dcsimg

Marrocos: 15. Principais cidades



As muralhas de Rabat
RABAT

Capital do Reino de Marrocos, possui uma população de 1.344.000 habitantes (incluindo Salé). Situada junto ao mar, na foz do Bu-Regreg, é a capital administrativa e política do Marrocos.

No local hoje ocupado por Rabat existiu a localidade de Chella, designada Sala Colonia pelos Romanos. No século XII, foi a capital do império almorávida. Nesta cidade ergue-se o Palácio Real. É a sede do governo, dos ministérios e da administração central. A cidade é dominada pela torre Hassan, com cerca de 44 metros de altura.

 


Medina de Fèz
FÈZ

É a mais antiga das cidades imperiais e é considerada por muitos o coração de Marrocos. A medina de Fèz el-Bali (a antiga Fèz) é uma das maiores cidades medievais do mundo e as portas e muros que cercam a cidade fazem desta uma das melhores atrações de todo o país.

Com a chegada dos alauitas (1664), voltou a ser capital até o ano de 1912, quando começou o protetorado francês. Nesta data Rabat virou a capital administrativa do país.

A cidade se divide em dois lados totalmente distintos. Fèz el-Bali ou, "Cidade Velha" e Fèz el-Jedid, "Cidade Nova".

Dentro da cidade velha, no meio das cerca 9.400 ruas e vielas, encontra-se a Medersa Bou Inania, universidade de Teologia construída em 1350, a mais antiga do mundo árabe-islâmico. Nas proximidades fica o souk de hena, um mercado especializado na tinta extraída desta planta, que as mulheres usam para colorir o cabelo e tatuar as mãos e os pés. A poucos metros da cidade murada fica Fèz el-Jedid, que abriga a comunidade judaica da cidade e alguns magníficos edifícios.


A torre da Mesquita de Koutoubia, em
Marrakesh
MARRAKESH

Fundada em 1062 pelo Sultão Almoravid Yousef Ibn Tachfin, foi no reinado de seu filho, Ali, que foram construidos os túneis que servem para irrigar os inúmeros jardins da cidade.

Marrakesh é uma das quatro cidades imperiais do Marrocos, que fascina os visitantes por suas cores contrastantes: o vermelho das casas, o verde das palmeiras, e o branco das montanhas do Alto Atlas.

Teve o privilégio de dar o seu nome a todo país. A cidade nasceu de uma "Kasbah" (acampamento) estabelecido pelo rei Almorávides Abou Bekr em 1070 num oásis entre as cordilheiras Atlas e perto do Sahara. Foi capital das dinastias dos Almorávides, dos Almohades (1146-1268) e dos Saadianos (1520-1668). Em 1912 foi ocupada pelas tropas francesas. A nova cidade foi fundada à 3 km da Medina em 1913.

Marrakech, devido à sua situação geográfica e pelos monumentos que tem, é um dos pontos turísticos mais importantes do Marrocos.

No centro do bairro antigo ergue-se a torre da mesquita Koutoubia construída em 1153, que é o símbolo da cidade. A torre tem uma altura de 77 metros.


Bab Mansour, em Meknès
MEKNÈS

A cidade de Meknès foi transformada em capital imperial pelo sultão alauita Moulay Ismael nos séculos XVII e XVIII. Ele mandou construir portas majestosas, estábulos, fontes, jardins, mesquitas, kasbashs, palácios e 25 km de muralhas ao redor da cidade. Ele também pessoalmente participou em algumas obras. Transformou a cidade numa autêntica maravilha. A cidade chegou a ser conhecida como "A Versalles do Marrocos". Com sua morte começou a decadência. Os seus sucessores levaram a capital para Fèz ou para Marrakech. E um terremoto, em 1755, fez muitos estragos na cidade.

Nove portas grandiosas, chamadas em árabe de "babs", cada uma com quatro grandes torres, dão acesso à velha cidade. A mais bela destas portas, Bab Mansour, foi concluída em 1732.


Vista aérea da cidade de Casablanca
CASABLANCA

Situada entre Fèz e Marrakech é a maior cidade do Marrocos. 10% dos habitantes do Marrocos moram nela. É a capital financeira, industrial e econômica do país.

A cidade foi destruída duas vezes pelos portugueses em 1468 e em 1515. Sessenta anos depois, os lusitanos reconstruíram a cidade com fortalezas e batizaram com o nome de Casa Branca.

Sidi Mohammed Bem Abdellah, sultão alauita, iniciou a sua reconstrução dando-lhe o nome de Dar el Beida. Os espanhóis que moravam desde o final do do séc. XVIII batizaram a cidade como Casablanca.

Esta cidade portuária esteve em sério declínio, até que os franceses decidiram fazer uma remodelação, construindo grandes avenidas, jardins públicos e imponentes edifícios mouriscos.

 


Vista parcial da cidade de Tânger
TÂNGER

Situada no ponto de encontro do Oceano Atlântico e o Mediterrâneo, Tânger domina o Estreito de Gibraltar. A sua proximidade da Europa, cerca 14 Km, permitiu-lhe ter, desde a Antigüidade, laços privilegiados com o continente.

Tânger já foi uma das metrópoles mais cosmopolitas do Mediterrâneo. Muitos europeus ainda vivem lá.

Entre 1923 e 1956, a cidade foi colocada em regime de administração internacional.

Tânger é a zona franca mais importante do Marrocos e a ponte de ligação da África com o continente europeu.

Por essas razões, Tanger mantém um forte influência internacional, tal como a sua fama de cidade de comerciantes desonestos e exilados estrangeiros.

>> AINDA SOBRE Marrocos

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: