dcsimg

Melhores alunos das federais vieram de escolas públicas


Alunos de universidades federais que vieram de escolas públicas se saem melhor que seus colegas egressos do ensino médio particular na maioria das áreas avaliadas pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Esse resultado aparece em 53,75% dos cursos na avaliação que substituiu o antigo Provão, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais do Ministério da Educação (Inep/MEC).

Entre eles, estão Jornalismo, Engenharia Civil, Química e Arquitetura.

Na maioria das áreas, a diferença entre a nota de alunos de escolas públicas e particulares é de dois pontos. No curso de Engenharia de Produção Elétrica, no entanto, são mais de 18 pontos entre o desempenho de um grupo e outro. O mesmo não acontece em áreas mais tradicionais, como Medicina, Direito e Administração, em que os estudantes das federais vindos de escola particular se saem melhor.

As notas no Enade vão de 0 a 100. A prova é feita tanto por estudantes no início dos cursos quanto pelos formandos. “Os melhores alunos das escolas públicas procuram as universidades de melhor reputação”, diz o diretor de avaliação do Inep, Dilvo Ristoff, sobre o melhor desempenho do grupo em universidades federais. Segundo ele, essa prevalência não ocorre se forem consideradas todas as instituições - privadas e públicas - participantes do Enade.

Números do MEC mostram que 87% dos 9 milhões de alunos do ensino médio no País estão em escolas públicas. No superior, os índices mudam e eles representam 45% dos estudantes. A maioria está em cursos de formação de professores, Letras, Matemática e Secretariado Executivo. Em Medicina, por exemplo, apenas 8,2% dos alunos não vieram de escolas particulares. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: