Home Vestibular Descubra até quantos pontos você pode tirar no ENEM!

Descubra até quantos pontos você pode tirar no ENEM!

by

A questão da nota do Enem dá nó na cabeça até dos mais entendidos no assunto. É uma matemática nada fácil de entender: não dá para tirar zero numa prova, mas dá na outra. Dá para tirar 1.000 em uma e mais de 1.000 em outra – e por aí vai!

 

Parece aqueles enigmas que a gente vê nos filmes de ficção científica. Só que, diferentemente do cinema, esse aqui dá para decifrar com um pouco mais facilidade.

 

A explicação para tudo está na forma como as provas objetivas e a redação são corrigidas. Então, se você também está tentando entender o esquema das notas do Enem, fique ligado que a gente explica direitinho!

 

Entenda como são calculadas as notas do Enem

Teoricamente, a pontuação do Enem vai de zero a 1.000, tanto nas provas objetivas quanto na redação.

 

Só que não dá para tirar zero numa objetiva (a menos que o candidato não compareça ou entregue a folha de respostas em branco) e, até pouco tempo, ninguém havia tirado 1.000.

 

A história mudou em janeiro de 2016, quando saiu o resultado do Enem 2015.

 

Naquele ano, alguns estudantes tiveram uma surpresa e tanto ao conferir o boletim de desempenho: a nota em Matemática chegou a 1.008,3 – alguns pensaram se tratar de um erro de sistema.

 

Todos que obtiveram esse desempenho surpreendente haviam gabaritado a prova – mas ainda assim, como é possível tirar uma nota acima da máxima? Se uma prova vale 10, como posso tirar 11?

 

Esse é um dos muitos mistérios do Enem que se podem ser explicados pelo modelo de correção das provas, a tal Teoria de Resposta ao Item.

 

A TRI, como também é conhecida, é um complexo sistema de análise baseado em Matemática, Estatística e Psicometria. A diferença dos tradicionais é que o modelo tenta medir o conhecimento do aluno dentro de um contexto que leva em conta também o desempenho dos outros candidatos.

 

É muito mais do que sua capacidade de acertar ou errar questões.

 

Como a análise é feita levando em conta a performance dos demais inscritos, o sistema consegue identificar se fulano tem mais conhecimento que beltrano, ou que sicrano é melhor em determinada área.

 

No Enem 2015, a média geral e a nota mínima de Matemática foram consideradas baixas. Por isso, o grupo que gabaritou a prova, que é considerada uma das mais difíceis, acabou extrapolando o patamar de 1.000 pontos.

 

O mesmo vale para a situação inversa: quem erra todas as questões objetivas não tira zero, porque dentro do contexto geral das provas e dos outros candidatos, o Enem não considera que alguém tenha zero conhecimento em relação ao tema.

 

No Enem 2016, por exemplo, a nota mínima na prova de Matemática foi 309,6.

 

Até quantos pontos posso tirar nas provas objetivas do Enem?

Teoricamente, até 1.000 pontos. Mas, como você viu acima, esse é um número muito difícil de atingir, pois as notas mínimas e máximas das provas objetivas mudam a cada edição, em função do desempenho de todos os candidatos. No Enem 2016 muita gente chegou perto, com nota máxima de 991,5 em Matemática. Por outro lado, a pontuação máxima de Linguagens não chegou a 850.

 

Com as mínimas é o mesmo princípio: mesmo quem erra todas as questões não tira zero por causa do desempenho coletivo.

 

Veja um comparativo de notas máximas e mínimas entre duas edições do Enem, a de 2016 e a de 2015:

 

Ciências Humanas e Suas Tecnologias

2016

Mínima: 317,4

Máxima: 859,1

2015

Mínima: 314,3

Máxima: 850,6

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

2016

Mínima: 287,5

Máxima: 846,4

2015

Mínima: 302,6

Máxima: 825,8

 

Matemática e suas tecnologias

2016

Mínima: 309,7

Máxima: 991,5

2015

Mínima: 280,2

Máxima: 1.008,2

 

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

2016

Mínima: 316,5

Máxima: 871,3

 

2015

Mínima: 334,3

Máxima: 875,2

 

 

Nas provas objetivas, parte-se do princípio que nenhum candidato que está ali tem zero conhecimento em qualquer área que seja. Por isso a nota zero não existe – exceto talvez se absolutamente todos os candidatos zerassem a mesma prova, o que é meio impossível de acontecer.

 

Matemática e Ciências da Natureza, por serem as provas do Enem em que as pessoas têm mais dificuldade (historicamente têm ficado entre as menores médias gerais), rendem maior nota àqueles que acertam um número razoável de questões.

 

 

Até quantos pontos posso tirar na redação do Enem?

Aqui não tem muito mistério a desvendar – as notas podem ir de zero a 1.000 e ponto final. A redação do Enem é avaliada individualmente, da forma tradicional, sem levar em conta o contexto geral dos outros participantes.

 

Elas são analisadas por dois avaliadores especializados, que vão atribuindo de 0 a 200 pontos em cada um dos cinco quesitos abaixo:

1.     Conhecimento em Língua Portuguesa.

2.     Entendimento da proposta da redação e do formato pedido (o dissertativo-argumentativo).

3.     Uso coerente de informações na defesa do ponto de vista.

4.     Construção, argumentação e encadeamento lógico de ideias.

5.     Elaboração da proposta de intervenção social (com respeito aos direitos humanos).

 

A nota é calculada com base no somatório de pontos das duas avaliações e média aritmética simples.

 

 

Dá para calcular os pontos do Enem?

É impossível calcular a nota do Enem, mesmo que você tenha acertado uma boa quantidade de questões.

 

O Exame, como já falamos, não faz um somatório simples dos erros e acertos. É preciso levar em conta o desempenho dos outros candidatos, o grau de dificuldade das questões e, principalmente a coerência nas respostas.

 

A coerência é o que ajuda o Enem a identificar os chutes. A ideia é simples: os acertos devem corresponder ao grau de conhecimento do candidato.

 

Exemplo:

 

Espera-se que o candidato que sabe pouco acerte apenas as questões fáceis. Quem tem baixo conhecimento naquele assunto, teoricamente, não é capaz de resolver questões muito complexas, concorda? Se acertar alguma difícil é indicativo de chute. O acerto aleatório não é invalidado, mas vai render menos pontos.

 

Quem tem conhecimento razoável provavelmente vai acertar as fáceis e as médias. Quem é expert, acerta as fáceis, as médias e algumas difíceis. Quem é super cérebro, como aquele grupo que tirou 1.008 em Matemática em 2016, por exemplo, acerta tudo.

 

Para que serve a nota do Enem?

É importante estudar bastante para tirar uma boa nota no Enem. Com ela, é possível disputar vagas em universidades públicas, descolar bolsas de estudos, financiamento e entrar direto na faculdade, sem vestibular. Conheça os processos seletivos que usam o desempenho no Enem:

  • Sisu – Distribui vagas em universidades públicas de todo o Brasil. Para entrar na disputa, basta não ter zerado na redação do Enem mais recente. A concorrência aqui é altíssima.

  • ProUni – Oferece a oportunidade de estudar em faculdades particulares com bolsas de estudos parciais e integrais. Para concorrer ao benefício é preciso ter obtido no mínimo 450 pontos na média das provas e não ter zerado na redação do Enem mais recente. O ProUni é destinado a estudantes que atenderem aos requisitos de renda e escolaridade definidos pelo MEC. O processo seletivo é bem concorrido e abre duas vezes por ano.
  • FIES – Com o FIES dá para financiar um curso superior em faculdade privada e pagar a dívida só depois da formatura. Pode concorrer ao benefício quem tem pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação de qualquer Enem a partir de 2010. Também é preciso atender ao critério de renda. A seleção ocorre duas vezes por ano.
  • Ingresso direto – muitas faculdades particulares aceitam a nota do Enem como forma de ingresso direto, sem precisar passar por vestibular. Conheça algumas:

 

Veja também:

Descubra tudo o que você pode fazer com a nota do ENEM

 

Entendeu mais ou menos como funciona a nota do Enem? Conte para a gente nos comentários!

Posts Relacionados