dcsimg

UNESP implantou 11 novos cursos de engenharia


O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou o Projeto de Lei para repasse de recursos para implantação de 11 novos cursos de engenharia em nove cidades paulistas. Dois cursos irão compor um novo câmpus da universidade em São João da Boa Vista.

A implantação dos novos cursos ocorrerá de maneira escalonada ao longo de 2012, 2013 e 2014. Ao final de cinco anos, a Universidade deverá ter mais 2.200 alunos em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

A Unesp decidiu pela criação dos novos cursos dentro de um planejamento que, no decorrer do ano de 2011, trabalhou em um programa de expansão que levou em consideração necessidades nacionais, estaduais e locais. As propostas foram recebidas por uma comissão coordenada pela Pró-Reitoria de Graduação. Quatro eixos circunstanciaram o plano: aspectos regionais, vocação da unidade universitária, aspectos acadêmicos e aspectos administrativos.

Os cursos serão implantados após a alteração e publicação do artigo 21, da Lei Estadual Nº 1.124, de maneira escalonada, de acordo com os recursos disponíveis.

A prioridade da implantação será determinada pela administração central, com base no trabalho conjunto da Comissão de Expansão da Unesp e da Assessoria de Planejamento Estratégico (APE), que ouvirá os Diretores e Coordenadores Executivos das Unidades sobre as demandas de cada curso.

Engenharias

A priorização das Engenharias levou em conta um estudo publicado em 2010 pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI) intitulado A Formação de Engenheiros no Brasil: Desafio ao Crescimento e à Inovação.

O documento destaca a diminuição da participação relativa da formação de engenheiros no Brasil. Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (Ocde) de 2007 já demonstravam que, dos formados em cursos de nível superior, 35% são de graduações em engenharia na China; 25% na Coréia do Sul; 14% no México e 7% na Argentina. No Brasil, de acordo com o Censo da Educação Superior (MEC) de 1999, apenas 5,9% dos formandos eram engenheiros. Em 2008, esse número caiu para 5%.

Esses dados evidenciam a perda de peso relativo das áreas tradicionais da engenharia na formação geral de engenheiros no Brasil. Por outro lado, atualmente essas áreas ganham cada vez mais importância econômica e solicitam profissionais qualificados, como é o caso das Engenharias de Produção, Ambiental, de Biossistemas, Operacional, de Qualidade, do Trabalho, de Manufatura, de Alimentos, de Bioprocessos e de Mineração.

“Os cursos agora criados estão num contexto de desenvolvimento do Estado de São Paulo e do país”, afirma o vice-reitor no exercício da Reitoria, Julio Cezar Durigan.

Cidade Curso Nº de vagas
Araraquara – FCF¹ Eng. de Bioprocessos 40 vagas
Araraquara – IQ Engenharia Química 40 vagas
Botucatu² Eng. de Bioprocessos 40 vagas
Dracena Eng. Agronômica 40 vagas
Itapeva Eng. de Manufatura 40 vagas
Registro Eng. de Pesca 40 vagas
Rosana Eng. de Energia e Recursos Renováveis 40 vagas
São João da Boa Vista³ Eng. Eletrotécnica 40 vagas
Eng. de Materiais 40 vagas
São José dos Campos Engenharia Ambiental 40 vagas
Tupã Eng. de Biossistemas 40 vagas

Nota:
1 Três unidades de Araraquara estão envolvidas;
2 As quatro unidades de Botucatu estão envolvidas;
3 Câmpus novo a ser construído, com dois novos cursos.


Fonte: Assessoria de Comunicaçao e Imprensa / UNESP

Comentários

Veja mais artigos de Vestibular

<< Outros artigos de profissoes

Comentários

Siga-nos:

Instituições em Destaque

 
 

Newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas notícias do Vestibular além de dicas de estudo: