dcsimg

Historia 1


01. (UNESP) No período denominado Baixa Idade Média, houve desenvolvimento do comércio e florescimento de cidades. O crescimento econômico da Europa ocidental intensificou-se com a expansão ultramarina do século XV. Considera-se essencial para tal expansão:
  • (A) a crise e o enfraquecimento comercial das cidades-estados italianas, fornecedoras na Europa dos produtos orientais.
  • (B) a centralização do poder político e a possibilidade de investimento de recursos monetários estatais em expedições marítimas.
  • (C) a ocupação de Constantinopla pelos turcos otomanos e o fim dos contatos pacíficos entre o ocidente e o oriente.
  • (D) a abundância de metais na Europa e o crescimento de circulação monetária em condições de financiar empreendimentos dispendiosos.
  • (E) a ruptura da unidade cristã do ocidente e a formação de religiões cristãs adaptadas à ética da acumulação capitalista.
02. (UNESP) "... tenho sido, durante muitos anos, um aderente à teoria de Copérnico. Isto me explica a causa de muitos fenômenos que são ininteligíveis por meio de teorias geralmente aceitas. Eu tenho coligido muitos argumentos para refutar estas últimas, mas eu não me arriscaria a levá-los à publicação. Há muito tempo que estou convencido de que a Lua é um corpo como a Terra. Descobri também uma multidão de estrelas fixas, a princípio invisíveis, ultrapassando mais de dez vezes as que se podem ver a olho nu, formando a Via Láctea." (Carta de Galileu a Kepler, 1597.)

Galileu não se arriscava a publicar essas idéias por temer:
  • (A) a oposição que sofreria por parte de seus alunos e colegas da Universidade de Pisa, onde lecionava.
  • (B) ser considerado um plagiador das idéias heliocêntricas defendidas por Copérnico e por alguns sábios fiorentinos.
  • (C) que seus pressupostos geocêntricos contribuíssem para aumentar as hostilidades contra a Igreja Católica.
  • (D) que seus superiores o expulsassem da Ordem dos Franciscanos, à qual pertencia desde a adolescência.
  • (E) ser acusado de heresia e ter de enfrentar o poderoso Tribunal do Santo Ofício, mantido pela Igreja.
03. (UNESP) Adam Smith, autor de A Riqueza das Nações (1776), referindo-se à produção e à aquisição de riquezas, observou:
Não é com o ouro ou a prata, mas com o trabalho que toda a riqueza do mundo foi provida na origem, e seu valor, para aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é precisamente igual à quantidade de trabalho que permite alguém adquirir ou dominar.

Os pontos de vista de Adam Smith opõe-se às concepções:
  • (A) mercantilistas, que foram aplicadas pelos diversos estados absolutistas europeus.
  • (B) monetaristas, que acompanharam historicamente as economias globalizadas.
  • (C) socialistas, que criticaram a submissão dos trabalhadores aos donos do capital.
  • (D) industrialistas, que consideraram as máquinas o fator de criação de riquezas.
  • (E) liberais, que minimizaram a importância da mão-de-obra na produção de bens.
04. (UNESP) As raízes da 1ª Guerra Mundial encontram-se, em grande parte, na história do século XIX. Pode-se citar como alguns dos fatores que deram origem ao conflito desencadeado em 1914
  • (A) a concentração da industrialização na Inglaterra e o escasso crescimento econômico das nações do continente europeu.
  • (B) a emergência de ideologias socialistas e revoluções operárias que desajustaram as relações entre os países capitalistas.
  • (C) a derrota militar da França pela Prússia, no processo de unificação alemã, e a incorporação da Alsácia e da Lorena à Alemanha.
  • (D) O confronto secular entre França e Inglaterra e a crise da economia inglesa provocada pelo bloqueio continental.
  • (E) a política do "equilíbrio europeu", praticada pelo Congresso de Viena, e o fortalecimento militar da Rússia na Península Balcânica.
05. (UNESP) Um carro esporte Mazda é desenhado na Califórnia, financiado por Tóquio, o protótipo é criado em Worthing (Inglaterra) e a montagem é feita nos Estados Unidos e México, usando componentes eletrônicos usados em Nova Jérsei, fabricados no Japão (...) As roupas japonesas, consumidas no mercado americano, são fabricadas em Hong Kong, Taiwan, Coréia do Sul e Cingapura (...) Os objetos transformaram-se em compostos resultantes da combinação de pedaços dispersos aleatoriamente pelo planeta. (Renato Ortiz, Cultura e Mundialização)

A situação descrita no texto pode ser aplicada:
  • (A) pela competição em âmbito mundial, que fez com que as grandes empresas descentralizassem a produção, visando o aumento da produtividade e da lucratividade.
  • (B) pela melhor distribuição de renda entre os habitantes do planeta, o que deu origem a novos consumidores, mais exigentes quanto à qualidade dos produtos.
  • (C) pelo multiculturalismo, uma vez que as empresas vendem os seus produtos em diferentes países, o que as obriga a levar em conta gostos e hábitos diversos.
  • (D) pelo crescimento da preocupação com os recursos naturais do planeta, o que incentivou a busca de novas fontes de matérias-primas e locais de produção.
  • (E) pela ação coordenada de governos de países ricos e de países em desenvolvimento, que visa estabelecer uma divisão econômica mais equilibrada em âmbito internacional.
06. (UNESP) Na Idade Moderna, o processo de colonização européia das regiões do continente americano não foi uniforme. Pode-se distingui-las em áreas de
  • (A) colônia de povoamento, ocupada por contingentes de escravos africanos, e de colônia de exploração indígena.
  • (B) colônia de exploração, baseada na escravidão e na grande propriedade agrícola, e de colônia de povoamento.
  • (C) produção e de exportação de mercadorias manufaturadas e de importação de matérias-primas européias.
  • (D) domínios políticos, com a submissão da população local, e de domínio econômicos, sendo garantida a liberdade indígena.
  • (E) exploração econômica de recursos naturais e de catequese das populações nativas por missionários cristãos.
07. (UNESP) Já se verificando nesta época a diminuição das Minas, viu-se o capitão Bom Jardim obrigado a voltar suas vistas para a agricultura (...) Seus vizinhos teriam feito melhor se tivessem seguido exemplo tão louvável em vez de desertar o país, quando o ouro desapareceu. (John Mawe. Viagens ao interior do Brasil, principalmente aos Distritos do Ouro e Diamantes.)

Segundo as observações do viajante inglês, os efeitos imediatos da decadência da extração aurífera em Minas Gerais foram
  • (A) a esterilização do solo mineiro e a queda da produção agropecuária.
  • (B) a crise econômica e a consolidação do poder político das antigas elites mineiras.
  • (C) a instalação de manufaturas e a suspensão dos impostos sobre riquezas.
  • (D) a conersão agrícola da economia e o esvaziamento demográfico da província.
  • (E) a interrupção da exploração do ouro e a decadência das cidades.
08. (UNESP) Os processos de independência das Américas espanhola e portuguesa têm em comum a
  • (A) decretação do fim do pacto colonial, em função da presença das cortes espanhola e portuguesa em terras americanas.
  • (B) ausência de lutas, evitada pela atuação decidida dos proprietários de escravos negros, que temiam revoltas como a que ocorrera no Haiti.
  • (C) conservação das casas dinásticas, apesar da ruptura com as antigas metrópoles européias.
  • (D) fragmentação política, com significativa alteração das fronteiras vigentes na época colonial.
  • (E) preservação dos interesses da aristocracia agrária, que continuava a controlar o poder político.
09. (UNESP) Observe a tabela e responda São Paulo - Indústria

Ano N° Empresas N° operários
1907 326 24.186
1920 4145 83.998
1929 6929 148.376
Fonte: Silva, S. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria no Brasil.

Os dados na tabela estão relacionados
  • (A) a política econômica da época que, por meio de incentivos fiscais, criou um pólo industrial na cidade de São Paulo e arredores.
  • (B) aos capitais disponíveis, provenientes dos lucros gerados pelo café, que passaram a ser aplicados em outras atividades econômicas, entre elas a indústria.
  • (C) à decadência do modelo agroexportador, motivada pelo esgotamento do solo das áreas cafeeiras.
  • (D) às migrações internas, que se acentuaram significativamente no início do século XX, com intenso êxodo das áreas rurais para a cidade.
  • (E) à busca de auto-suficiência do país, considerada na época uma questão essencial para a soberania e a segurança nacional.
10. (UNESP) O segundo governo de Getúlio Vargas (1951 - 1954) terminou com o suicídio do presidente. Contribuiu para a crise política desse governo
  • (A) o fechamento do Congresso, que acabou por unir, numa frente ampla, os defensores dos ideais democráticos.
  • (B) o apoio do presidente aos políticos da UDN (União Democrática Nacional), favoráveis à organização de um golpe para mantê-lo no poder.
  • (C) a política econômica adotada, de cunho nacionalista, da qual um dos marcos foi a criação da Petrobrás, em 1953.
  • (D) a série de convulsões sociais provocadas pela inflação, com movimentos grevistas organizados pelo Partido Comunista, então na legalidade.
  • (E) a ruptura entre civis e militares, que culminou com o assassinato do político e jornalista Carlos Lacerda.



Mais simulados de Historia



Comentários

[ X ]
Resultado

Você acertou 0 de 0 questões

0

[ Veja a resposta correta de cada questão ]

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: