dcsimg

Segundo professores, provas de história e química foram difíceis


O nível de exigência foi destaque no segundo dia de exames da segunda fase do vestibular 2008 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). De acordo com professores de cursinhos, tanto a prova de química, quanto a de história tiveram grandes níveis de cobrança.

“A prova foi bastante exigente. Diminuíram o número de itens, mas isso não significa diminuição do grau de dificuldade. Um aluno da escola pública teria muita dificuldade parar fazer. Essa foi uma prova de exclusão social”, avalia o coordenador de história do curso Etapa, Rogério Forastieri da Silva. “Muitas perguntas envolveram um grau de erudição que mesmo na universidade não se tem.”

O professor Márcio Novaes, do Cursinho da Poli, afirma que o exame exigiu muita atenção do estudante. “A prova estava trabalhosa e é tradicionalmente difícil. E como eram 12 questões de história e de química, o estudante tinha que escolher o que ia fazer”, disse.

Para o coordenador de química do Etapa, Édison de Barros Camargo, o exame teve questões que pareciam simples, mas não eram. “Colocar gelo em bebida, parece simplório, mas a questão é profunda. Isso engana”, disse. O docente classificou a elaboração do exame como uma “obra de arte”, no entanto, bastante distante de alguém da área de humanas, por exemplo.

Imprecisões

O coordenador de história do Objetivo, Daily de Matos Oliveira, observou que a questão 24, de história, permite dupla interpretação. “O vestibulando tanto podia entender que a pergunta cobrava sobre a década de 30, quanto sobre a década de 60, de acordo com o enunciado”, diz.

Para o coordenador de química do Anglo, João Usberco, o exame teve uma imprecisão em duas questões, na 4 e na 5. Segundo ele, a questão 4 informa as porcentagens de massa do ar, quando o comum é informar em volume. Já a pergunta seguinte fala da dissolução de bicarbonato na água, o que de acordo com o professor não produziria gás carbônico.

Antonio Mario Salles, do Objetivo, discorda da observação sobre o bicarbonato. De acordo com ele, o estudante devia saber que o fermento substância ácida em sua composição, o que levaria à liberação do gás. Já na questão 4, Salles informa que é possível ter dois tipos de resolução, e que a banca examinadora terá de considerar ambos.

A partir desta quarta-feira (16) a comissão de vestibular divulgará as respostas esperadas pela banca examinadora.

A Unicamp registrou 7,57% de abstenção nesta segunda-feira (14). Dos 14.428 vestibulandos convocados, 1.097 não fizeram as provas. Os exames do processo seletivo continuam até essa quarta-feira.

A segunda fase é composta por oito provas discursivas, sendo duas por dia. Cada disciplina tm 12 questões e são divididas da seguinte maneira:

Domingo, dia 13 = Língua portuguesa e literatura e ciências biológicas;
Segunda-feira, dia 14 = Química e história;
Terça-feira, dia 15 = Física e geografia;
Quarta-feira, dia 16 = Matemática e inglês.

Este ano, o vestibular Unicamp recebeu 49.477 inscrições para 2.954 vagas em 58 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

A divulgação da lista de aprovados está prevista para o dia 7 de fevereiro e a matrícula deve ser feita dia 12 de fevereiro.


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: