dcsimg

Questões: Libertinagem, de Manuel Bandeira - 3


11. (FUVEST) Teresa

A primeira vez que vi Teresa
Achei que ela tinha pernas estúpidas
Achei também que a cara parecia uma perna
Quando vi Teresa de novo
Achei que os olhos eram muito mais velhos que o resto do corpo
(Os olhos nasceram e ficaram dez anos esperando que
[o resto do corpo nascessE)
Da terceira vez não vi mais nada
Os céus se misturaram com a terra
E o espírito de Deus voltou a se mover sobre a face das águas.
(Libertinagem, Manuel Bandeira)

Em relação às imagens que compõem a figura feminina, no texto de Bandeira, só não se pode afirmar que:

(A) acentuam realisticamente os aspectos grotescos da mulher.
(B) destacam o estranhamento sentido pelo eu-lírico diante de uma visão surpreendente.
(C) constituem deliberado deboche das imagens consagradas pela literatura tradicional.
(D) dessacralizam o ideal de amor arrebatador.
E) podem ser atribuídas à postura iconoclasta dos modernistas de 22.


12. (FUVEST) Leia o poema a seguir para responder ao teste.

Pneumotórax

Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
a vida inteira que podia ter sido e que não foi
Tosse, tosse, tosse.

Mandou chamar o médico:
– Diga trinta e três.
– Trinta e três... trinta e três... trinta e três...
– Respire.
......................................................................
– O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
– Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
– Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.
(Libertinagem, Manuel Bandeira)

Leia as afirmações a respeito de Pneumotórax, de Bandeira:

I. A inclusão do discurso direto, a pontuação expressiva e uma linha tracejada que cria um espaçamento gráfico são recursos que reforçam o tom de prosa do poema e simulam uma dramatização.
II. O poema apresenta registro de linguagem essencialmente coloquial, o que contribui para ressaltar o caráter prosaico da situação apresentada.
III. A veracidade do que se apresenta no poema se deve à relação inevitável com a doença realmente vivida pelo poeta Manuel Bandeira.

É correto o que se afirma em:

(A) I.
(B) II.
(C) III.
(D) I e II.
E) II e III.


13. (FUVEST) Considere as seguintes afirmações sobre Libertinagem, de Manuel Bandeira.

I. Neste livro bastante representativo da estética modernista, Bandeira exclui o tema ligado à morte, assunto obsessivo em seus livros anteriores, e aborda assuntos referentes à infância, à utopia, ao amor erótico, ao cotidiano irônico e à poética da geração de 22.
II. Em alguns poemas deste livro, nota-se uma característica fundamental da poética de Bandeira, que é a de levar a simplicidade até a beira do primarismo sentimental, mas sem apelar para o piegas, para a apelação emocional.
III. A linguagem deste livro afasta-se do coloquial, contrariando o ideal lingüístico expresso num de seus poemas, Poética, que qualifica como “gostoso” o português popular brasileiro.
Está correto o que se afirma apenas em:

(A) I.
(B) II.
(C) II e III.
(D) III.
E) I e III.


14. (POLI) Leia, abaixo, um poema de Manuel Bandeira.

Poema tirado de uma notícia de jornal

João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morro da Babilônia num barracão
[sem número.
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na Lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.
(Manuel Bandeira in Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993. p.136.

A respeito do poema e da proposta poética que o autor assume em Libertinagem não podemos afirmar:

(A) O poema assume apenas a proposta de libertação da forma poética, em versos livres e brancos.
(B) A partir do título notamos uma proposta de redimensionar o assunto da poesia, uma vez que o cotidiano pode assumir uma dimensão poética, na medida em que é reinventado em linguagem e ritmo.
(C) O segundo verso do poema, iniciado pela construção uma noite, sugere que o que João Gostoso viveu naquela noite, Bebeu/ Cantou/ Dançou, foi uma exceção em sua rotina.
(D) Podemos entender que o tamanho do primeiro e do último versos do poema exprimem um grande número de dificuldades vividas pelo personagem e contrastam com os versos curtos Bebeu/ Cantou/ Dançou que apontam os momentos de alívio como raros na vida dele.
E) A omissão do número do barracão em que João Gostoso morava, confere a ele um caráter de personagem tipo, isto é, representa várias pessoas que vivem em mesma situação.


15. (FUVEST) ORAÇÃO A TERESINHA DO MENINO JESUS

Perdi o jeito de sofrer.
Ora essa.
Não sinto mais aquele gosto cabotino da tristeza.
Quero alegria! Me dá alegria,
Santa Teresa!
Santa Teresa não, Teresinha…
Teresinha... Teresinha…
Teresinha do Menino Jesus.
(…)
(Manuel Bandeira, Libertinagem)

Sobre este trecho do poema, só NÃO é correto afirmar o que está em:

(A) Ao preferir Teresinha a Santa Teresa, o eu-lírico manifesta um desejo de maior intimidade com o sagrado, traduzida, por exemplo, no diminutivo e na omissão da palavra “Santa”.
(B) O feitio de oração que caracteriza estes versos não é caso único em Libertinagem nem é raro na poesia de Bandeira.
(C) Embora com feitio de oração, estes versos utilizam principalmente a variedade coloquial da linguagem.
(D) Em “do Menino Jesus”, qualificativo de Teresinha, pode-se reconhecer um eco da predileção de Bandeira pelo tema da infância, recorrente em Libertinagem e no conjunto de sua poesia.
E) Apesar de seu feitio de oração, estes versos manifestam intenção desrespeitosa e mesmo sacrílega em relação à religião estabelecida.

1  2    34  5  6  

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: