dcsimg

UnB vai usar Enem para preencher vagas que restarem do PAS e vestibular


A partir de 2011 as notas obtidas no ENEM servirão para ocupar vagas não preenchidas no PAS e no vestibular.  A decisão foi aprovada pelo Conselho de Ensino Pesquisa na tarde desta quinta-feira, 24 de junho. O modelo, classificado como “cauteloso” por professores e estudantes, servirá como teste para a proposta do governo federal de unificar a forma de ingresso nas universidades públicas do país.

O desempenho acadêmico no Enem, servirá apenas para ocupar vagas que restarem depois de esgotadas todas as chamadas dos candidatos aprovados no vestibular tradicional, no Programa de Avaliação Seriada (PAS) e na Universidade Aberta, UAB. Segundo informações do Decanato de Ensino de Graduação (DEG), cerca de 1% das vagas ofertadas acabam não preenchidas, em média, por semestre. A maior parte delas de cursos que exigem prova de habilidade específica, como Música e Artes.

A proposta para adoção do Enem recebeu 24 votos favoráveis, um contra e duas abstenções. Uma comissão de conselheiros do Cepe apresentou relatório para justificar a opção da UnB. “A substituição total das atuais formas de ingresso não cabe agora, pois o Enem ainda precisa evoluir como processo de avaliação”, afirmou a professora Andréa Maranhão, do Instituto de Ciências Biológicas (IB).

A decana Márcia Abrahão defendeu a cautela na adoção do exame. “Como toda novidade, o Enem precisa de tempo para se aprimorar”, disse. “Acreditamos que a ideia é boa para melhorar a qualidade do ensino médio brasileiro e ampliar o acesso à universidade, mas não podemos comprometer um modelo de avaliação já consolidado enquanto não sentirmos a segurança necessária”, completou a representante do DEG.

O estudante Raul Cardoso elogiou a decisão do Cepe. “Usar as vagas remanescentes é um bom espaço para testar o Enem e ver como a UnB vai reagir”, comentou. O coordenador-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE) destacou pontos a serem melhorados na prova oferecida pelo Ministério da Educação. “Na última edição ainda não tinha prova de língua estrangeira, um ponto essencial”, exemplificou Raul.

Hoje, o Enem é usado por aproximadamente 500 universidades como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular.

OCIOSAS – Ao todo, 115 vagas sobraram no primeiro vestibular de 2010 da UnB. O número corresponde a cerca de 3% do total ofertado. Entre os cursos que tiveram vagas ociosas estão Artes Cênicas, Física, Letras e Ciências Naturais. Márcia Abrahão explica que os candidatos do Enem que optarem por cursos com provas de habilidade específica poderão fazer os testes depois do resultado da avaliação escrita, a partir de 2011. “Para os demais, o processo transcorrerá normalmente”, afirmou a decana.

Um dos pontos favoráveis à adoção do Enem pela UnB foi um estudo realizado numa parceria entre o Cespe e o Departamento de Estatística da universidade. A pesquisa comparou o desempenho de 4.121 estudantes que participaram, na mesma época, do Enem, do PAS e do vestibular da UnB. “A porcentagem de acerto dos candidatos foi muito semelhante nas avaliações. O que mostra que o estudante entraria de uma forma ou de outra”, comentou a professora Márcia Abrahão.

Fonte:  João Campos - Da Secretaria de Comunicação da UnB


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: