Ecstasy

  • Data de publicação

O princpio ativo do ecstasy o mesmo do LSD, a metilenodioxidometaanfetamina (MDMA). Sua forma de consumo por via oral, atravs da ingesto de um comprimido. Os usurios normalmente consomem o ecstasy com bebidas alcolicas, o que intensifica ainda mais o efeito e agrava os riscos.

Efeitos

Os principais efeitos do ecstasy so uma euforia e um bem-estar intensos, que chegam a durar 10 horas. A droga age no crebro aumentando a concentrao de duas substncias: a dopamina, que alivia as dores, e a serotonina, que est ligada a sensaes amorosas. Por isso, a pessoa sob efeito de ecstasy fica muito socivel, com uma vontade incontrolvel de conversar e at de ter contato fsico com as pessoas. O ecstasy provoca tambm alucinaes.

Os malefcios causados pela droga ao corpo do usurio so ressecamento da boca, perda de apetite, nuseas, coceiras, reaes musculares como cimbras, contraes oculares, espasmo do maxilar, fadiga, depresso, dor de cabea, viso turva, manchas roxas na pele, movimentos descontrolados de vrios membros do corpo como os braos e as pernas, crises bulmicas e insnia.

A principal causa de bitos dos consumidores da droga o aumento da temperatura corprea que ele provoca no usurio. A droga causa um descontrole da presso sangnea, que pode provocar febres de at 42 graus. A febre leva a uma intensa desidratao que pode causar a morte do usurio do ecstasy. Associado a bebidas alcolicas, o ecstasy pode provocar um choque crdio-respiratrio.

Histrico

O ecstasy uma droga relativamente nova e, diferentemente de drogas como a cocana e a maconha, s foi sintetizada pela primeira vez j neste sculo. A primeira notcia que se tem da droga de 1912, quando foi sintetizada pela primeira vez por um laboratrio alemo. Sua primeira utilidade foi medicinal, em sesses de psicoterapia, e como um inibidor de apetite.

Curiosidade

O ecstasy conhecido com a "Plula do Amor", j que aumenta a concentrao de um neurotransmissor (substncia responsvel pela comunicao entre os neurnios) chamado serotonina. A serotonina est intimamente ligada s sensaes amorosas.

Dependncia

Ainda no h evidncias de que o ecstasy provoque dependncia fsica, contudo ainda cedo para afirmar que isso no acontecer. Mais estudos so necessrios. Vrias vezes na histria da medicina uma substncia inicialmente considerada incua mostrou-se, com o tempo, que era na verdade nociva. J encontramos na literatura especfica relatos de casos compatveis com dependncia ao ecstasy.

Problemas clnicos resultantes

H quatro tipos bsicos de toxicidade fsica causada pelo ecstasy. A hipertermia, neurotoxicidade, cardiotoxicidade e hepatotoxicidade.

A hepatotoxicidade a leso heptica (fgado) provocada pelo ecstasy, que se manifesta clinicamente como uma leve hepatite viral na qual o paciente fica ictrico (amarelado) com o fgado aumentado e amolecido com uma tendncia a sangramentos. A toxicidade, no entanto, pode ser bem mais grave evoluindo para uma hepatite fulminante que resulta em fatalidade caso no se possa fazer um transplante.

A cardiotoxicidade caracterizada por aumento da presso arterial e acelerao do ritmo cardaco. Esses efeitos podem levar a sangramentos por ruptura dos vasos sanguneos. Essas alteraes tm sido registradas pelo quadro clnico e pela anlise necropsial, encontrando-se petquias no crebro, hemorragias intracranianas, hemorragias retinianas, tromboses, srias alteraes eltricas no corao.

Toxicidade cerebral

Ainda no h estudos suficientes, mas parece que o ecstasy provoca elevao da temperatura corporal o que agravado pela situao em que usado, nas danceterias onde h grande atividade fsica. A exagerada elevao da temperatura corporal pode provocar diversas leses pelo corpo de acordo com a sensibilidade de cada tecido. O prprio tecido cerebral dos mais sensveis podendo sofrer leses desse superaquecimento. Convulses tambm j foram relatadas pelo uso do ecstasy.

Hiperpirexia (hipertermia)

Este provavelmente o pior efeito indesejvel do ecstasy, apesar de ser parte da toxicidade cerebral, relatada parte para maior destaque de sua importncia. O aquecimento do corpo pode levar a rabdomilise (leso dos tecidos musculares) que quando acontece de forma simultnea leva a um "entupimento" dos rins o que pode danific-los permanentemente. Coagulao intravascular disseminada: um efeito extremamente grave que geralmente leva a morte, mesmo quando o paciente j se encontra internado. O tratamento feito com resfriamento rpido atravs de imerso em gua gelada, infuso de soluo salina resfriada e lavagem gstrica com lquidos frios.

Mais efeitos no corpo humano

Fgado - Causa mau funcionamento do fgado e excesso de blis no sangue, o que deixa a pessoa amarelada.

Rins - Estimula um hormnio antidiurtico chamado ADH. Apesar do aumento da sede, a pessoa pra de urinar e no consegue transpirar na mesma velocidade em que bebe gua. rara, mas a overdose de gua pode levar morte.

Crebro - Depresso, ansiedade e sndrome do pnico por causa dos danos causados nas clulas nervosas. Se a pessoa tiver predisposio para esses males, a ocorrncia pode ser imediata. Destruio de neurnios tambm pode causar problemas de memria e ateno.

Boca - Enquanto a droga faz efeito, h forte ranger de dentes. Em alguns casos, eles podem at quebrar. Se a pessoa usa freqentemente a droga, pode desenvolver bruxismo, que o ranger constante. Os dentes se desgastam.

Metabolismo - H aumento excessivo da temperatura do corpo, o que destri enzimas e prejudica o funcionamento de vrios rgos.

Msculos - A queda na concentrao de sdio prejudica o funcionamento de msculos e neurnios. Isso ocorre porque, ao transpirar em excesso e s beber gua, a pessoa no repe os sais perdidos no suor.

Corao - Aumenta em at 40% os batimentos, o que pode desencadear problemas cardacos.

Fontes: Brasil Escola | poca

Comentários

Siga-nos:

Confira no Passeiweb

  • O primeiro voo do Homem no espaço

    Em 12 de abril de 1961 o homem decolava, pela primeira vez, rumo ao espaço. Em 2011, no aniversário de 50 anos deste fato, ocorreram comemorações no mundo inteiro e, principalmente, na Rússia.
  • Tsunami

    Tsunami significa "onda gigante", em japonês. Os tsunamis são um tipo especial de onda oceânica, gerada por distúrbios sísmicos.
 

Instituições em Destaque

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo:
 
 
 
-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: