dcsimg

Inep estuda ampliar Exame para todos os alunos


Em entrevista à revista Ensino Superior, o presidente do Inep, Reynaldo Fernandes, respondeu às críticas do setor aos novos índices e diz que o Censo do Ensino Superior e o Cadastro Nacional de Docentes serão reformulados para aprimorar indicadores.

Ensino Superior - O Enade é um instrumento central dentro do modelo de avaliação do ensino superior brasileiro, mas é alvo de muitas críticas. Existe alguma intenção de aprimorar o Exame?

Reynaldo Fernandes - Sim, estamos estudando mecanismos de melhorar o Enade. A motivação é um elemento importante numa avaliação. Se a gente conseguir padronizar e criar um mecanismo que estimule o aluno a fazer bem o exame, isso é bom. Mas não se pode cair no extremo oposto, é preciso fazer pensar nisso com calma. Medidas como colocar a nota do Enade no diploma podem ser muito draconianas. Outro ponto que está sendo estudado é a universalização do Enade, o que pode trazer impactos positivos. Quanto maior a amostra, maior a segurança. Mas esse ganho não é tão relevante, porque a amostra do Enade já é representativa. A universalização aumenta o prestígio e a credibilidade da amostra. Apesar de essa dúvida com relação à amostra não ter fundamento, existem questionamentos sobre a seleção que é feita. Algumas instituições alegam que os melhores alunos não foram sorteados. A universalização aumenta um pouco o custo do exame, mas os ganhos são significativos em termos de credibilidade.

Ensino Superior - O Enade é um instrumento seguro para basear a construção de indicadores?

Esses são os indicadores que temos no momento. O Censo do Ensino Superior, por exemplo, não fornece dados bons o suficiente. Por isso, estamos fazendo uma reformulação do Censo e do Cadastro Nacional de Docentes para aprimorar a qualidade das informações e contarmos com novos dados. Isso nos permitirá ampliar o leque de investigação acerca de variáveis com poder explicativo sobre qualidade e aprimorar a construção dos nossos indicadores, como o CPC e o IGC. Além disso, é fundamental considerar que a avaliação in loco continua e o resultado dela pode gerar uma mudança do CPC.

Ensino Superior - Critica-se o fato de os indicadores terem sido construídos a partir de apenas um ciclo do Enade.

Uma série histórica realmente possibilita a construção de mais e melhores indicadores, mas é preciso começar um dia para que a série histórica exista.

Ensino Superior - Há também críticas a algumas variáveis dos indicadores, como o número de doutores.

Todos os estudos do Inep demonstram que a variável mais robusta para explicar qualidade é "professores doutores". O fato de a lei não exigir que todos os tipos de instituição tenham professores doutores não tem nada a ver com a construção de indicadores de qualidade. Nos testes com o IDD, percebemos que o número de mestres não produzia impacto na qualidade e, sim, o número de doutores, por isso este critério foi escolhido e não outro.

Ensino Superior - Sobre o CPC, existe um questionamento por ele não levar em conta aspectos importantes, como a empregabilidade. Existe a possibilidade de ampliar os elementos que compõem esse indicador?

Teoricamente, sim, e isso seria bem-vindo. Só que esse dado não existe. Se existisse, usaríamos. Para o tipo de avaliação que fazemos, necessitamos de indicadores de larga escala.

Ensino Superior - Um questionamento em relação ao IGC é que ele foi construído apenas a partir de cursos que foram avaliados pelo Enade, distorcendo o conceito geral da instituição.

Isso é uma confusão, porque o IGC não é uma amostra de cursos de uma instituição. Ele diz respeito apenas aos cursos que foram avaliados pelo Enade. Ele fornece uma média da situação dos cursos que têm concluintes. Não posso deixar de avaliar porque nem todos os cursos têm concluintes. Isso não faz sentido, considerando que o nosso objetivo é começar a criar referências objetivas para medir a qualidade.

Ensino Superior - Como está o processo de reestruturação das visitas?

Estamos dando mais liberdade ao avaliador. O instrumento de avaliação passou a ser quase um guia e serão atribuídos conceitos para cada uma das dez dimensões que integram o Sinaes.

Fonte: Revista Ensino Superior


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: