais graves, inicialmente, há um aumento de temperatura de 40-45 graus C., sede, o cão fica triste e apático, às vezes vômitos e diarréia, as amígdalas podem apresentar-se inchadas, as mucosas odem estar pálidas, com pequenas hemorragia, apresenta-se também conjuntivite a fotofóbia (medo a luz).
HERPES

Agente etiológico

Herpes Simplex 1 e 2

Contato direto com herpéticos na fase de manifestação da doença (beijo, por exemplo). Beber água no mesmo copo de uma pessoa portadora do vírus também facilita o contágio. A pessoa também pode se contaminar apenas estando em um ambiente onde há alguém com o vírus.

PREVENÇÃO: Evitar contato direto com herpéticos em fase de manifestação da doença. Produtos capazes de abortar a manifestação herpética, quando ingeridos aos primeiros sinais de uma possível infecção.

O tipo I, mais frequente, desenvolve lesões na pele e na boca; o tipo II ou herpes genital é DST. Nos dois surgem pequenas bolhas, que se ulceram, havendo a seguir a cicatrização da pele, sem dar sinal da manifestação do vírus. Estes podem ficar latentes por muito tempo, até voltarem a se manifestar.
CATAPORA

Agente etiológico

Varicela-Zoster
Leia mais...

Gotículas de saliva, contato direto, objetos contaminados (copos, garfos etc).

PREVENÇÃO: A vacinação é recomendada para crianças a partir de um ano, a adolescentes e adultos com baixa imunidade ou que passarão por tratamentos de quimioterapia e radioterapia.

Os primeiros sintomas são febre , mal-estar, inapetência, dor de cabeça, cansaço. De 24 a 48 horas mais tarde, surgem lesões de pele caracterizadas por manchas avermelhadas que dão lugar a pequenas bolhas ou vesículas cheias de líquido que posteriormente formarão crostas, e que provocarão muita coceira.
AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)

Agente etiológico

HIV

Através do contato por sangue, sêmen ou secreções vaginais. Isso ocorre pelo ato sexual, pela recepção de sangue contaminado, pelo uso de seringas ou agulhas contaminadas, de mãe para filho durante a vida uterina ou na hora do parto, ou ainda por transplante de órgãos.

PREVENÇÃO: Usar preservativo, não utilizar seringas ou agulhas não esterilizadas e, se precisar de sangue ou fatores do plasma, certifique-se que procede de bancos de sangue que fazem o teste da AIDS.

Ataca células do sistema imunológico, responsável pelo reconhecimento e combate dos agentes estranhos (bactérias, vírus etc.) que invadem o organismo. A principal célula atacada é o linfócito T4 (ou CD4). Devido a deficiência do sistema imunológico, os aidéticos, estão sujeitos a infecções por germes chamados oportunistas, que não causam problemas à pessoas com saúde normal. Além disso, são mais propensos a desenvolver alguns tipos raros de câncer como o sarcoma de Kaposi. Essas infecções terminam por debilitar a saúde do paciente e até mesmo levá-lo a morte.


Leia mais sobre VIROSES...



Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: