dcsimg

Enem 2017 ? quais as notas de corte para cada curso?


O resultado do Enem 2017 está disponível desde o dia 18 de janeiro de 2018.

Como foi seu desempenho?

Essa pergunta é importante, afinal uma boa nota no Enem pode ser o passaporte para a universidade em 2018

E quem está levando o assunto a sério já deve ter ouvido falar nas notas de corte – que dão a maior dor de cabeça na hora de disputar uma vaga em universidade pública, concorrer a uma bolsa de estudos ou mesmo tentar financiar o curso a juros baixos!

Para garantir uma vaga, sua meta deve ser superar as médias que vêm sendo registradas até agora! Para isso, nós vamos dar uma ajudinha: conheça as notas de corte para alguns dos cursos mais procurados do Brasil e descubra que pontuação você precisa obter no Enem 2017 para entrar na faculdade!

Onde você vai encontrar a nota de corte

As notas de corte são calculadas com base no desempenho dos participantes que disputam uma vaga no mesmo curso, mesma faculdade, turno, campus e modalidade de concorrência (cotas ou gerais).

Elas variam a cada edição porque, afinal, o desempenho dos candidatos também muda. Só que nos últimos anos a gente tem verificado uma certa constância no desempenho mínimo para passar em diversos processos seletivos que usam a nota do Enem, que são:

  • ProUni: programa que oferece bolsas de estudos parciais e integrais em faculdades particulares de primeira linha.
  • Sisu: processo seletivo que distribui vagas em cursos nas tão desejadas universidades públicas de todo o país.
  • FIES: programa do Governo Federal que facilita a vida de quem precisa financiar um curso superior. Os juros são abaixo do valor do mercado e o prazo para pagamento é longo.

Confira agora a variação das notas de corte para passar em cada um deles!

Nota de corte para os cursos do Sisu

De todos os processos seletivos que usam a nota do Enem, o Sisu é o que registra as maiores notas de corte.

Em geral, o cenário é o seguinte:

  • Administração: de 550 a 700 pontos
  • Agronomia: de 600 a 700 pontos
  • Arquitetura: de 650 a 750 pontos
  • Biologia: de 600 a 700 pontos
  • Ciências Contábeis: de 600 a 700 pontos
  • Direito: de 650 a 800 pontos
  • Educação Física: de 600 a 700 pontos
  • Enfermagem: de 600 a 730 pontos
  • Engenharia Civil: de 700 a 800 pontos
  • Engenharia de Automação: de 650 a 800 pontos
  • Engenharia de Computação: de 650 a 800 pontos
  • Engenharia de Produção : de 650 a 750 pontos
  • Engenharia Elétrica: de 700 a 800 pontos
  • Engenharia Mecânica: de 700 a 800 pontos
  • Engenharia Química : de 650 a 800 pontos
  • Farmácia: de 600 a 750 pontos
  • Gastronomia: de 600 a 700 pontos
  • Gestão de Recursos Humanos: de 600 a 680 pontos
  • Gestão Financeira: de 550 a 650 pontos
  • História: de 580 a 680 pontos
  • Jornalismo: de 650 a 760 pontos
  • Letras (várias habilitações): de 580 a 680 pontos
  • Medicina: acima de 800 pontos
  • Nutrição: de 650 a 760 pontos
  • Odontologia: de 650 a 800 pontos
  • Pedagogia: de 600 a 730 pontos
  • Psicologia: de 600 a 750 pontos
  • Química: de 550 a 650 pontos

Nota de corte para os cursos do ProUni

Conseguir uma bolsa de estudos pelo ProUni também não é nada fácil. Além das notas de corte, que podem ser tão altas quanto no Sisu, o candidato ainda precisa se encaixar nos critérios de escolaridade, renda e desempenho no Enem para participar.

Confira algumas médias:

  • Administração: de 480 a 700 pontos
  • Agronomia: de 550 a 650 pontos
  • Arquitetura: de 550 a 720 pontos
  • Ciências Contábeis: de 460 a 750 pontos
  • Comunicação Social: de 500 a 680 pontos
  • Direito: de 450 a 800 pontos
  • Educação Física: de 460 a 680 pontos
  • Enfermagem: de 540 a 700 pontos
  • Engenharia Aeronáutica: de 650 a 750 pontos
  • Engenharia Civil: de 580 a 750 pontos
  • Engenharia de Computação: de 550 a 750 pontos
  • Engenharia de Produção: de 500 a 650 pontos
  • Engenharia Elétrica: de 600 a 740 pontos
  • Farmácia: de 550 a 700 pontos
  • Física: de 450 a 550 pontos
  • Gestão de Recursos Humanos: de 460 a 680 pontos
  • Gestão Financeira: de 450 a 550 pontos
  • História: de 450 a 550 pontos
  • Jornalismo: de 500 a 720 pontos
  • Letras (várias habilitações): de 450 a 680 pontos
  • Medicina: de 700 a 820 pontos
  • Nutrição: de 550 a 700 pontos
  • Odontologia: de 600 a 760 pontos
  • Pedagogia: de 450 a 680 pontos
  • Psicologia: de 580 a 730 pontos
  • Química: de 450 a 550 pontos
  • Radiologia: de 450 a 550 pontos

Nota de corte para os cursos do FIES

O FIES tem notas de corte que, no geral, são mais baixas que no ProUni e no Sisu. Ainda assim não é nada fácil conseguir o benefício – especialmente se o curso que você procura for Medicina ou Engenharia.

Dê uma olhada nas médias:

  • Administração: de 450 a 680 pontos
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas: de 450 a 630 pontos
  • Arquitetura e Urbanismo: de 600 a 700 pontos
  • Ciências Biológicas: de 450 a 600 pontos
  • Ciências Econômicas: de 500 a 650 pontos
  • Comunicação Social – Jornalismo: de 560 a 700 pontos
  • Direito: de 500 a 700 pontos
  • Educação Física: de 450 a 630 pontos
  • Enfermagem: de 450 a 680 pontos
  • Engenharia Civil: de 550 a 700 pontos
  • Farmácia: de 530 a 600 pontos
  • Gastronomia: de 450 a 650 pontos
  • Gestão de Recursos Humanos: de 450 a 630 pontos
  • Gestão Financeira: de 450 a 600 pontos
  • Jornalismo: de 530 a 570 pontos
  • Letras: de 450 a 600 pontos
  • Medicina: de 700 a 800 pontos
  • Nutrição: de 550 a 700 pontos
  • Odontologia: de 600 a 700 pontos
  • Pedagogia: de 450 a 650 pontos
  • Psicologia: de 600 a 700 pontos

Um detalhe importante sobre o FIES: o candidato pode usar a nota de qualquer edição do Enem a partir de 2010. Portanto, não precisa necessariamente ter feito o exame de 2017 para concorrer. É preciso atender aos critérios de desempenho mínimo no Enem e renda familiar para concorrer ao benefício.

Onde mais dá para usar a nota do Enem 2017

Se o seu lance é estudar numa faculdade particular, existe ainda a possibilidade de usar a nota do Enem para entrar direto na instituição sem ter que passar pelo perrengue de um vestibular.

O ingresso direto é cada vez mais popular entre instituições privadas de todo o país.

A seguir, selecionamos algumas faculdades bem avaliadas pelo Ministério da Educação que oferecem essa forma de ingresso e, além disso, também aceitam ProUni e/ou FIES e têm seus programas próprios de financiamento sem burocracia, desconto, convênios e bolsas de estudos:

Veja também:

O que fazer com a nota do Enem 2017?

Como está seu ritmo de estudos? Vai dar para encarar as notas de corte do Enem? Conte para a gente nos comentários!


Comentários