dcsimg

Professores contestam 5 questões do vestibular


Cinco questões objetivas da prova de conhecimentos gerais do vestibular 2009 da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), aplicada nesta quarta-feira (17), foram contestadas por professores de cursinhos de São Paulo. Em dois casos os especialistas pedirão à banca examinadora que as perguntas sejam anuladas.

A assessoria de imprensa da Fundação Vunesp, que realiza o vestibular, informou que, assim que receber as contestações, elas serão encaminhadas à banca examinadora.

A primeira delas é a de número 30, de biologia. Segundo o supervisor da disciplina no curso Anglo, Sezar Sasson, a alternativa que a banca afirma como correta, a “E”, não poderia ser aceita. “A alternativa diz que a digestão da celulose produz amido. E isso não é verdade. Estamos estranhando essa afirmação. É preciso anula a pergunta”, diz.

O professor do Objetivo, Constantino Carnelos, concorda com a incorreção da alternativa. “A alternativa diz que a celulose quebrada vira ácido graxo. Isso não é verdade”, aponta.

De acordo com o especialista, outro teste, o de número 17, também poderia ser questionado por imprecisão. “A resposta sugerida diz que a meiose só ocorre em células diplóides. Isso não é verdade: células poliplóides também podem ter meiose.”

Problemas em história

Para o coordenador de história do Anglo, José Carlos Pires de Moura, duas perguntas têm dupla possibilidade de respostas. A questão 67 é uma delas e trata das bandeiras. “A banca deu como se estivesse correta a resposta ‘C’. Mas as bandeiras não perseguiam escravos foragidos, elas tentavam destruir quilombos. E outra alternativa que seria aceitável é a que fala garantir abastecimentos, pois as monções são consideradas bandeiras por alguns autores”, explica.

No teste 73, Moura afirma que as respostas “A” e “B” são igualmente aceitáveis, embora a banca tenha afirmado a alternativa “A” como correta. “Não há motivos para não aceitar a resposta ‘B’ como certa”, diz.

Para o, coordenador de história Objetivo, Daily de Matos Oliveira, a pergunta 67 está errada. Ele concorda com a argumentação de Moura. “As bandeiras eram uma organização para destruir quilombos e tribos hostis. Vou pedir anulação”. No entanto o especialista diz que não vê problemas de dupla resposta com o teste 73.

O coordenador geral do Anglo, Nicolau Marmo, também relatou problemas com o teste de número 14, de matemática. Segundo ele, faltou à pergunta a discriminação de que o paralelepípedo mencionado no teste seria retangular, o que poderia levar a mais de uma resposta. A opinião, entretanto, não é compartilhada pelo coordenador de matemática do Objetivo, Giuseppe Nobilioni, que afirma que a omissão seria um detalhe na pergunta.

Nível de dificuldade

Para Marmo, física, química, geografia e história geral tiveram níveis de dificuldade adequados para avaliar candidatos em uma prova de conhecimentos gerais. “Mas biologia estava difícil demais”, aponta.

Segundo o coordenador do Etapa, Edmilson Costa, a prova foi de complexidade básica, e as disciplinas foram abrangentes. Em matemática e biologia foram encontradas algumas questões difíceis. O que não ocorreu em geografia, física e química.

“Geografia tem questões muito diretas. Teve nível fácil. Existem até questões muito fáceis. Há apenas duas questões que são medianas. Por outro lado, a prova foi bem elaborada e sem dúvidas ou erros”, aponta a coordenadora da disciplina no curso Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes.


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: