dcsimg

Europa - Capitalismo mercantil


Tradicionalmente, considera-se que a Idade Média chegou ao fim em 1453, ano em que desapareceu o Império Bizantino, com a queda de Constantinopla nas mãos dos turcos otomanos. Mas é preciso ir com cuidado: essa é apenas uma data convencionada pelos historiadores para dividir dois períodos da história. Na verdade, a passagem da Idade Média para a Idade Moderna não resultou de um único acontecimento, mas de uma série de transformações, que mudaram de maneira profunda o mundo ocidental.

Entre essas transformações destacam-se o o surgimento do capitalismo mercantil, que aos poucos passou a dominar a economia européia, e a afirmação de uma nova classe social a ele ligada, a burguesia.

A Revolução Comercial atingiu sua maturidade no século XV e XVI, depois de ensaiar sua chegada ainda no século XIV, na Itália.

A indústria desenvolveu-se além dos quadros corporativos; a demanda crescente de mercadorias impulsionou um surto de invenções e desenvolvimento técnico. Aumentou com isso o volume de troca e conseqüentemente no aumento da circulação monetária, resultando assim na busca de metais preciosos dentro e fora da Europa.

O descobrimento da prata na América e o comércio oriental ampliaram a necessidade da moeda e impulsionaram os preços para cima, arruinando os que viviam apenas de foros e direitos feudais. Os senhores passaram a produzir para o mercado. Com a acumulação de capitais, as operações bancárias ganharam dimensões nacionais e internacionais. Tudo isso precisava se engrenar junto com as estruturas agrárias e políticas feudais e a luta pelos bens feudais e pelo poder contrapôs os príncipes e a Igreja: a Inglaterra de Henrique VII separou-se de Roma; a França adotou uma posição ambígua; os príncipes alemães rebelaram-se contra a Santa Sé e mesmo aliados do papa, como Carlos V, da Espanha, que invadiu Roma em 1527, desacatou a Igreja.

Com o capitalismo mercantil chegou também a possibilidade da construção de uma sociedade de indivíduos com direitos iguais, do ponto de vista econômico.

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: