dcsimg

O surgimento da escrita (5) - O alfabeto: uma nova forma de escrita


Quando falamos da passagem da escrita ideográfica para a escrita alfabética, em que cada letra representa um som numa linguagem de letras que se combinam para formar palavras, não devemos falar de uma descoberta, mas antes de um lento processo evolutivo.

Muito embora não haja datas precisas, existem vestígios que apontam para que as primeiras tentativas de criar uma nova forma de escrever, mais rápida e fácil de aprender, tenham ocorrido entre o povo de Ugarit (Síria), que desenvolveu um alfabeto composto por vinte e cinco a trinta signos cuneiformes, e uma população da costa sírio-palestina (Fenícios), que compôs um alfabeto com vinte e duas letras.

Por onde quer que os Fenícios se fizessem deslocar (por razões comerciais), levavam consigo esta nova invenção, que acelerou todo o processo de criação dos sistemas de escrita. Deste modo, diferentes povos criaram para si, em conformidade com as suas próprias línguas, novos alfabetos.

Assim nasceu uma complexa família de alfabetos, de entre os quais se destacam o alfabeto etrusco, o cirílico, a escrita hebraica e a aramaica.

Ao que se sabe hoje, o alfabeto etrusco do século VIII, composto por vinte letras era semelhante a um alfabeto grego primitivo utilizado pelos Dórios da Sicília.

O alfabeto cirílico, do século X d. C., é uma adaptação do antigo alfabeto grego e foi adotado pelos povos eslavos da Rússia, Bulgária e Sérvia. As primeiras quarenta e três letras do alfabeto cirílico derivavam de combinações entre o hebraico e o grego do tempo de S. Cirilo (827-869).

Do alfabeto fenício do norte resultaram ainda duas formas de escrita semíticas: a hebraica antiga (quadrangular), no século V a. C., e a forma aramaica (a língua de Cristo), utilizada no século VI d. C.

A escrita quadrangular hebraica, base da escrita da cultura judaica, é composta por vinte e duas letras, que se inscrevem numa moldura retangular invisível, da direita para a esquerda.

Do aramaico derivaram uma série de escritas diversificadas, como por exemplo, a escrita arábica dos pastores nômades da Península Arábica. Este alfabeto é composto por vinte e nove letras.

Veja também: O surgimento da escrita | Os caracteres chineses | A Escrita Hieroglífica no Egito | A escrita cuneiforme da Mesopotâmia | O alfabeto: uma nova forma de escrita | Considerações finais

Fontes: UFRJ | Revista Temas



>> AINDA SOBRE O surgimento da escrita

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: