Home PreparaçãoBanco de QuestõesPortuguês Antologia, de Gregório de Matos

Antologia, de Gregório de Matos

by

6.

(UFLA) Leia as estrofes abaixo para responder à questão.

“Que falta nesta cidade? Verdade.
Que mais por sua desonra? Honra.
Falta mais que se lhe ponha? Vergonha.

O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
Numa cidade onde falta
Verdade, honra, vergonha.”

Pode-se reconhecer nos versos acima, de Gregório de Matos,

(A) o caráter do jogo verbal próprio da poesia religiosa do século
XVI, sustentando piedosa lamentação pela falta de fé do
gentio.
(B) o estilo pedagógico da poesia neoclássica, por meio da qual
o poeta se investe das funções de um autêntico moralizador.
(C) o caráter de jogo verbal próprio do estilo
barroco, a serviço de uma crítica, em tom de sátira, do
perfil moral da cidade da Bahia.

(D) o caráter do jogo verbal próprio do estilo barroco, a serviço
da expressão lírica do arrependimento do poeta pecador.
(E) o estilo pedagógico da poesia neoclássica, sustentando em tom
lírico as reflexões do poeta sobre o perfil da cidade da Bahia.

7. (FUVEST)

Uma só natureza nos foi dada;
Não criou Deus os naturais diversos;
Um só Adão criou, e esse de nada.

Todos somos ruins, todos perversos,
Só nos distingue o vício e a virtude
De que uns são comensais, outros adversos.
(Gregório de Matos)

A partir do texto pode-se concluir que:

(A) a opção entre o bem e o mal
resulta do livre-arbítrio e não da Providência divina.

(B) por obra divina, os homens são substancialmente diversos e por isso
seguem caminhos distintos.
(C) os elementos negativos do homem advêm de sua origem: o nada.
(D) Deus fez os homens dotados de consciência para que pudessem distinguir
o vício da virtude.
(E) somente a virtude pode eliminar a perversidade que caracteriza a natureza
humana.

8. (FUVEST)

Uma só natureza nos foi dada;
Não criou Deus os naturais diversos;
Um só Adão criou, e esse de nada.

Todos somos ruins, todos perversos,
Só nos distingue o vício e a virtude
De que uns são comensais, outros adversos.
(Gregório de Matos)

Considerando o sentido do poema, é aceitável a seguinte conclusão
sobre a segunda estrofe:

(A) como os homens podem aliar-se ao vício ou à virtude, a perversidade
atinge todos eles.
(B) se todos os homens conseguissem distinguir entre o vício e a virtude,
saberiam como vencer sua natureza perversa.
(C) quando se reconhece capaz de diferenciar o vício da virtude, o homem
aceita o que há de ruim em seus semelhantes.
(D) embora todos os homens tenham a mesma natureza,
diferenciam-se por aceitarem ou recusarem o vício e a virtude.

(E) os homens possuem uma essência maligna, portanto são adversos
à virtude e somente aderem aos vícios.

9. (UFLA) Leia o poema para responder à questão.

EPÍLOGOS

Que falta nesta cidade?……………………Verdade
Que mais por sua desonra?………………Honra
Falta mais que se lhe ponha?……………Vergonha
O demo a viver se exponha
Por mais que a fama a exalta,
Numa cidade onde falta
Verdade, honra, vergonha.

Sobre o fragmento da poesia Epílogos, de Gregório de Matos, todas as
alternativas estão corretas, EXCETO:

(A) Valeu-lhe o apelido de “Boca do Inferno”, que se refere à sua capacidade de provocação.
(B) O aspecto satírico do poema é um dos traços que contribuiu para “abrasileirar” o Barroco.
(C) Há uma tentativa de fundir o aspecto material com o espiritual,
representado pelo uso de antíteses perfeitas.

(D) Tem como objetivo provocar e ridicularizar os políticos e os que viviam
para bajular os poderosos.
(E) O uso das palavras “verdade”, “honra”, “vergonha” nos finais dos versos
constituem um recurso de linguagem para enfatizar a mensagem.

Posts Relacionados