Home Vestibular Até que idade você pode fazer o ENEM? Descubra!

Até que idade você pode fazer o ENEM? Descubra!

by Lucas Gomes

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), depois que se transformou na prova mais importante do País, começou a atrair milhões e milhões de participantes, de várias faixas etárias.

É que as pessoas estão se dando conta que um bom desempenho no Enem pode mudar a vida de quem busca qualificação, independentemente da idade!

O melhor de tudo: o Exame é totalmente democrático e aberto a todos os interessados!

Veja até que idade você pode fazer o Enem e como usar a nota para garantir vaga no ensino superior!

 

Limite de idade para fazer o Enem

Não há limite de idade para fazer o Enem. Você pode ter mais 100 anos e fazer as provas. Também pode ter menos de 18 e encarar o Exame, sem problemas. Se os elfos (mitológicos seres imortais) existissem e quisessem, também poderiam fazer o Enem – mesmo aqueles com mais de 3.000 anos de idade.

O Enem é aberto a todos que quiserem realizar a prova, sem qualquer distinção. Fora que nunca é tarde para investir em conhecimento!

A única questão é que só vai poder concorrer a uma vaga no ensino superior quem já tiver concluído o ensino médio.

 

Quem pode fazer o Enem?

O Enem é um exame criado para avaliar o ensino médio público e privado no Brasil. É direcionado, inicialmente, a quem está terminando essa etapa dos estudos.

Basicamente, todo mundo pode fazer o Enem, mesmo quem ainda não terminou o ensino médio – que podem participar das provas como “treineiros” e têm tratamento diferenciado. Nesse caso, não podem usar a nota da prova para ingressar no ensino superior e só têm acesso ao boletim de desempenho depois de quem faz a prova “para valer”.

O Enem é tão inclusivo que, além do formato tradicional, pode ser feito de diferentes maneiras:

  • Prova para detentos: exame especial para quem está privado de liberdade. Tem edital próprio e acontece em data diferente do Enem geral. O nível de dificuldade é o mesmo.
  • Prova em Braille: para pessoas cegas.
  • Prova ampliada ou superampliada: para quem tem dificuldades de visão.
  • Prova com tradutor de Libras ou com leitura labial: para ajudar os surdos a entenderem as orientações.
  • Leitor de texto e imagens: para pessoas com deficiência visual, intelectual, autismo, déficit de atenção ou dislexia.
  • Auxílio para transcrição: para quem não tem condições de escrever ou de preencher o cartão-resposta.
  • Guia-intérprete: para ajudar pessoas com surdocegueira.
  • Mobiliário acessível e salas de fácil acesso: para pessoas com dificuldade de movimento ou idosas.
  • Lactantes: para mães que precisam amamentar seus filhos.
  • Prova hospitalar: para quem está hospitalizado há algum tempo.
  • Sabatistas: para quem guarda os sábados por motivos religiosos.

 

O que é necessário para fazer o Enem?

Participar do Enem é super simples. Basta:

1.     Entrar no site do Enem durante o período de inscrições.

2.     Informar dados pessoais.

3.     Informar dados de formação escolar.

4.     Apontar se precisa de atendimento especializado.

5.     Baixar o boleto com a taxa de inscrição e fazer o pagamento (ou pedir isenção, se for o caso).

As inscrições do Enem geralmente abrem no mês de maio e ficam disponíveis por dez dias, mais ou menos.

Estudantes de escolas públicas que estão terminando o ensino médio têm isenção automática da taxa. Pessoas que se encaixem em critérios de baixa renda definidos pelo Ministério da Educação (MEC) podem solicitar o benefício.

 

Como é o Enem

O Enem acontece em um final de semana, geralmente no mês de novembro. É composto de quatro provas objetivas e uma redação.

As objetivas têm 45 questões cada e se dividem em áreas do conhecimento. Elas estão distribuídas assim:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias – História, Geografia, Filosofia e Sociologia.
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias – Física, Química e Biologia.
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias – Língua Portuguesa, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Literatura, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação.
  • Matemática e suas Tecnologias – Matemática.

 

A redação é um texto de até 30 linhas sobre um tema dado pelo Enem no dia da prova. O estudante precisa seguir o formato solicitado: dissertativo-argumentativo.

É dado um tempo de 4 horas e meia no primeiro dia e 5 horas e meia no segundo para que os alunos façam tudo.

Os resultados do Enem são divulgados entre o fim de dezembro e o começo de janeiro. Logo em seguida, começam os processos seletivos que usam a nota do Exame. Vamos conhecê-los a seguir.

 

O que dá para fazer com o Enem

Não é à toa que o Enem está se tornando tão popular: com a nota do Exame dá para participar de pelo menos cinco seleções ao longo do ano. Se contarmos que muitos desses processos acontecem todo semestre, são pelo menos dez chances de entrar em um curso – tudo isso fazendo uma única prova!

Alguns processos seletivos são abertos a todo mundo que fez o Enem (exceto os treineiros) e outros são direcionados ao público de baixa renda.

Conheça as possibilidades que o Exame oferece:

1.     Entrar em universidade pública – O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) atrai estudantes de todo o País em busca de uma vaga no ensino superior gratuito. São mais de 200 mil vagas todo semestre em diversos cursos, inclusive em mais badalados, como Medicina, Engenharia, Direito e Odontologia. Para participar é preciso ter feito o Enem mais recente e não ter zerado na redação. É preciso vir preparado para a concorrência, que é altíssima.

 

2.     Ganhar bolsa de estudos em faculdade particular – O Programa Universidade para Todos (ProUni) concede bolsas parciais e integrais a estudantes de baixa renda que queiram fazer graduação em faculdades privadas. Só participam aquelas que são bem avaliadas pelo MEC. O requisito para entrar na disputa é ter feito o Enem mais recente (com pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação), atender às exigências de renda e formação escolar. A concorrência aqui também é alta.

 

3.     Financiar os estudos – Com o FIES, o estudante de baixa renda pode pedir um empréstimo ao Governo para fazer um curso superior. Os juros cobrados são abaixo do valor de mercado e o prazo para pagamento da dívida é longo, dividido em vários anos. É uma facilidade e tanto para quem está com dificuldades financeiras mas não pode mais adiar o sonho de obter um diploma de nível superior. Para concorrer é preciso ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010 e apresentar pelo menos 450 pontos na média das provas, sem ter zerado na redação. Também é obrigatório comprovar que atende ao critério de renda. Leva o benefício quem tem a maior nota.

 

4.     Entrar em faculdades privadas sem fazer vestibular – Muitas universidades particulares oferecem essa facilidade aos seus futuros estudantes: basta apresentar a nota do Enem e, se atender ao desempenho mínimo exigido, ir direto fazer a matrícula. É um processo rápido e descomplicado, sem qualquer burocracia. Cada instituição tem suas próprias diretrizes, e os critérios podem variar bastante. Consulte o edital de seleção da faculdade onde você quer estudar para saber mais detalhes.

 

5.     Tentar vaga em cursos técnicos – Por meio do Sisutec, quem fez o Enem pode buscar vagas gratuitas em cursos técnicos (de nível médio) em diversas instituições de ensino do País. Essas formações são altamente especializadas e voltadas para as necessidades do mercado de trabalho – ou seja: têm alta empregabilidade. O tempo de estudos também é curto, variando de 1,5 a 3 anos. A seleção leva em conta a nota obtida pelo candidato no Exame. Quanto maior, mais chances de passar.

 

Mesmo que você não queira concorrer a uma vaga no ensino superior, dá para fazer o Enem só para saber a quantas anda seu conhecimento. A prova faz uma avaliação sofisticada do grau de familiaridade do candidato com os assuntos vistos ao longo de três anos do ensino médio, além de testar a capacidade de interpretar informações e expressar ideias. Para os treineiros (quem ainda não terminou o ensino médio), é uma oportunidade de se familiarizar com o formato, ganhar ritmo e sentir o grau de dificuldade das questões.

 

Onde estudar com a nota do Enem

Estudar é para todas as idades. É um excelente exercício para o cérebro e um poderoso turbinador de carreiras.

Como você viu, é possível usar a nota do Enem para entrar em instituições públicas e privadas de todo o País. Importante mesmo é escolher uma faculdade bem avaliada e com receptividade no mercado de trabalho.

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC que aceitam a nota do Enem como critério de seleção:

 

 

Veja também:

Descubra tudo o que você pode fazer com a nota do ENEM

 

 

Está animado para fazer o Enem? Conte para a gente nos comentários!

Posts Relacionados