dcsimg

Pernambuco: 3. Região: Agreste

  • Data de publicação
Colaboração

É a região intermediária entre a Mata e o Sertão. Caracteriza-se por uma economia diversificada, com o cultivo de lavouras como milho, feijão, mandioca, entre outras, e pecuária leiteira e de corte. Principal bacia leiteira do Estado, o Agreste tem índices pluviométricos maiores que os do Sertão, com média anual entre 800 e 1000 milímetros, mas também é uma região sujeita a secas periódicas.

Está dividida em seis microrregiões, que veremos a seguir: Vale do Ipanema, Vale do Ipojuca, Alto Capibaribe, Médio Capibaribe, Garanhuns e Brejo Pernambucano. Tem, em geral, solos rasos, já erodidos e depauperados e presta-se para o cultivo de cereais.

Vale do Ipanema

Situada no Agreste pernambucano, ocupa uma área de 5.274 km2, é formada por 06 municípios, apresenta clima semi-árido, com temperaturas elevadas, chuvas escassas e mal distribuídas e rios temporários.

A economia da microrregião tem como base a pecuária extensiva (nos vastos pediplanos) e menos extensiva em algumas áreas, além de lavouras de subsistência. Os municípios mais populosos são Águas Belas e Buíque (foto ao lado).

Vale do Ipojuca

Composta por 16 municípios, é a microrregião do Agreste pernambucano que possui estrutura urbana mais consolidada, com razoável dinamismo no setor industrial e comercial, sobressaindo-se a cidade de Caruaru, que é a maior cidade do interior do Estado e um centro comercial de importância interregional. As maiores indústrias, com destaque para os setores de alimentos e confecções, estão nos municípios de Caruaru, Pesqueira e Belo Jardim.

A microrregião tem atividades agrícolas diversificadas, destacando-se as culturas de tomate, beterraba, cenoura, repolho, alface, pimentão e outras, sobretudo nas áreas de brejo, onde se sobressaem os municípios de Brejo da Madre de Deus e Gravatá (foto acima).

Alto Capibaribe

É uma microrregião do Agreste pernambucano, formada por 09 municípios e tem uma área de 1.608 km2, equivalente a 1,63% do território estadual. A economia da maioria dos municípios depende de atividades rurais, com exceção de Santa Cruz do Capibaribe (foto ao lado) e Surubim que, juntos, detém quase 70% da taxa de urbanização da microrregião.

A cidade de Santa Cruz do Capibaribe desenvolveu, a partir dos anos 1970, uma atividade que nada tem a ver com a base econômica regional: é a confecção de vestuário, pruduzida através de inúmeras microempresas que geram renda e emprego para a maioria da população da cidade.

Médio Capibaribe

Localizada no Agreste do Estado, a microrregião tem área de 1.781 km2, onde estão situados 10 municípios, sendo Limoeiro o mais populoso. A atividade econômica de maior peso na microrregião é a pecuária mista, predominando em alguns municípios a pecuária de corte.

Na agricultura, prevalecem as lavouras de subsistência, como feijão, milho e mandioca. O município de Passira (foto ao lado) tem uma atividade produtiva diferenciada: são os bordados artesanais confeccionados pelas mulheres da cidade e que têm grande valor comercial no mercado pernambucano.

Garanhuns

Situada no Agreste pernambucano, a microrregião é formada por 19 municípios, tem área de 5.028 km2, equivalente a 5,11% do território estadual. Sua principal atividade econômica é a criação de gado de leite e de corte, pois é nessa microrregião que está a chamada bacia leiteira do Estado. A agricultura é baseada nas lavouras de subsistência e, nas áreas de brejo, aparecem também a cafeicultura, a fruticultura e hortaliças.

O comércio da microrregião é significativo, sobretudo nos municípios de Garanhuns (foto ao lado, entrada da cidade) e Lajedo. Além de sua importância comercial, Garanhuns desenvolve atividades ligadas ao turismo e ao lazer, em função do seu clima de baixas temperaturas.

Brejos Pernambucanos

Parte do Agreste pernambucano, essa microrregião é formada por 11 municípios, tem área de 2.462 km2, equivalente a 2,6% do território estadual. Ao lado de áreas onde predominam o clima semi-árido e vegetação de caatinga, a microrregião apresenta espaços que, devido à altitude e exposição aos ventos alísios do Sudeste, têm temperaturas mais amenas, maior pluviosidade e vegetação mais densa: essas áreas são os chamados Brejos.

As bases da economia estão na criação de gado, culturas de subsistência, além de fruticultura, hortaliças e cafeicultura desenvolvidas nas áreas de brejo. Os municípios mais populosos: Bonito, Panelas e Altinho (foto acima).

A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Undefined offset: 1

Filename: subjects/article.php

Line Number: 60

>> AINDA SOBRE Pernambuco

Comentários

Siga-nos:

Confira no Passeiweb

  • O primeiro voo do Homem no espaço

    Em 12 de abril de 1961 o homem decolava, pela primeira vez, rumo ao espaço. Em 2011, no aniversário de 50 anos deste fato, ocorreram comemorações no mundo inteiro e, principalmente, na Rússia.
  • Tsunami

    Tsunami significa "onda gigante", em japonês. Os tsunamis são um tipo especial de onda oceânica, gerada por distúrbios sísmicos.
 

Instituições em Destaque

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo:
 
 
 
-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: