dcsimg

Questões: O Primo Basílio, de Eça de Queirós - 5


21. (FUVEST) Personagem do romance O primo Basílio, de Eça de Queirós, tornou-se tão conhecida por suas intervenções, que seu nome deu origem a palavras dele derivadas como: acaciano, acacianismo, acacianamente.
Assinalar a alternativa que explica o significado atribuído a estas palavras em função do Conselheiro Acácio:

a) trivialidade com feição sentenciosa ou gravemente ridículas;
b) inesperadas declarações ou informações que dão novo rumo à conversa;
c) afirmações irrefutáveis ou solidamente argumentadas;
d) ironias profundas ou sutis ridicularizações imprevisíveis;
e) argumentação cerrada ou raciocínios cerebrinamente elaborados.


22. (MACKENZIE) Ia encontrar Basílio no Paraíso pela primeira vez. E estava muito nervosa; (...) Mas ao mesmo tempo uma curiosidade intensa, múltipla, impelia-a, com um estremecimentozinho de prazer. – Ia, enfim, ter ela própria aquela aventura que lera tantas vezes nos romances amorosos! Era uma forma nova do amor que ia experimentar, sensações excepcionais! Havia tudo – a casinha misteriosa, o segredo ilegítimo, todas as palpitações do perigo! Porque o aparato impressionava-a mais que o sentimento; e a casa em si interessava-a, atraía-a mais que Basílio! Como seria? Conhecia o gosto de Basílio, – e o Paraíso decerto era como nos romances de Paulo Féval.
A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada, com uma portinha pequena. Logo à entrada um cheiro mole e salobro enojou-a.
(Eça de Queirós – O primo Basílio)

Assinale o comentário crítico adequado ao fragmento transcrito:

a) O romance realista, ao retratar o comportamento feminino, busca desnudar as armadilhas da imaginação decorrentes de uma educação romântica.
b) A personagem do romance romântico vivencia um autêntico sentimento amoroso, cujo princípio é a fidelidade ao ser amado.
c) O romance naturalista associa o sentimento amoroso a uma anomalia fisiológica, responsável pelos devaneios da personagem.
d) No romance romântico a crítica à idealização amorosa está presente, por exemplo, na construção de personagem frágil e sonhadora.
e) A ficção realista, ao retratar a figura feminina apaixonada, tem por objetivo oferecer ao leitor um modelo de conduta amorosa que enaltece a mulher.


23. (MACKENZIE) Ia encontrar Basílio no Paraíso pela primeira vez. E estava muito nervosa; (...) Mas ao mesmo tempo uma curiosidade intensa, múltipla, impelia-a, com um estremecimentozinho de prazer. – Ia, enfim, ter ela própria aquela aventura que lera tantas vezes nos romances amorosos! Era uma forma nova do amor que ia experimentar, sensações excepcionais! Havia tudo – a casinha misteriosa, o segredo ilegítimo, todas as palpitações do perigo! Porque o aparato impressionava-a mais que o sentimento; e a casa em si interessava-a, atraía-a mais que Basílio! Como seria? Conhecia o gosto de Basílio, – e o Paraíso decerto era como nos romances de Paulo Féval.
A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada, com uma portinha pequena. Logo à entrada um cheiro mole e salobro enojou-a.
(Eça de Queirós – O primo Basílio)

Assinale a alternativa correta sobre o texto:

a) O narrador de primeira pessoa confunde-se, no discurso indireto, com a personagem, configurando um quadro com fortes marcas de subjetividade.
b) O narrador-observador interrompe o fluxo dissertativo para tecer comentários críticos a respeito do caráter da personagem.
c) A linguagem do texto, marcada pela recorrência de exclamações, revela o envolvimento emotivo do narrador-personagem com o fato narrado.
d) O narrador onisciente, por meio do discurso indireto livre, revela os desejos e as inquietações que povoam o imaginário da personagem.
e) O predomínio do discurso direto é estratégia do narrador-observador para que o leitor conheça os devaneios amorosos da personagem.


24. (MACKENZIE) Ia encontrar Basílio no Paraíso pela primeira vez. E estava muito nervosa; (...) Mas ao mesmo tempo uma curiosidade intensa, múltipla, impelia-a, com um estremecimentozinho de prazer. – Ia, enfim, ter ela própria aquela aventura que lera tantas vezes nos romances amorosos! Era uma forma nova do amor que ia experimentar, sensações excepcionais! Havia tudo – a casinha misteriosa, o segredo ilegítimo, todas as palpitações do perigo! Porque o aparato impressionava-a mais que o sentimento; e a casa em si interessava-a, atraía-a mais que Basílio! Como seria? Conhecia o gosto de Basílio, – e o Paraíso decerto era como nos romances de Paulo Féval.
A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada, com uma portinha pequena. Logo à entrada um cheiro mole e salobro enojou-a.
(Eça de Queirós – O primo Basílio)

A palavra Paraíso – nome dado ao local de encontro dos amantes – está em destaque no texto porque foi usada:

a) em sentido alegórico, confirmando o conceito de Beleza universal do mundo antigo.
b) em sentido denotativo, já que associa o amor ao mundo terreno e ao espiritual.
c) ironicamente, pois seu sentido contrasta com a realidade vivida pela personagem.
d) conotativamente, explicitando o caráter sublime do amor vivido pela personagem.
e) sarcasticamente, com o objetivo de criticar a religiosidade dos amantes.


25. (MACKENZIE) Ia encontrar Basílio no Paraíso pela primeira vez. E estava muito nervosa; (...) Mas ao mesmo tempo uma curiosidade intensa, múltipla, impelia-a, com um estremecimentozinho de prazer. – Ia, enfim, ter ela própria aquela aventura que lera tantas vezes nos romances amorosos! Era uma forma nova do amor que ia experimentar, sensações excepcionais! Havia tudo – a casinha misteriosa, o segredo ilegítimo, todas as palpitações do perigo! Porque o aparato impressionava-a mais que o sentimento; e a casa em si interessava-a, atraía-a mais que Basílio! Como seria? Conhecia o gosto de Basílio, – e o Paraíso decerto era como nos romances de Paulo Féval.
A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada, com uma portinha pequena. Logo à entrada um cheiro mole e salobro enojou-a.
(Eça de Queirós – O primo Basílio)

Considere as seguintes afirmações sobre a literatura que caracteriza a segunda metade do século XIX, época em que foi publicado o romance O primo Basílio:

I – As narrativas de ficção, influenciadas pelas teorias cientificistas da época, procuram recriar criticamente a sociedade burguesa, desvelando a hipocrisia das instituições.
II – Motivados pelo espírito de idealização da pátria, os escritores naturalistas passaram a defender teses relacionadas à reforma educacional.
III – Machado de Assis e Aluísio Azevedo inauguraram, no Brasil, nova maneira de conceber a literatura de ficção, valorizando o registro analítico dos fatos da vida.

Assinale:

a) se apenas I estiver correta.
b) se apenas II estiver correta.
c) se apenas I e III estiverem corretas.
d) se apenas I e II estiverem corretas.
e) se todas estiverem corretas.

1  2  3  4    56  7  8  

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: