dcsimg

Saiba como fazer uma redação no Enem nota 1000


A redação é uma das provas mais decisivas do Enem. Se por um lado um zero atrapalha a vida de quem pretende concorrer a uma vaga na faculdade pelo Sisu, ProUni e FIES, por outro lado um bom desempenho abre muitas portas!

A nota máxima da redação do Enem é 1.000 pontos. Acha difícil alcançar esse patamar? Pois saiba que com bastante treino e disciplina é possível chegar lá!

Descubra agora mesmo como é a redação do Enem, conheça os critérios de avaliação, dicas para fazer um bom texto e quais assuntos costumam cair na prova!

 

Como é a redação do Enem?

A redação costuma ser aplicada logo no primeiro dia do Enem, junto com as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

O modelo solicitado é o dissertativo-argumentativo. Isso quer dizer que você vai ter que tomar partido sobre o tema proposto, defender a sua opinião com argumentos sólidos e chegar a uma conclusão coerente com o seu raciocínio. Não dá para ficar “enchendo linguiça”.

O formato obedece a um esquema que pode ser estudado e praticado. Basicamente, em quatro ou cinco parágrafos dá para resolver bem o texto, escrevendo uma introdução, o desenvolvimento e uma conclusão. Mais adiante vamos ver melhor cada uma dessas partes.

Depois de fazer o rascunho, é preciso passar a limpo o conteúdo para a Folha de Redação. Esse será o texto definitivo corrigido pelos avaliadores. Ele deve estar escrito com caneta de tinta preta, ter no mínimo sete linhas e no máximo 30.

Antes de apresentar o assunto da redação, a prova traz alguns textos motivadores, que servem para você se situar com relação ao tema proposto.

Como fazer uma boa redação no Enem?

A primeira coisa a saber são as cinco competências avaliadas na redação. Os corretores estarão de olho em:

  • Bom português: escrever corretamente, de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa, é fundamental. Erros gramaticais vão tirando pontos da sua redação. Para melhorar seu domínio do idioma, além de estudar gramática, é recomendável ler com frequência.

  • Compreensão do tema: você precisa demonstrar compreensão sobre o tema solicitado e que tem capacidade para desenvolver o assunto em uma dissertação argumentativa. A dica aqui é estar sempre atualizado. Fique de olho no que é publicado nos jornais, em sites confiáveis (muito cuidado com notícias falsas, as chamadas “fake news” que circulam pelas redes sociais) e em programas de opinião e debate.

  • Ideias bem organizadas: não basta conhecer o tema. É preciso saber selecionar as ideias, fatos e opiniões centrais que farão parte do argumento, relacioná-las umas com as outras e apresentá-las em um formato coerente para defender seu ponto de vista. Para desenvolver essa competência, é legal fazer muitas redações, pegando temas dos Enem ou de vestibulares de anos anteriores.

  • Argumentação sólida: seus argumentos têm que ser fortes, sem dar lugar a dúvidas. Você tem que convencer o leitor de que a sua ideia tem fundamento. A prática aqui também é muito bem-vinda. Procure cumprir a meta de escrever um determinado número de redações toda semana. Se você tiver um professor à mão para corrigir e comentar, melhor ainda!

  • Proposta de intervenção: os avaliadores esperam que o texto seja concluído com uma ou mais sugestões de solução para os problemas tratados no texto. Tenha sempre muito cuidado para não ser ofensivo, fazer propostas que possam ser consideradas preconceituosas ou desrespeitar os direitos humanos – esse tipo de deslize pode render vários pontos a menos.

Outra dica é quanto à estrutura da sua redação dissertativo-argumentativa. Ela deve conter estas três partes:

  • Introdução: logo de cara, tome partido e deixe claro o seu posicionamento a respeito do tema proposto. A introdução não deve ser extensa (cinco linhas podem ser suficientes).

  • Desenvolvimento: aqui você vai explicar e defender o posicionamento comentado na introdução. Sempre que possível, use dados concretos (fatos, números, estatísticas). O desenvolvimento pode ser feito em mais de um parágrafo e ocupar, ao todo, de 10 a 20 linhas.

  • Conclusão: este é o momento de “amarrar” todos os argumentos e chegar a uma conclusão coerente, que deve conter também a proposta de solução ao problema. Com uma média de cinco linhas, dá para fazer um bom final para o seu texto.

Que temas costumam cair na redação do Enem?

Os temas da redação do Enem são bem variados, mas todos eles têm a ver com assuntos da atualidade social brasileira – por isso a necessidade estar atento aos principais debates do país.

Mesmo que você não domine totalmente o assunto proposto, não se desespere. Lembre-se de que haverá os textos motivadores, que servem de apoio e referência para o participante. O único cuidado é para não copiar frases desses textos, pois isso vai tirando pontos da nota final.

Confira os temas de redação de algumas edições recentes do Enem:

  • 2017 – Desafio para a formação educacional de surdos no Brasil
  • 2016 – Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil
  • 2015 – A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira
  • 2014 – Publicidade Infantil em questão no Brasil
  • 2013 – Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil
  • 2012 – O movimento imigratório para o Brasil no século XXI
  • 2011 – Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado
  • 2010 – O trabalho na construção da dignidade humana

Faculdades que aceitam a nota do Enem como forma de ingresso

Você já deve saber que a nota do Enem pode garantir vaga no curso universitário dos seus sonhos e também em programas do governo como o FIES e o ProUni.

Veja agora uma lista com sugestões de faculdades reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) que participam do ProUni e do FIES, além de aceitarem o desempenho no Enem como critério de seleção de alunos:

Veja também:

Como estudar para o Vestibular

 

Já está praticando as redações para o próximo Enem? Nossas dicas foram úteis para você? Deixe aqui seus comentários!


Comentários