dcsimg

UFPI adere integralmente ao SiSU para o próximo vestibular


A Universidade Federal do Piauí aprovou a adesão integral ao ingresso de alunos através do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) - Sistema de Seleção Unificado (SiSU), do Ministério da Educação, a partir do Vestibular/2011.

Após reunir-se com representantes de vários setores da universidade, o reitor Luiz de Sousa Santos Júnior confirmou a mudança na forma do processo de seleção da UFPI, que deve passar a vigorar a partir deste ano, no vestibular 2011-2012.

De acordo com o reitor Luiz de Sousa Santos Junior a adesão ao SisSU foi uma decisão acertada e é um ganho para os estudantes que não ficarão mais divididos entre duas formas de ingresso. "Essa foi uma decisão baseada em informações que nós recebíamos da própria sociedade piauiense. Os estudantes estavam ficando bastante sobrecarregados e divididos entre dois processos. O Enem é um modelo mais simples e que possibilita ao candidato concorrer em qualquer universidade do Brasil", destacou o reitor.

Ainda de acordo com o reitor a atual presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), Malvina Tuttman, está empenhada em fazer os ajustes necessários para otimizar o processo. 

Segundo a diretora de Políticas e Programas de Graduação do MEC/SESU, Paula Branco de Mello, o SiSU trás inúmeras vantagens, tanto para os alunos, quanto para a universidade que o adota. "O Sistema de Seleção Unificada é um meio flexível e tem grande potencial para que os estudantes possam fazer uso dele de várias maneiras, o que não existiria em nenhum outro vestibular", ressalta. Para a representante do MEC, além de abrir uma vasta gama de possibilidades aos candidatos, o processo seletivo democratiza o acesso do público às instituições, tornando-as conhecidas em todo o país, através do reforço à iniciativa de interiorização do Ensino Superior e o crescimento da mobilidade acadêmica.

Além de centralizar o processo seletivo, o Conselho Universitário da UFPI, acredita que utilizando somente o SiSU a universidade irá diminuir os custos necessários para a realização do vestibular. "Ter duas portas de entrada para a universidade fazia com que os recursos utilizados fossem muito grandes, além da ocorrência de alguns problemas, como as chamadas do antigo PSIU, que costumavam se prolongar por vários meses", explica um membro do conselho.

Com direito a gratuidade - para alunos de escola pública - os vestibulandos não terão mais que se deslocarem para Teresina ou demais cidades em que o exame estaria sendo aplicado, já que o ENEM é realizado em quase todas as cidades do país. Dessa forma, os estudantes mais carentes terão maiores chances de ingressar em uma universidade pública, pois muitos deixam de prestar o vestibular por falta de condições financeiras para se deslocar de uma cidade para a outra.

Outro aspecto abordado foi o fato de que apesar do processo de seleção ser unificado, isso não impossibilita que os professores continuem a abordar o conteúdo regional. "A adesão não invalida que o conteúdo local seja explorado. Além do que os estudantes são preparados no ensino fundamental e médio para uma visão geral do mundo e isso muda a forma de educar no país", disse.

O sistema funciona através de três etapas: inscrição, três chamadas e lista de espera, sendo que a última não foi aderida pela UFPI no último vestibular por causa do PSIU. A lista de espera não é obrigatória e cada vez mais várias universidades aderem a esse novo modelo.

A proposta de adesão integral ao SiSU foi acolhida, na reunião do Conselho Universitário, por quase a totalidade dos 31 votantes, sendo apenas dois votos contrários, entre os quais o do vice-reitor da UFPI, além de uma abstenção.

Fonte: UFPI


Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: