Home Vestibular Segundo professores, tema abrangente dificultou redação

Segundo professores, tema abrangente dificultou redação

by

A redação foi analisada como o principal complicador da prova
de português da segunda fase da Fuvest 2009, realizada neste domingo (4).
Segundo os especialistas, o tema sobre as fronteiras foi abrangente e pode ter
provocado dúvidas nos candidatos.

> Veja
aqui a prova de português da segunda fase da Fuvest

“A Fuvest deu algo muito abrangente, por isso, ficou bastante difícil.
A prova trouxe apenas o significado da palavra fronteira, sem nenhum texto de
apoio”, afirma Elisa Massaranduba, professora de redação
do Curso Objetivo. Na opinião dela, havia um grande risco de o candidato
tentar tratar de todas as acepções do dicionário dadas
e se perder. “O vestibulando pode ter levado muito tempo para contextualizar
todos os casos e a redação ter ficado informativa e não
argumentativa. Há uma grande chance de muita gente ter fugido do tema.”

Segundo a professora de redação do Cursinho da Poli, Eclícia
Pereira, o tema da redação foi “muito rico”, mas exigiu
um “repertório cultural” do candidato. “A coletânea
era muito simples e isso aumentava a responsabilidade do estudante. Era preciso
estar bem informado”, afirma. Um bom aluno de geografia, de acordo com
Eclícia, pode ter se saído bem no texto. “O tema é
interessantíssimo, mas a prova era simples demais”, pontua.

A redação foi diferente de anos anteriores da Fuvest, diz o professor
de língua portuguesa do Curso Anglo, Eduardo Calbucci. “A banca
deu um verbete de dicionário, uma imagem e um pequeno texto. E pediu
uma redação abordando uma ou até duas das idéias
sugeridas”, explica. “Isso é um facilitador e um complicador.
Facilita, pois o aluno pode abordar o tema de vários ângulos. Mas
complica, porque o estudante tem de mostrar o poder de argumentação”,
analisa Calbucci. Para ele, o fato de a coletânea de textos oferecida
ser pequena ajudou o aluno, pois o vestibulando teve tempo de ler três
ou quatro vezes antes de se dedicar à escrita.

“O tema dava a possibilidade de o vestibulando fazer várias abordagens,
desde a fronteira política, econômica e social até a psicológica”,
diz Célia Passoni, coordenadora de português do curso Etapa. Ela
afirma que o candidato que tivesse algum treino e dominasse aspectos da globalização,
por exemplo, tinha grandes chances de ir bem.

Dificuldade

Em relação às questões de português, o nível
de dificuldade foi considerado de médio para difícil. Nelson Dutra,
professor de português do Objetivo, avalia que a prova seguiu o estilo
das anteriores da Fuvest, com um grau adequado de cobrança. “As
questões de literatura foram sobre assuntos centrais das obras. “Não
houve nada de rodapé. O aluno que tiver lido os livros e assistido a
aulas críticas sobre a obra não deve ter tido dificuldade”,
afirma Dutra.

“O grau de dificuldade foi semelhante ao do ano passado, isto é,
nem fácil nem difícil. A prova exigia bastante dos candidatos,
mas aquele bem preparado, com uma boa bagagem e excelente leitura, não
deve ter enfrentado problemas”, afirma Célia. Segundo ela, das dez
questões, quatro eram de interpretação de texto, duas,
de gramática aplicada e quatro, de literatura. “Foi uma prova bastante
abrangente”, avalia a professora.

Para o professor de português do Cursinho da Poli Roberto Gonçalves
Juliano, o conteúdo das questões esteve de acordo com o programa
ministrado no ensino médio. “Não houve pegadinhas e o bom
aluno pode atingir o que era esperado. A prova foi séria, simples e ofereceu
oportunidade para o estudante se expressar. O candidato é avaliado pela
capacidade de expressão escrita”, opina.

Estão em disputa 10.557 vagas na USP, cem na Santa Casa de São
Paulo e 50 na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (35 para o
masculino e 15 para o feminino).

As outras provas são específicas e variam de acordo com a carreira
escolhida. Nesta segunda-feira (5), será aplicada a
prova de história ou química. Na terça (6),
será a vez dos exames de geografia ou biologia. Na quarta (7),
a Fuvest aplica a prova de física e, na quinta (8),
a de matemática.

A relação dos aprovados em primeira chamada será divulgada
no dia 4 de fevereiro. As matrículas deverão
ser feitas nos dias 9 e 10 de fevereiro. A segunda chamada
acontece no dia 13 de fevereiro. No dia 17 de fevereiro,
será realizada a matrícula dos aprovados na segunda lista.

Mais informações podem ser obtidas no site da instituição:
www.fuvest.br.

Posts Relacionados