dcsimg

Povos da Mesopotâmia: 1. Introdução

Equipe Passeiweb



Mapa cartográfico

Este mapa encontra-se sobre uma placa de argila com descrição em escrita cuneiforme. Data de 600 AC. (Museu Britânico)

O termo "Mesopotâmia" é de origem grega, e quer dizer "Terra Entre Rios". O nome é usado para as áreas banhadas pelos rios Eufrates e Tigre e seus afluentes, e a região compreende as terras do Iraque e de parte da Síria de nossos dias.

Durante o período mesolítico, quando as populações nômades iniciavam um processo lento de sedentarização, a região mesopotâmica começava a ser ocupada. Essas populações encontraram na Mesopotâmia uma região de solo fértil e propício para o desenvolvimento de atividades agrícolas, principalmente pela proximidade dos rios Tigre e Eufrates.

 

 

Ao sul da moderna cidade de Bagdad, as planícies aluviais destes dois rios eram chamadas de terras da Suméria e Acádia (Ácade) no Terceiro Milênio a.C., a cerca de 5 mil anos atrás. Suméria era a região mais ao Sul, enquanto que a Acádia corresponderia à área próxima a Bagdad, onde os rios Eufrates e Tigre estão muito próximos um do outro. No Segundo Milênio a.C., as duas regiões juntas foram chamadas de Babilônia, uma terra quase que totalmente plana. O território ao Norte, entre os rios Tigre e Grande Zab, era chamado de Assíria, e tem fronteira de montanhas.

Regiões Vizinhas

A região contendo a parte asiática da Turquia moderna chama-se Anatólia. Os países ao longo da costa do Mediterrâneo (os modernos Síria, Líbano, Jordânia e Israel) estendem-se para o Leste na direção do deserto sírio e ao Norte na direção da região que denominaremos Síria-Palestina. O Irã moderno é equivalente à Pérsia, e inclui a região sudoeste, que nos tempos antigos era chamada de Elam.

Da Mesopotâmia é que se têm o registro das primeiras civilizações, perto de 400 a.C. Neste período começa a estruturar-se o Estado, o surgimento da escrita,o desenvolvimento da economia comercial e a utilização da roda, nos veículos.Além do desenvolvimento de um complexo sistema hidráulico que favorecia a utilização dos pântanos, evitando as inundações e garantindo o armazenamento de água para os períodos de seca.

O desenvolvimento propiciou o crescimento nas cidades, algumas superando o número de 10 mil habitantes. As cidades também serviam de defesa militar, centralização do poder e controle das populações.

Visto que a maioria das cidades tinham muralhas, estas serviam de proteção e também de comando sob a população.

A região sempre esteve exposta a infiltrações estrangeiras, invasões e diversas dominações, que ao invés de interferirem negativamente em sua cultura, ao contrário aprenderam e adotaram muitos conhecimentos dos mesopotâmicos.

As civilizações antigas da Mesopotâmia são comumente chamadas de babilônicas, apesar da cidade de Babilônia não ter sido o centro de cultura do vale Mesopotâmico.

A escrita era a cuneiforme, que talvez tenha surgido até mesmo antes da hieroglífica dos egípcios. O fato é que as cerâmicas, tabuletas, com escrita cuneiforme fornecem muito mais informação dos que os papiros egípcios devido à sua conservação.

Apesar de atualmente não ser uma região muito especial, exceto pelo petróleo e os conflitos constantes, na época era um lugar muito privilegiado. Com cheias dos rios as terras eram fertilizadas pelo limo e húmus (material orgânico em decomposição). Os rios favoreciam a pesca e havia caça abundante e condições para criar animais nas margens dos rios.

O Estado e as desigualdades sociais

Havia a necessidade da construção de diques para conter violentas enchentes, devido a isso precisava-se de planejamento e estocagem da produção, por isso organizou-se o Estado, como um meio de administrar essas necessidades. Os governantes aproveitaram-se da situação para enriquecerem.

Assim, as terras, que antes eram comunais, passaram a ser do Estado e, com o tempo, as elites guerreiras tomaram as melhores terras que o governo controlava. Essa elite associou-se a sacerdotes e grandes comerciantes, formando a classe exploradora.

Historia da Mesopotâmia é marcada pela sucessão de guerras entre povos que disputavam as melhores terras para cultivo. Além disso, os exércitos usavam táticas de pilhagem e escravizavam outros povos. Entre esses povos destacam-se sumérios (ao sul, em solo mais fértil), acádios, amoritas (antigos babilônios), assírios e caldeus (novos babilônios) (esses ao centro e ao norte, em solo mais árido).

Veja o mapa da zona da antiga Mesopotâmia ("terra entre os rios") (Fonte: Museu Americano de História Natural - Central Park - Nova Iorque - EUA)

Dessa forma, vemos que a Mesopotâmia não era um só povo, mas sim um conjunto de povos que lutavam entre si pelo domínio das melhores terras.



>> AINDA SOBRE Povos da Mesopotâmia

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: