dcsimg

Europa - As Cruzadas


As cruzadas foram tropas ocidentais enviadas à Palestina para recuperarem a liberdade de acesso dos cristãos à Jerusalém. A guerra pela Terra Santa, que durou do século XI ao XIV, foi iniciada logo após o domínio dos turcos sobre os mulçumanos. Após domínio da região, os turcos passaram impedir ferozmente a peregrinação dos europeus, através da captura e do assassinato, de muitos peregrinos que visitavam o local unicamente pela fé.

Primeira Cruzada (1095 - 1099) - A Primeira Cruzada partiu da Europa, em 1096, depois de convocada por Urbano II em 1095, na cidade francesa de Clermont-Ferrand. Isso aconteceu em oposição ao impedimento da peregrinação dos europeus. Muitos camponeses foram a combate pela promessa de que receberiam reconhecimento espiritual e recompensas da Igreja; contudo, esta primeira batalha fracassou e muitos perderam suas vidas em combate.

Segunda Cruzada (1147 - 1149) - Como a situação dos cristãos era precária, em 1144 os muçulmanos reconquistaram Edessa. São Bernardo, em 1147, pregou na Europa a Segunda Cruzada. De Ratisbona, na Alemanha, partiram o imperador Conrado II e Luís VII da França. Chegaram a Antioquia e Acre, mas foi em vão que tentaram conquistar Damasco. Até então, o Califado do Oriente fora dirigido por soberanos turcos, que haviam adotado uma política conciliatória em relação aos cristãos. Mas o califa Nuredin foi substituído por seu Vizir, Saladino, que retomou a ofensiva contra os cristãos e ocupou Jerusalém em 1187.

Terceira Cruzada (1189 - 1192) - Essa Cruzada foi convocada em 1189. Frederico Barba-Ruiva, Ricardo Coração de Leão e Felipe Augusto se comprometeram a partir. Frederico morreu na Ásia Menor, enquanto Ricardo e Felipe, que vinham por mar, se desentenderam. Depois da tomada de Acre, Felipe regressou à França. Ricardo permaneceu na Palestina, chegando a vencer Saladino na Batalha de Arsuf, mas suas tropas estavam depauperadas, sem condições de sitiar Jerusalém. Ricardo fez então um acordo diplomático com Saladino e regressou à Europa.

Quarta Cruzada (1202 - 1204) - O malogro da terceira Cruzada causou grande impressão no Ocidente. Inocêncio III, que recém assumira o pontificado, pregou então a Quarta Cruzada, a partir de 1202. Esta cruzada não chegou a combater os muçulmanos, limitando-se a atacar e pilhar populações cristãs. Por esse motivo, seus participantes chegaram a ser excomungados por Inocêncio III.

Quinta Cruzada (1217 - 1221) - Esta Cruzada teve como chefes João de Brienne e Leopoldo VI da Áustria. A expedição tocou em Acre e depois avançou para o Egito, sem conseguir conquistá-lo.

Sexta Cruzada (1228 - 1229) - A Sexta Cruzada foi conduzida por Frederico II, da Alemanha; este, mediante negociações, entrou em acordo com o sultão de Bagdá, recebendo algumas concessões econômicas e o ´titulo de rei de Jerusalém.

Sétima e Oitava Cruzadas (1248 - 1250 e 1270) - Estas Cruzadas foram chefiadas pro Luís IX da França. Em 1248 o monarca desembarcou no Egito, onde foi feito prisioneiro. Libertado depois de pagar resgate, retomou a ofensiva em 1270 e desembarcou em Túnis, no Norte da África, onde morreu vitimado pela peste.

Durante algum tempo, os cristãos ainda reteriam certos pontos de apoio na Ásia. A última posição a cair nas mãos dos muçulmanos foi São João d'Acre, em 1291.

A realidade agrária feudal européia, que já estava em crise, iria entrar em um irreversível processo de desintegração.

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: