Home PreparaçãoBanco de QuestõesPortuguês A Educação Pela Pedra, de João Cabral de Melo Neto

A Educação Pela Pedra, de João Cabral de Melo Neto

by

1.

(FDV) O poema que dá o título da obra A educação pela pedra
apresenta tais características, com exceção de:

(A) reflexão metalingüística;
(B) elaboração formal;
(C) lirismo sem sentimentalismo;
(D) individualismo subjetivista;
(E) construção arquitetônica do verso.

2. (UFV) Leia atentamente o poema abaixo, de João
Cabral de Melo Neto:

A educação pela pedra

Uma educação pela pedra: por lições;
para aprender da pedra, freqüentá-la;
captar sua voz inenfática, impessoal
(pela de dicção ela começa as aulas).
A lição de moral, sua resistência fria
ao que flui e a fluir, a ser maleada;
a de poética, sua carnadura concreta;
a de economia, seu adensar-se compacta:
lições de pedra (de fora para dentro,
cartilha muda), para quem soletrá-la.

Outra educação pela pedra: no Sertão
(de dentro para fora, e pré-didática).
No Sertão a pedra não sabe lecionar,
e se lecionasse não ensinaria nada;
lá não se aprende a pedra: lá a pedra,
uma pedra de nascença, entranha a alma.

(MELO NETO, João Cabral de. A educação pela pedra.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996. p. 21.)

Assinale a alternativa que NÃO traduz uma leitura possível do
poema acima:

(A) O poeta apreende da pedra a própria vivência na vida agreste
do Sertão: de austeridade, resistência silenciosa e sempre capaz
de dar lições de vida e de poesia.
(B ) Os versos metalingüísticos revelam a própria poética
cabralina: concreta, impessoal, concisa, embora profundamente social.
(C) Ao partir do pressuposto de que a pedra é muda, e, portanto,
não ensina nada, o poeta suscita uma reflexão sobre a situação
educacional precária no Nordeste.

(D ) O eu lírico também apreende da pedra os próprios versos
enxutos, num esforço de dissecação de quaisquer sentimentalismos.
(E ) No poema, de intensa economia verbal, a pedra faz-se metáfora da
paisagem do Sertão, que “entranha a alma”, e espelha o fazer
poético do autor pernambucano.

3. (UFV) Leia com atenção as seguintes afirmações
a respeito da obra A Educação pela Pedra, de João
Cabral de Melo Neto:

I. Neste livro, o engenheiro-poeta extrai dos motivos nordestinos e espanhóis
a matéria bruta para a construção dos versos pautados pela
discursividade lógica da sintaxe, despoetização e anti-musicalidade
– recursos intensamente utilizados na literatura contemporânea.

II. A temática, principalmente centrada em motivos nordestinos, é
utilizada pelo autor como imitação do romance social dos anos
30; daí a proposta de aprendizagem de uma poesia mais engajada e popular,
em linguagem menos complexa.

III. No livro, como em grande parte da poesia da modernidade, são constantes
os poemas metalingüísticos, expressivos da tentativa do poeta de
apreender seu próprio processo de construção poética,
e extrair lições da realidade – sua e da própria
linguagem.

É CORRETO apenas o que se afirma em:

(A) I.
(B ) I e II.
(C) I e III.
(D ) II.
(E ) III.

4. (UFSCAR) Esse poema consta na primeira parte de A educação pela pedra, considerada pelo
autor sua obra máxima. Depois de uma leitura atenta, responda.

A) Qual o contraste entre a busca da palavra e o resultado de sua execução na boca do sertanejo?

B) A que se refere, no texto, a palavra ela, no primeiro verso da segunda estrofe? Justifique sua
resposta.

RESPOSTAS:

A) O texto estabelece um contraste entre a palavra em si e a sua execução na boca do sertanejo: no
“idioma pedra”, as palavras são ásperas, duras e ferem a boca, por isso o sertanejo as pega com cuidado,
confeitando-as. Daí, sua fala enganar: as palavras duras do idioma soam doces em seu modo de falar.

B) “Ela” se refere de imediato à passagem “glace / de uma entonação lisa, de adocicada.” No entanto, de
um modo geral, retoma a idéia de fala, mencionada no primeiro verso. Ou seja, sob ela (a fala adocicada
do sertanejo), existe a língua/idioma de pedra.

Posts Relacionados