dcsimg

Dicas: 4. Faça uma boa redação

  • Data de publicação
Profª Odete Antunes

ENEM 2009, vestibulares, concursos... É importante que você saiba o que fazer na hora de elaborar o seu texto. Mas antes de começarmos, leia com atenção o texto abaixo:


Hermínio
Sargetim,
escritor
A escrita é um ato de imortalidade.
Ao escrever, o ser humano se inscreve na matéria e permanece sendo. Uma parcela dele adquire, assim, um caráter de perenidade.
O homem é hoje o que foi ontem, e será amanhã o que é hoje.
Ao escrever o seu hoje, que amanhã será passado, continuará presente.
(Hermínio Sargentim)


Legal, não é mesmo?! Então vamos ao que interessa.

A redação é parte integrante da prova do ENEM e da maioria dos examens vestibulares, na 1ª ou 2ª fase, por isso, é importantíssimo fazê-la corretamente.

Ao ter a prova nas mãos, lembre-se que a sua leitura e escrita estarão garantindo um melhor resultado no exame. A leitura será avaliada por meio da correta compreensão da proposta.

Uma proposta de redação não se resume ao tema, há um conjunto de pequenos textos, verbais (escrita) e não verbais (imagens e outros recursos) que constitui um contexto no qual está inserido (introduzido) o tema (assunto, proposição que se quer provar ou desenvolver/análise).

1. Deixar de ler ou mesmo ler de forma errada ou desatenta os textos, pode levá-lo a desenvolver um tema diferente do que foi proposto, o que implicará a desconsideração de seu mesmo. Toda a atenção faz-se necessária. É importante ainda saber que o desenvolvimento do texto deve ser na estrutura dissertativo-argumentativa (implica apontar razões para defender um opinião; convencer um receptor para que pense de determinada forma; descobrir soluções, organizar pensamentos, refletir sobre os mesmos e sobre o mundo que nos cerca e onde estamos situados, discutir idéias, estabelecer julgamentos, defender pontos de vista); caso contrário, a redação será desconsiderada. (Veja ainda Modalidades de Redação)

2. Lembre-se: o não-atendimento do que um tema determina resulta na desconsideração do texto, o que significa que a redação terá nota zero, como já citado.

3. Outro aspecto avaliado na redação é o da variedade lingüística utilizada. Para o desenvolvimento do tema proposto, é necessário o uso da língua escrita culta, ou, em outras palavras, do português escrito padrão, isto quer dizer, nada de emprego de gírias como “tipo assim”, “muita gente”, ”curtir um baratinho”, “cara”, "deu mó mole”, “bagulho”, “treta”... não se aventure a usar a linguagem do MSN , ORKUT ou outro(s) que são um meio de expressão perfeitamente aceitável nos diálogos travados pelos internautas ou por alguns personagens nos textos narrativos. O padrão culto da língua é utilizado para a circulação do saber e da informação.

4. Não utilize provérbios ou ditos populares. Uma dissertação costuma ser prejudicada pela má utilização de frases feitas, provérbios e ditos populares. Eles empobrecem a redação; fazem parecer que seu autor não tem criatividade, pois lança mão de formas já batidas pelo uso freqüente.

5. Nunca se inclua em sua dissertação (principalmente para contar fatos de sua vida particular). Seu texto deve ser feito de modo impessoal e com objetividade. Essa visão imparcial se perde quando o autor confunde a problemática que está analisando, os problemas que possa ter.

6. Não utilize sua dissertação para propagar doutrinas religiosas. A religião, qualquer que seja ela, é uma questão de fé; a dissertação, por sua vez, é uma questão de argumentação, a qual se baseia na lógica. São, portanto, duas áreas situadas em diferentes planos. Não há como argumentar de modo convincente com base em dogmas religiosos; os preceitos da fé independem de provar ou evidências constatáveis.

7. Jamais analise os temas propostos movido por emoções exageradas. Existem sem dúvida, alguns temas dissertativos que envolvem a análise de assuntos dramáticos, os quais comumente causam revolta e indignação pela própria gravidade de sua natureza. Porém, por mais revoltante que se mostre o assunto tratado, ele deve ser abordado, em uma dissertação, de modo, se não imparcial, pelo menos comedido. Em outras palavras, não devemos deixar nossas emoções interferirem demasiadamente na análise equilibrada e objetiva que precisa transparecer em nossas dissertações, mesmo porque elas impedem que ponderemos outros ângulos da questão. Só assim, com predominância de argumentação lógica, ela se mostrará convincente.

8. Não utilize exemplos contando fatos ocorridos com terceiros, que não sejam de domínio público. É um procedimento perfeitamente normal lançarmos mão de exemplos que reforcem os fatos arrolados em uma dissertação. Entretanto, estes exemplos devem ser de conhecimento público, ou seja, fatos que todos conhecem por terem sido divulgados pelos meios de comunicação (jornais, televisão, internet etc). Não devemos, em hipótese alguma, introduzir na dissertação fatos ocorridos com pessoas que conhecemos particularmente. Isto daria um cunho pessoal a um tipo de redação que se pressupõe a analisar assuntos gerais.

9. Evite as abreviações. Procure escrever as palavras por extenso. As abreviações são considerações incorretas.

10. Nunca repita várias vezes a mesma palavra. Um dos erros que mais prejudica a expressão adequada de suas idéias é a insistente repetição de uma mesma palavra. Isso causa uma impressão desagradável a quem lê sua redação, além de sugerir pobreza de vocabulário. Quando você constatar que repetiu várias vezes o mesmo vocábulo, procure imediatamente encontrar sinônimos que possam ser usados em substituição a ele.

11. Procure não inovar, por sua conta, o alfabeto da língua portuguesa. Evidentemente, certas caligrafias apresentam algumas variações no modo de escrever determinadas letras do alfabeto. No entanto, essa possível variação não deve ser exagerada a ponto de tornar a letra praticamente irreconhecível.

12. Tente não analisar os assuntos propostos sob apenas um dos ângulos da questão. Uma boa análise pressupõe um exame equilibrado da realidade na qual se situa o assunto tratado em uma dissertação. O bom senso, nas opiniões emitidas, está diretamente relacionado à capacidade de se enxergar o problema pelos diversos ângulos que apresenta. Uma análise extremamente radical ignora outros aspectos que devem ser levados em conta em uma reflexão equilibrada sobre qualquer tema, por isso é indesejável.

13. Não fuja do tema proposto.

14. Para evitar deslizes ortográficos ou mesmo desvios gramaticais, como de concordância verbal e nominal ou regência verbal, recomenda-se que você escreva antes um rascunho e só depois de uma boa revisão passe sua redação a limpo no espaço adequado.

15. Faça uso adequado dos recursos léxicos e gramaticais necessários para a construção da argumentação. Isso irá relevar a capacidade de articular as partes do texto. Aqui é importante o uso correto dos mecanismos articulatórios da língua, os instrumentos de coesão, como os conectivos (conjunções), os tempos verbais, a pontuação etc. (Veja Elementos de ligação)

16. Elabore um texto que contribua para a solução do problema tratado no texto, respeitando os valores humanos e a pluralidade cultural. O que você deve fazer é incluir em seu projeto de texto uma proposta de intervenção para a solução do problema tratado no texto.

17. A proposta de redação inclui ainda algumas recomendações, como se refere ao número de linhas. É difícil imaginar um texto com um mínimo de consistência argumentativa com menos de 15 linhas. Outra recomendação explícita diz respeito ao gênero a ser utilizado. O texto deve ser escrito em prosa e não em poesia. Seria difícil uma avaliação objetiva e uniforme de textos em forma de poema. Deve-se evitar ainda redações em forma de diálogo, pois esse tipo de estrutura é mais freqüente na narração do que na dissertação.

18. Embora não haja na prova recomendação quanto ao tipo de letra a ser usado, é evidente que o texto precisa apresentar um mínimo de legibilidade. Uma redação totalmente ilegível não tem como ser avaliada.

Boa sorte!


>> AINDA SOBRE Dicas

Comentários

Siga-nos:

Confira no Passeiweb

  • O primeiro voo do Homem no espaço

    Em 12 de abril de 1961 o homem decolava, pela primeira vez, rumo ao espaço. Em 2011, no aniversário de 50 anos deste fato, ocorreram comemorações no mundo inteiro e, principalmente, na Rússia.
  • Tsunami

    Tsunami significa "onda gigante", em japonês. Os tsunamis são um tipo especial de onda oceânica, gerada por distúrbios sísmicos.
 

Instituições em Destaque

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo:
 
 
 
-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: