dcsimg

Definidas as datas do vestibular 2009


Mesmo com estratégias diferentes, aqueles que conseguiram a aprovação no vestibular sem fazer cursinho concordam que, além de muito estudo, a organização é fundamental para o sucesso nas provas.

Alguns preferem começar a estudar com bastante antecedência. Outros deixam para de concentrar em tempo integral quando os concursos se aproximam. Em todos os casos, as palavras de ordem são dedicação e disciplina.

Para garantir seu nome nos listões de Engenharia Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e de Nutrição da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2006, Cristina Vicente Henriques, 20 anos, começou a preparação para o vestibular um ano antes.

Ela prestou a primeira etapa da UERJ em 2005, para pegar o ritmo do concurso. Com aulas na unidade Maracanã do Centro Federal de Educação Tecnológica de Química e de um curso de inglês, ela não tinha tempo para freqüentar um cursinho pré-vestibular. Estudando sozinha, dedicou-se primeiro às matérias específicas para seu curso na UFRJ: matemática, química e física.

"Eu ia à biblioteca, pegava o livro de matemática que tinha o resumo de toda a matéria do Ensino Médio e sanava minhas dúvidas. Quando acabei de fazer isso, parti para os livros de física e, depois, para os de química", lembra.

Com a proximidade dos exames, ela buscou no site da universidade provas de anos anteriores. "Assim, conseguia perceber os itens mais abordados, estudava mais um pouco e ainda via as respostas da banca para saber o estilo que eles gostam", explica a futura engenheira química.

Aluno do quarto semestre de Ciência da Computação na Universidade Federal de Itajubá (Unifei), Carlos Henrique Silva Galdino, 19 anos, foi aprovado em três federais - além da Unifei, passou na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), todas em Minas Gerais. Como estudava em uma escola tradicional em Ipatinga, achou que não seria necessário se matricular em um cursinho. Um mês antes das provas, montou um calendário de estudos intensivos.

"Eu acordava, começava a estudar às 9h e ia até umas 11h. Depois do almoço, voltava a estudar às 13h e só terminava às 17h, 18h. Quando foi se aproximando o período das provas, eu estendia até umas 19h. Eu dividi o mês todo, então tinha um cronograma bem rigoroso para seguir. E como meu curso é de exatas, deixei uma semana para matemática e outra semana só para física".

Controle nos horários de estudo também foi a estratégia usada por Izabella Sodré Buty da Silva, 18 anos, hoje aluna do segundo semestre de Ciências Biológicas - Modalidade Microbiologia Imunologia da UFRJ. Ao longo do 3º ano do Colégio Santa Mônica, em São Gonçalo, ela estudava para as provas semanais enquanto se preparava para o vestibular.

"Meus horários eram bem controlados. Só consigo dedicar minha atenção por, no máximo, uma hora. Nos primeiros meses, fazia três tempos de uma hora com 20 minutos de pausa. No últimos, fazia quatro ou cinco tempos de uma hora com 10 minutos de pausa", conta Izabella, também aprovada em Ciências Biológicas na UERJ e em Zootecnia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) neste ano. Para ela, os momentos longe dos livros também eram sagrados. "Eu não parei de sair à noite. Pelo contrário, foi o ano em que mais me diverti com meus amigos", lembra.

As paradas também foram fundamentais para o sucesso de Cristina. "Às vezes, eu tirava um dia do final de semana para me divertir ou simplesmente não fazer nada e descansar. Quando me cansava de um período longo de estudo, via televisão ou ficava um pouco na internet para relaxar e depois voltava", lembra.

Confira a seguir, dicas para passar sem cursinho

- Comece a estudar com antecedência.
- Se possível, faça um vestibular antes daquele em que você realmente quer passar, para saber como são as provas sem a obrigação de ser aprovado.
- Procure também as provas de anos anteriores (muitas estão disponíveis na internet).
- Se tiver dificuldade maior em uma disciplina, procure fazer apenas um curso específico para sanar a deficiência.
- Dê maior atenção às matérias específicas, às com mais peso para seu curso e às que você tem mais dificuldade.
- Se você tem dificuldades de se organizar diariamente, monte um calendário de estudos.
- Aproveite ao máximo seu tempo dedicado aos livros.
- Na escola, esclareça dúvidas com os professores.
- Estude também por meio de músicas, filmes e livros, tornando a preparação para o vestibular mais divertida.
- Diminua as festas quando estiver mais perto das provas, especialmente as que te deixariam cansado no dia seguinte.
- Reserve momentos para descansar e para fazer outras atividades que não envolvam o estudo, porque todo mundo merece uma folga.


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: