dcsimg

Universidades públicas do sudeste planejam abertura de novos cursos


Algumas entre as maiores universidades públicas da região sudeste do país estudam a inclusão de novos cursos em suas grades curriculares.

São Paulo

Uma delas é a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que pretende inaugurar no ano que vem um campus, em Osasco, próximo à capital paulista, cujo foco será a área de negócios.

Os cursos que a universidade tem a intenção de oferecer são administração, ciências contábeis, ciências econômicas, ciências atuariais e relações internacionais.

De acordo com o pró reitor de graduação da Unifesp, Miguel Jorge, a instituição espera a liberação das vagas de docentes e funcionários dos cursos aprovados pelo Ministério da Educação (MEC). “Para que o campus seja inaugurado em 2011, precisamos nomear os funcionários até 3 de julho, porque estamos em ano eleitoral. Para cumprir esse cronograma, as vagas dos profissionais têm de ser liberadas até o final de março, para haver tempo de organizar os concursos”, explica.

As carreiras previstas para esse campus são novidade na instituição. Jorge diz que a Unifesp separa os campi por áreas de atuação. Por exemplo, entre eles, o de Santos, no litoral do estado de São Paulo, tem cursos voltados à área da saúde. Já em São José dos Campos, os alunos se formam em carreiras ligadas às áreas de tecnologia e engenharia.

Na Universidade Federal do ABC (UFABC), a ideia é ampliar o elenco de cursos de formação específica, oferecidos após os bacharelados de ciência e tecnologia e ciência e humanidades. “Não sabemos ainda se ocorrerá em 2011 ou 2012, estamos estudando”, diz o reitor Helio Waldman.

Esses dois bacharelados são os cursos base para quem passa no vestibular da instituição e duram três anos cada um. Depois de concluí-los, os alunos optam pelas especializações, com duração de um ano cada, exceto as engenharias, com período de dois anos.

Após concluir o bacharelado em ciência e tecnologia, atualmente, o universitário encontra 17 opções, entre elas as engenharias e matemática. Segundo Waldman, está em avaliação incluir engenharia do petróleo ou engenharia do carbono neste grupo de alternativas. Neurociências deve surgir como mais uma opção e poderá ser escolha dos alunos que cursarem quaisquer dos dois bacharelados iniciais.

A Universidade de São Paulo (USP) também terá uma novidade. A graduação em educomunicação foi aprovada em novembro do ano passado pelo conselho universitário, deve ser oferecido a partir de 2011 e totalizará 30 vagas no período noturno, disse o chefe do departamento de Comunicação e Artes, Ismar de Oliveira Soares.

Esse profissional, segundo a USP, poderá desempenhar, por exemplo, o papel de assessor a serviço das secretarias de comunicação das escolas, utilizando as linguagens da comunicação, artes e tecnologias de informação para melhorar a expressão comunicativa na comunidade escolar. "O educomunicador poderá levantar questões importantes, que preocupam psicólogos por exemplo, e promover encontros com os pais para discussões", exemplifica Soares.

Também em solo paulista, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) estuda incluir um curso de direito à grade.

Rio de Janeiro

Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a novidade é o bacharelado de turismo no campus de Teresópolis, que deve ser oferecido já a partir de agosto deste ano. O curso é fruto de uma articulação entre a Faculdade de Economia, a Faculdade de Comunicação Social, o Instituto de Geografia e o Departamento de História. “A ideia é dar continuidade no processo de interiorização da Uerj e atender a uma área com demanda turística do estado do Rio de Janeiro”, afirma o professor Glaucio Marafon, coordenador do curso de geografia.

Para preencher as 40 vagas, nos turnos da tarde e da noite, será feito um vestibular especial, num modelo diferente do atual da Uerj. Ainda não há data definida, mas a previsão é que o processo seletivo aconteça nesta semestre.

Minas Gerais

Para o vestibular do fim deste ano, a Universidade Federal de Itajubá (Unifei) terá mais três opções de engenharia no campus de Itajubá: energia (70 vagas), civil (30) e aeronáutica (25).

Segundo o pró-reitor de graduação, Alexandre Barbosa, a escolha das especialidades é o aumento de demanda por esses profissionais. “O curso de engenharia aeronáutica procurará enfocar um aspecto de tecnologia mais avançada necessária ao desenvolvimento do país.”

A Federal de Juiz de Fora (UFJF) discute a criação do curso de ciências contábeis para ingresso em 2011. No entanto, a abertura depende ainda da aprovação dos conselhos de unidade e superior da instituição.

A Universidade Federal de Alfenas (Unifal) deve oferecer em breve quatro cursos novos no campus Alfenas: medicina (40 vagas), terapia ocupacional (40), filosofia (40) e serviço social (40). Segundo a Pró-reitoria de Graduação, a abertura dos cursos não tem data porque a instituição está na dependência da liberação de recursos do Ministério da Educação (MEC).

Cada proposta foi pensada com objetivos específicos. No caso de medicina, a Unifal pretende formar profissionais generalistas, que atendam ao modelo de saúde da família. Por conta disso, haverá também a implantação da residência em Medicina da Família e Comunidade, que beneficiará quem trabalha no SUS, por exemplo.

Os cursos de serviço social e terapia ocupacional visam a atender as cidades no sul de Minas Gerais, que, segundo a Unifal, tem tido aumento na demanda por esses profissionais.

Outro curso que está em estudo, mas numa fase mais inicial, é a graduação em educação física. A pró-reitoria afirma ainda que as discussões incluem os campi de Poços de Caldas e Varginha.


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: