Home Vestibular Vestibular aborda nova ortografia

Vestibular aborda nova ortografia

by

“O presidente do Brasil assinou decreto estabelecendo prazos para o país
colocar em prática o Novo Acordo Ortográfico da Língua
Portuguesa, que unifica a ortografia nos países de língua portuguesa”.
O conhecimento da lei integrou uma questão do primeiro dia de prova da
segunda fase do Vestibular da Unicamp.

Os 15.823 candidatos, no entanto, não precisaram lidar com as novas
grafias. A questão número 2 de Língua Portuguesa testava
se o candidato conhecia a lei em vigor desde 1º de janeiro. Segundo o coordenador
da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), Leandro
Tessler, a Universidade deverá seguir este acordo, mas terá em
2012 o prazo-limite para aceitar as duas escritas e fazer esta transição.
Nas provas deste domingo, de Língua Portuguesa, Literaturas de Língua
Portuguesa e Ciências Biológicas, o índice de abstenção
foi de 6,29% (1.062 ausentes), um pouco inferior ao ano passado no mesmo dia
(7,35%).

A diferença morfológica entre o termo ‘nulo’ e ‘anulável’
estiveram presentes no Código Civil bem como as palavras ‘infringir’
e ‘incompetência’. Tiras e histórias em quadrinhos também
foram alguns dos recursos importantes empregados pela organização
do Vestibular para facilitar a leitura pelos candidatos. Na questão 5,
das 12 de Português, o personagem Calvin foi novamente mostrado, ele que
é protagonista de uma tirinha americana traduzida para várias
línguas. No diálogo pediu-se para descrever a diferença
sintática entre a tradução do português europeu e
brasileiro.

Tessler comentou que as provas foram de média complexidade, evoluindo
à medida que avançavam para as últimas questões.
A prova de Literaturas de Língua Portuguesa exigiu impreterivelmente
leitura prévia dos nove títulos de livros indicados. “O
resumo não permitia compreender tudo o que se pedia, pois trata-se de
uma prova instrumental. Não é preciso ser um grande conhecedor
de regras, mas um bom entendedor da língua”, garantiu ele. Na cena
de O Auto da Barca do Inferno, perguntou-se por exemplo de que pecado
o Parvo acusou o homem de leis e se este foi o único pecado de que ele
era acusado na peça de Gil Vicente? Outra questão trazia o romance
Iracema, de José de Alencar, que inspirou a canção
Iracema voou, de Chico Buarque. Na prova, questionou-se o papel de
Iracema no romance de José de Alencar e na canção de Chico
Buarque.

Biologia – De acordo com o coordenador do Vestibular,
a prova de Ciências Biológicas requereu conhecimentos amplos e,
consequentemente, muita dedicação. Renato Pedrosa, coordenador-adjunto
da Comvest, salientou que as provas em geral contemplam questões de todos
os níveis de complexidade. “É para equilibrar a escolha de
cursos de alta e baixa demanda. O conhecimento sobre células-tronco,
da ordem do dia, e a sua participação no desenvolvimento embrionário
foi um dos temas enfatizados.

A prova também repercutiu o que acontece quando um dedo inflama e ainda
como as plantas respiram. Os Jogos de Pequim igualmente inspiraram perguntas.
Na questão 16 a manchete de O Estado de S. Paulo falava sobre o voo de
Maurren. Na questão 17 então as competições de tiro
ao alvo e de arco e flecha serviram de ingredientes para dizer que estas modalidades
esportivas exigem extrema acuidade visual. Em seguida, a pergunta “a”
era sobre os componentes do olho que permitem ao atleta focar de maneira precisa
o objeto alvo.

O Vestibular da Unicamp em seu primeiro dia não registrou maiores intercorrências.
Treze candidatos com necessidades especiais realizaram as provas nas dependências
do Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação “Gabriel
Porto” (Cepre), por manter uma infraestrutura adequada. Um candidato, em
tratamento médico, fez a prova num hospital de Campinas. Nesta segunda-feira
começam as correções das provas de Português e de
Ciências Biológicas na Unicamp.

Também nesta segunda-feira, segundo dia de provas, Química e
História serão os próximos desafios a serem encarados pelos
estudantes. Depois de quarta-feira, último dia desta fase, oito bancas
de 30 a 40 docentes estarão envolvidas a conhecer a performance dos candidatos.
A estrutura envolverá mais de 260 professores, além de monitores
em duas semanas de intenso trabalho. As provas de aptidão iniciam na
próxima semana.

Posts Relacionados