Home EstudosSala de AulaHistoria Primeiro Reinado: 2. Política Externa e Abdicação

Primeiro Reinado: 2. Política Externa e Abdicação

by


Ordem de D. Pedro I, Fundador
do Império – Comemorativa do
Reconhecimento da Independência
do Brasil (1826).O Reconhecimento da Independência

a) ESTADOS UNIDOS (1824):

reconhece a independência do
Brasil, baseado na “Doutrina
Monroe
” – {“América para os Americanos”};

b) PORTUGAL (1825): reconhece mediante as pressões inglesas,
recebendo indenização de 2 milhões de Libras esterlinas e
Título de Imperador Honorário para D. João VI;

c) INGLATERRA (1826): mediante renovação dos Tratados
de 1810
por 15 anos.


Os trinta e três patrícios do caudilho uruguaio Lavalleja desembarcaram
em
Agraciada e proclamaram a independência da Cisplatina.

A Guerra da Cisplatina

Campanha da Cisplatina

Em 1825, a Província Cisplatina através do líder Juan
Lavalleja, busca a independência, mas objetiva a anexação
com a Argentina, gerando atritos com o Brasil.

Em 1828, com a mediação inglesa, surge a República Oriental
do Uruguai.

Leitura complementar: Guerra
da Cisplatina

A Questão Sucessória

Em 1826, com a morte de D. João VI, D. Pedro I é aclamado seu
sucessor, porém ele abdica em favor de sua filha D. Maria da Glória,
tutelada pelo tio D. Miguel.

As pretensões de D. Miguel em assumir o trono português levam
D. Pedro I a custear tropas para impedi-lo, gerando grande descontentamento
do povo brasileiro.

Leitura complementar: Questão
Sucessória


D. Pedro entregando o ato de renúncia

O desgaste político de D. Pedro I e a Abdicação

Fatores:

Envolvimento de D. Pedro I na Questão sucessória
de Portugal.
Crise econômica.
Morte de Líbero Badaró (opositor de D.
Pedro I).
Noite
das Garrafadas
” – conflito de rua entre brasileiros e portugueses
– e adesão de parte das tropas ao povo insatisfeito com o Imperador.

A abdicação

Em 7 de Abril de 1831, D. Pedro I abdica do Trono Imperial em favor de seu
filho Pedro de Alcântara (5 anos de Idade).
Termo de Abdicação de D. Pedro I

“Usando do direito que a Constituição
me concede, declaro que hei muito voluntariamente abdicado na pessoa de
meu muito amado e prezado filho o Senhor D. Pedro de Alcântara. – Boa
Vista, sete de abril de mil oitocentos e trinta e um, décimo da Independência
e do Império.
Pedro”.

Leitura complementar: A
Abdicação de D. Pedro I

Posts Relacionados