Home EstudosSala de AulaBiografias Josef Stalin

Josef Stalin

by

Josef Stalin foi um político soviético, responsável pelo Stalinismo. Nascido em uma pequena cabana na cidadezinha georgiana de Gori, filho de uma costureira e de um sapateiro alcoólatra que freqüentemente o espancava, o jovem Stalin teve uma infância triste e violenta. Pode-se debitar a esse sofrimento grande parte da personalidade implacável e tirânica que revelaria no futuro. Chegou a estudar em um colégio religioso de Tbilisi, capital georgiana, para satisfazer os anseios de sua mãe, que queria vê-lo seminarista. Mas logo acabou enveredando pelas atividades revolucionárias contra o regime tzarista. Passou anos na prisão e, quando libertado, aliou-se a Vladimir Lenin e camaradas, que planejavam a Revolução Russa. Stalin chegou ao posto de Secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética entre 1922 e 1953 e, por conseguinte, o chefe de Estado da URSS durante cerca de um quarto de século, transformando o país numa superpotência.

Antes da Revolução Russa de 1917, Stalin era uma figura menor no interior do partido – era conhecido como “Camarada Fichário”, por seu apego ao trabalho burocrático-, mas teve uma ascensão rápida, tornando-se em Novembro de 1922 o Secretário-geral do Comitê Central, um cargo que lhe deu uma base de poder para vir a exercer um regime ditatorial.

Após a morte de Lenin, em 1924, tornou-se a figura dominante da política soviética.

Em 1928 iniciou um programa de industrialização intensiva e de coletivização da agricultura, impondo uma violenta reorganização social. Nos anos 30 consolidou a sua posição através de uma política de terror. Como arquiteto do sistema totalitário soviético, destruiu as liberdades individuais e criou uma poderosa estrutura militar e de policiamento. Mandou prender, deportar e executar opositores em massa, ao mesmo tempo que cultivava o culto da personalidade como arma ideológica. A ação persecutória de Stalin estendeu-se mesmo a território estrangeiro, uma vez que ordenou o assassinato de Trotsky, então exilado no México.

Desconfiando que as reformas econômicas que implantara produziam descontentamento entre a população, Stalin dedicou-se, nos anos 30, a consolidar seu poder pessoal. Cínico, voluntarioso e mentalmente estreito, tratou de eliminar ou expulsar toda a oposição política. Se alguém lhe parecesse indesejável desse ponto de vista, ele se encarregava de tramar contra o dissidente de diversas maneiras: difamando-o e desacreditando-o perante a opinião pública, ou simplesmente encobrindo seu assassinato com uma morte acidental. Em 1934, Sergei Kirov, principal líder do Partido Comunista em Leningrado (São Petersburgo), apareceu morto. Foi o início de uma série de assassinatos e prisões que passou para a história como o “Grande Expurgo”.

Este se deu no período entre 1934 e 1937 no qual Stalin concedeu tratamento por vezes brutal a todos que tivessem a menor discordância em relação às suas diretrizes de governo. Entre os alvos mais destacados dessa perseguição, estava o Exército Vermelho: metade de seus oficiais acima da patente de major foi eliminada, inclusive treze dos quinze generais-de-exército. Entre estes, Mikhail Tukhachevsky foi uma de suas mais famosas vítimas. Sofreu a acusação – injusta e caluniosa, como soube-se por investigação feita após a morte de Stalin – de ser agente do serviço secreto alemão. Com base em documentos forjados por Reinhard Heydrich, chefe do Serviço de Segurança das SS, Stalin executou Tukhachevsky, além de deportar muitos outros para a Sibéria. Com isso Stalin enfraqueceu o comando militar soviético e mordeu a isca de Heydrich, o qual desejava debilitar a estrutura militar russa com vistas a um futuro ataque das tropas de Hitler.

Em 23 de agosto de 1939, assinou com Hitler um pacto de não-agressão, que recebeu o nome dos Ministros do Exterior alemão e soviético. Stalin esperava ganhar tempo e reorganizar a força industrial-militar da qual a União Soviética não poderia prescindir com vistas a um confronto com a Alemanha Nazista. E Hitler estava ansioso por evitar um confronto imediato com os soviéticos, pois naquele momento ocupar-se-ia de Grã-Bretanha e França. Mas a invasão da União Soviética pelas forças alemãs, em 1941, levou-o a aliar-se ao Reino Unido e aos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Sob a sua ferrenha direção, o exército soviético conseguiu fazer recuar os invasores – não sem perdas humanas terríveis – e ocupar terras na Europa Oriental, contribuindo decisivamente para a derrota da Alemanha Nazista.

Com a sua esfera de influência alargada à metade oriental da Europa, Stalin foi uma personagem-chave do pós-guerra. Dominando países como a República Democrática Alemã, a Tchecoslováquia e a Romênia, estabeleceu a hegemonia soviética no Bloco de Leste e rivalizou com os Estados Unidos na liderança do mundo. Em 5 de março de 1953, veio a falecer devido a uma hemorragia cerebral. Seu corpo ficaria exposto no mesmo salão que Lenin – até que Nikita Kruschev, revisionista das práticas stalinistas, enterrou-o fora dos muros do Kremlin.

Posts Relacionados