Home EstudosSala de AulaHistoria Brasil – A Revolução Farroupilha (5) – Locais e eventos

Brasil – A Revolução Farroupilha (5) – Locais e eventos

by


Foto: NASA Praia da Alegria, o ponto de partida

Terreno número zero do loteamento Balneário Alegria, Praia da
Alegria, fundos do Clube Recreativo Riocell, proximidades desta indústria,
na cidade de Guaíba. Às margens do estuário do Guaíba,
o que há de menos ali é areia. Onde deveria estar a praia existem
muitas pedras.

Na época da Revolução Farroupilha funcionava no local
um charqueada, pertencente a um dos revolucionários de primeira hora,
Gomes Jardim. Foi dessa charqueada que foi lançado o ataque a Porto Alegre,
que começou com a tomada da ponte da Azenha, deflagrando o movimento.

“Deste lugar saiu na tarde de 19 de setembro de 1835, Gomes Jardim
com sessenta farrapos para tomar Porto Alegre”
, diz a placa num monumento
cercado existente ao lado de uma residência particular. O monumento original
ficava no terreno dessa residência, mas foi transferido para o ponto onde
se encontra, onde está abandonando. A placa original era em bronze e
foi roubada há alguns anos.

Um dos barcos que conduziu os farroupilhas até Porto Alegre, na outra
margem do Guaíba, o “Avante”, foi usado depois da guerra pelos
descendentes de Gomes Jardim e ficou muito tempo ancorado, abandonado, na Praia
da Alegria, onde foi visto até o início do século. Não
se sabe o que foi feito com ele.


Ponte da Azenha (Porto Alegre), no tempo
da Revolução
Farroupilha (Óleo do Museu Júlio de Castilhos)

A velha ponte do Moinho, um local estratégico

Porto Alegre mal dava seus primeiros passos no século XVIII quando,
fora dos limites de sua pequena vila, uma ponte já começava a
preocupar suas autoridades. Tratava-se de permitir mais facilmente o acesso
a uma parte significativa dos arredores da povoação, para onde
se daria a expansão natural de uma futura cidade. No local onde viria
a se construir a estratégica ponte – importância essa confirmada
quando os farrapos a tomaram numa escaramuça com as forças imperiais
antes de conquistarem Porto Alegre, no início da Revolução
Farroupilha -, havia antigamente um moinho d’água de Francisco Antônio
da Silveira, o Chico da Azenha. Azenha, porque ele era o proprietário
da azenha onde se moía o trigo que atendia as necessidades de farinha
da vila.

Segundo o “Guia Histórico” das ruas de Porto Alegre, de Sérgio
da Costa Franco, em 1777 os membros da Câmara Municipal de Porto Alegre
já discutiam a concessão de verbas para a construção
da ponte, que, portanto, foi a primeira edificada no local. Mas que não
foi duradoura, por uma razão que as pessoas que ainda hoje se movimentam
pela avenida Ipiranga percebem muito facilmente: quando chove nas cabeceiras
do arroio Dilúvio. Em pouco tempo ele pode passar de um pacato arroio
a um violento riacho, profundo e com muita correnteza.

Portanto, em 1802, os vereadores precisaram se reunir novamente para tratar da
ponte, desta vez para mandar reconstruí-la “à custa de todos
os moradores que transitam pela dita ponte”, como informa Costa Franco. A
reconstrução foi efetuada várias vezes, até que em
1935 foi feita a que ainda se mantém no local: mais larga e bem mais sólida
que as anteriores, como facilmente se verifica ao observar-se a estrutura que
diariamente suporta uma intensa movimentação de veículos.
Das 7 às 20 horas passam pela ponte, diariamente, quase 100 mil veículos.

Veja também: A
origem do nome FARRAPOS
| Antecedentes
| Causas
| Combates
e Balanço
| Locais e eventos | Personagens
| O
Rio Grande na época
| O
fim

Fontes:
A Revolução Farroupilha, Sandra Jatahy Pesavento, Editora
Brasiliense | Riogrande.com, Lígia Gomes Carneiro |
Raízes Sócio-econômicas da Guerra dos Farrapos,
Leitman, Spencer – Ed. Graal, 1979 |
A Revolução Farroupilha: história e interpretação,
Freitas, Décio et alli. Ed. Mercado Aberto, 1985 | Rio Grande do
Sul, prazer em conhecê-lo
(como surgiu o Rio Grande), Lessa, Luís
Carlos Barbosa. Ed. Globo, 1984 | História Geral do Rio Grande do
Sul
, Ferreira Filho, Arthur. Ed. Globo, 1978 | História do Rio
Grande do Sul
, Flores, Moacyr. Ed. Nova Dimensão, 1996 | Bento
Gonçalves, o herói ladrão
, Golin, Tau. LGR Artes Gráficas,
1983 | Memória da Guerra dos Farrapos, Brito, Francisco de Sá,
Corag / Arquivo Histórico do RS | A Revolução de 1835
no Rio Grande do Sul
, Barcellos, Ramiro Fortes de Corag / Arquivo Histórico
do RS | Guerra Civil no Rio Grande do Sul, Araripe, Tristão
de Alencar, Corag / Arquivo Histórico do RS | A Revolução
Farroupilha – história documental para a juventude
, Corag / Arquivo
Histórico do RS.

Posts Relacionados